Avaliação comparativa da toxidade do adesivo dentinário all bond 2 e do cimento de óxido de zinco e eugenol, quando implantados no tecido conjuntivo subcutâneo de ratos

Carlos Alberto de Souza Costa, Josimeri Hebling, Heron Fernando de Sousa Gonzaga, Carlos Benatti Neto, Luis Carlos Spolidório

Resumo


Com o objetivo de dar início ao estudo da biocompatibilidade do adesivo dentinário, All Bond 2 (Grupo experimental) quando comparado com o Óxido de Zinco e Eugenol (Grupo OZE - controle), estes materiais foram implantados no tecido conjuntivo dorsal de 20 ratos. Decorridos os períodos de 7, 15, 30 e 60 dias, biópsias foram realizadas, sendo que após processamento laboratorial de rotina, os cortes histológicos de 6 *m de espessura foram corados com H/E. Como resultado, aos 7 dias, o All Bond 2 promoveu intensa reação inflamatória com predomínio de células mononucleares, moderada necrose de contato e degradação de fibras colágenas, sendo que o cone capsular formado na área principal de análise foi amplo. Com o decorrer dos períodos, houve tendência à regressão do quadro inicial, mas a presença intensa de macrófagos e células gigantes ocorreu em alguns casos, até o último período de análise. No grupo controle, os achados histopatológicos foram menos intensos nos períodos iniciais de avaliação, sendo que aos 30 e 60 dias, o tecido junto à abertura tubular, área principal de análise havia passado pelo processo de reparação tecidual. Assim, apesar do adesivo dentinário All Bond 2 ter sido de maneira geral mais irritante do que o OZE, de acordo com as normas de ISO, foi possível.

Palavras-chave


Adesivo dentinário; Materiais biocompatíveis; Óxido de zinco; Eugenol

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2177-0018.7826

e-ISSN 2177-0018 / ISSN 0566-1854