Tratamento conservador com reabilitação oral em cisto do ducto nasopalatino

Brenda Esmidre da Silva, Maylla Barbosa Santos, Stella Cristina Soares Araújo, Laisa Kindely Ramos de Oliveira, Fabiana de Freitas Bombarda-Nunes, Lígia Buloto Schmitd, Fernanda Mombrini Pigatti

Resumo


O cisto do ducto nasopalatino é classificado como o cisto não odontogênico mais comum da cavidade oral. Geralmente é assintomático e apresenta maior incidência entre a 2ª e 5ª décadas de vida. O diagnóstico é realizado por meio de exames clínicos, radiográficos e histopatológicos. O tratamento de escolha é a enucleação cirúrgica, porém em lesões extensas é realizada uma descompressão previamente. O objetivo deste trabalho é relatar um caso clínico de um paciente do sexo masculino com 56 anos de idade que apresentava queixa de má adaptação de prótese total superior devido a um aumento de volume no palato. Foram realizados exames clínicos, radiográficos e uma biópsia incisional para auxílio diagnóstico. O tratamento de escolha foi a descompressão com posterior enucleação. Após um período de acompanhamento de dois anos, o paciente apresenta reabilitação protética satisfatória e ausência de sinais de recidiva.

Palavras-chave


Maxila; Cistos não Odontogênicos; Cistos Maxilomandibulares

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2177-0018.90372