A OTAN e o Atlântico Sul

Carlos Gustavo Poggio Teixeira, Daniella da Silva Nogueira de Melo

Resumo


Este artigo contribui para os estudos sobre operações out-of-area da OTAN focado no Atlântico Sul. Pela primeira vez, essa região apareceu na agenda da organização na década de 1970, quando a presença soviética ameaçou o transporte marítimo comercial das potências ocidentais. Após a Guerra Fria, a Aliança transformou suas capacidades e estrutura para adaptar-se aos eventos do novo cenário de segurança internacional, expandindo atividades além das fronteiras do Atlântico Norte. Acordos de parceria com a Colômbia e Mauritânia, exercícios militares conjuntos com Cabo Verde, Gana e outros países da África Ocidental evidenciam a projeção da OTAN no Atlântico Sul. Além disso, o artigo expõe a abundância de recursos naturais, as ameaças à segurança e a crescente projeção de atores extrarregionais (Rússia, China e Índia) como prováveis fatores de engajamento da OTAN na região.

Palavras-chave


Relações Internacionais; OTAN; Atlântico Sul

Texto completo:

PDF (English)


DOI: https://doi.org/10.22456/2178-8839.92934

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Attribution-ShareAlike 4.0 International License.

 

Conjuntura Austral - ISSN: 2178-8839

       UFRGS