Efeito do gel de clorexidina em diferentes concentrações no controle do biofilme bacteriano e da inflamação gengival em crianças

Thais Marchini Oliveira, Vivien Thiemy Sakai, Thiago Cruvinel Silva, Ana Beatriz Silveira Moretti, Vivian Agostino Biella Passos, Vanessa Tessarolli, Maria Aparecida Andrade Moreira Machado

Resumo


O presente estudo teve como objetivo avaliar a efetividade da utilização de géis de clorexidina nas concentrações de 0,5%, 1% e 2% para o controle do biofilme dentário e da inflamação gengival em crianças na faixa etária de 7 a 11 anos de idade. A amostra foi composta por 40 crianças, aleatoriamente divididas em quatro grupos: G1 (grupo controle - não utilização de agente químico), G2 (utilização de gel de clorexidina a 0,5%), G3 (utilização de gel de clorexidina a 1%) e G4 (utilização de gel de clorexidina a 2%) para determinação dos índices de placa e gengival. O gel de clorexidina foi aplicado com a utilização de moldeiras descartáveis pré-fabricadas (5 mL), por 1 minuto, uma vez por semana, durante 4 semanas. As avaliações clínicas foram feitas após 1 semana, 1 mês, 3 e 6 meses da última aplicação do gel. Os resultados obtidos foram analisados pela análise de variância a dois critérios, sendo adotado nível de significância igual a 5%. Os índices de placa e gengival reduziram durante o período experimental em todos os grupos. Não houve diferença significante (p <0.05) entre os grupos tratados com gel de clorexidina quando comparado com o grupo placebo na redução de placa e índice gengival. Os resultados mostraram que formulações diferentes de gel de clorexidina não produzem efeito inibidor da placa bacteriana e da inflamação gengival. Sendo assim, estudos adicionais são necessários para esclarecer o papel da clorexidina na prevenção de cárie e doença periodontal em crianças.

Palavras-chave


Gengivite; Placa bacteriana; Crianças; Clorexidina; Prevenção; Cárie Dentária

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2177-0018.6856