Prevalência de fluorose dentária nos municípios de Sobradinho e Tavares, Rio Grande do Sul, 2010

Ana Paula Silva, Denise Paiva da Rosa, Tania Izabel Biguetti, Eduardo Dickie de Castilhos

Resumo


Objetivo: Conhecer a prevalência e a severidade da fluorose dentária aos 5 e 12 anos de idade nos municípios de Sobradinho e Tavares (RS) em 2010.

Métodos: Realizou-se estudo transversal descritivo, utilizando-se recomendações da Organização Mundial da Saúde, por dois examinadores previamente calibrados para o índice de Dean (Kappa de 0,68 interexaminadores; 1,00 para examinador A e 0,83 para examinador B). De forma exploratória, foram identificadas exposições atuais a produtos com flúor: tipo de água e quantidade de dentifrício.

Resultados: Foram examinadas 115 crianças em Sobradinho e 91 em Tavares. Aos 5 anos de idade o grau de fluorose dentária predominante nos dois municípios foi o questionável. Para idade de 12 anos nos dois municípios predominou também o grau questionável e em segundo lugar o grau muito leve. No entanto, para Sobradinho a freqüência deste grau foi maior. Casos de fluorose moderada e severa foram observados em Tavares. Em relação às fontes atuais de exposição a flúor para o município de Sobradinho a água de abastecimento predominante foi a de abastecimento público e para Tavares foi a de poço artesiano. Nos dois municípios houve baixa concordância entre a quantidade de dentifrício relatada pelas crianças e pais/responsáveis.

Conclusão: Verificou-se alta prevalência e baixa severidade de fluorose dentária nos dois municípios. Como não predominaram os graus moderado e severo de fluorose dentária ela não é considerada um problema de saúde pública. Porém, estudos semelhantes devem ser realizados com periodicidade regular buscando determinar se existem outros fatores de riscos associados.

Palavras-chave


Levantamentos epidemiológicos. Fluorose dentária. Dentifrícios.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2177-0018.24728