“E que o apartheid se destrua”: uma proposta de Ensino de História a partir de sambas-enredo

Vânia Cristina da Silva, Luiz Mário Dantas Burity

Resumo


Resumo: Diante da necessidade de discutir o racismo na escola pública brasileira, o objetivo desse texto foi propor uma abordagem para os sambas enredo: Liberdade! Liberdade! Abra as asas sobre nós e Kizomba! A festa da raça, nas aulas de História que considerem os discursos da miscigenação, escravismo e racismo, visando desconstruir o mito da democracia racial que ainda sobrevive no senso comum. A partir das considerações desenvolvidas na historiografia acerca do uso das mídias digitais como fontes da pesquisa, o discurso desses sambas-enredo foram analisados em relação ao seu contexto de produção: o carnaval carioca.


Palavras-chave


Ensino de História. Racismo. Sambas-enredo.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista do Lhiste – Laboratório de Ensino de História e Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Porto Alegre

ISSN 2359-5973