Cárie dentária, alterações de esmalte e necessidades de tratamento em pré-escolares e escolares de Araras, SP

Maria Paula Maciel Rando Meirelles, Elaine Pereira da Silva Tagliaferro, Aline Sampieri Tonello, Silvia Cypriano, Maria da Luz Rosário de Sousa

Resumo


O objetivo deste estudo transversal foi descrever a prevalência de cárie dentária, hipoplasia, fluorose e opacidade demarcada de esmalte, assim como relatar as necessidades de tratamento em pré-escolares de 5 anos e de escolares de 12 anos, do município de Araras, em 2004. A amostra probabilística consistiu de 381 indivíduos, sendo 186 pré-escolares de 5 anos e 195 escolares de 12 anos. Os exames epidemiológicos foram realizados por quatro examinadores previamente calibrados, sob luz natural, utilizando-se espelho bucal sonda “ball point”, seguindo as recomendações da OMS. Cárie dentária foi registrada utilizando-se os índices ceod e CPOD. As lesões sem cavidades ativas, necessidades de tratamento, hipoplasia e opacidade demarcada também foram avaliadas. A fluorose foi registrada seguindo o Índice de Dean nos escolares de 12 anos. Os resultados mostraram que o índice ceod aos 5 anos foi 2,07 (dp=3,21) e o CPOD aos 12 anos foi de 2,14 (dp=2,56). Dentre as crianças de 5 e 12 anos examinadas, 52,2% e 42,3% estavam livres de cárie, respectivamente. Aproximadamente um terço dos examinados apresentaram sinais de atividade de cárie. As restaurações de uma face foram as necessidades de tratamento predominantes tanto nos pré-escolares (42,1%) quanto nos escolares (39,0%). A opacidade demarcada esteve presente em 65,1% dos pré-escolares e 14,4% dos escolares; a hipoplasia em 5,9% e 1,5%, respectivamente e 18% dos escolares de 12 anos apresentaram fluorose. Pode-se concluir que os pré-escolares e os escolares examinados apresentaram necessidades de baixa complexidade, uma vez que a proporção de livres de cárie foi alta e a atividade da doença foi baixa.

Palavras-chave


Cárie dentária; Necessidades de tratamento; Epidemiologia

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2177-0018.13390