Aspectos terapêuticos da esporotricose felina

Sandro Antonio Pereira, Tânia Maria Pacheco Schubach, Isabella Dib Ferreira Gremião, Denise Torres da Silva, Fabiano Borges Figueiredo, Núbia Vieira de Assis, Sônia Regina Lambert Passos

Abstract


A esporotricose é uma micose subcutânea causada pelo fungo dimórfico Sporothrix schenckii que acomete seres humanos e uma grande variedade de animais. O gato é a espécie animal com a maior frequência de casos até o momento. Essa micose é frequente no Brasil, principalmente no Rio de Janeiro, e a transmissão zoonótica relacionada a gatos infectados vem aumentando nas duas últimas décadas. A esporotricose felina apresenta variadas apresentações clínicas e o tratamento representa um desafio para o médico veterinário. O itraconazol e o cetoconazol são os antifúngicos mais utilizados no tratamento da esporotricose felina, sendo o primeiro o fármaco de eleição. Os iodetos, a terbinafina, a termoterapia local, a anfotericina B e a remoção cirúrgica das lesões cutâneas são outras opções de tratamento. Diversos estudos enfocam os aspectos terapêuticos da esporotricose em seres humanos, entretanto, na esporotricose felina, existem poucos relatos ou estudos de séries de casos. Este artigo teve como objetivo descrever os esquemas terapêuticos atualmente utilizados no tratamento da esporotricose felina.

Keywords


Esporotricose; Sporothrix schenckii; Gatos; Tratamento



DOI: https://doi.org/10.22456/1679-9216.16781

Copyright (c) 2018 Sandro Antonio Pereira, Tânia Maria Pacheco Schubach, Isabella Dib Ferreira Gremião, Denise Torres da Silva, Fabiano Borges Figueiredo, Núbia Vieira de Assis, Sônia Regina Lambert Passos

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.