Hibridização do ensino nos cursos de graduação presenciais das universidades federais: uma análise da regulamentação

Michele Rejane Coura da Silva, Cristiano Maciel, Kátia Morosov Alonso

Resumo


A integração entre o ensino presencial e o virtual, o ensino híbrido, vem sendo foco de estudos no cenário mundial. No Brasil, a normatização da semipresencialidade, pela portaria nº 4.059/2004, permitiu a hibridização do ensino. O objetivo deste estudo é analisar como as universidades federais estão ofertando o ensino híbrido em cursos de graduação presenciais, considerando-se sua regulamentação. O estudo teve abordagem qualitativa com viés exploratório descritivo, no qual foi realizada uma análise documental das regulamentações que autorizam a oferta do ensino híbrido nas universidades federais, bem como um questionário diagnóstico. A análise dos dados indica uma incompreensão acentuada do uso das tecnologias da informação e comunicação e de como elas podem ser apropriadas pelos cursos de graduação presenciais para fomentar a hibridização do ensino.

Palavras-chave


Portaria n.º 4.059/2004. Semipresencialidade. Blended Learning. Ensino híbrido. Hibridização do ensino.

Texto completo:

PDF

Referências


BELLONI, M. L. Educação a distância. Campinas: Autores Associados, 2012.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria nº 4.059 de 10 de dezembro de 2004. Disponível em: . Acessado em: 06/05/2014.

CHIZZOTTI, A. Pesquisa qualitativa em ciências humanas e sociais. Petrópolis: Vozes, 2008.

COGRAD. Colégio de Pró-Reitores de Graduação das IFES. Propostas do COGRAD para a Educação a Distância nas Instituições Federais de Ensino Superior. 2015. Disponível em: < http://www.andifes.org.br >. Acessado em 13/12/2015.

COSTA, H.; ROZZETT, K.; CARVALHO, S.; ODELIUS, C. Hibridização do ensino superior: avaliação de uma iniciativa na disciplina Introdução à Administração (Universidade de Brasília). Novas Tecnologias e Educação. v. 10, nº 3, 2012. Disponível em: . Acessado em 16/07/2015.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de Pesquisa. 5ª ed. São Paulo: Atlas, 2010.

HORN, M. B.; STAKER, H. Blended: usando a inovação disruptiva para aprimorar a educação. Trad. Maria Cristina Gularte Monteiro. Porto Alegre: Penso, 2015.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M.. Pesquisa em Educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MARTINS, H. H. T. de S. Metodologia qualitativa de pesquisa. Educ. Pesquisa. São Paulo, v. 30, n. 2, p. 289-300, ago. 2004. Disponível em: . Acessado em: 12/10/2015.

MONTEIRO, A.; MOREIRA, J. A. O b-learning no ensino superior: reflexões em torno de práticas. Cadernos de Pedagogia no Ensino Superior. nº 20, p. 23-36, 2012. Disponível em: < https://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/70504/2/87923.pdf >. Acessado em 16/07/2015.

MORAN, J. M. Propostas de mudança nos cursos presenciais com a educação on-line. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. 2004. Disponível em: . Acessado em 22/07/2014.

______; Educação Híbrida: um conceito-chave para a educação hoje. In: BACICH, L.; TANZI NETO, A.; TREVISANI, F. de M. (Org.). Ensino Híbrido: personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre: Penso, p. 27-45, 2015.

______; ARAÚJO FILHO, M.; SIDERICOUDES, O. A ampliação dos vinte por cento a distância: estudo de caso da Faculdade Sumaré-SP. 2005. Disponível em: .

MOREIRA, J. A.; MONTEIRO, A. O trabalho pedagógico em cenários presenciais e virtuais no ensino superior. Educação, Formação e Tecnologias. v. 3, nº 2, p. 82-94, 2010. Disponível em: . Acessado em 17/07/2015.

OLIVEIRA, R.G.M. Aprendizagem significativa, engenharia didática e sequência fedathi: o ensino de física na escola pública.136p. 2007. (Monografia de Especialização em Ensino e Prática de Física) - Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2007.

PRETI, O. Educação a Distância: fundamentos e políticas. Cuiabá: EdUFMT, 2009.

PETTER, R. C. A gestão participativa e democrática na EaD e a viabilização dos colegiados - algumas possibilidades. In: PRETTI, O. (org.) Educação a Distância: processos de gestão. Cuiabá: EdUFMT, p. 103-124, 2010.

PORVIR. Ensino Híbrido ou Blended Learning. 2013. Disponível em: . Acessado em: 29/07/2015.

QUEVEDO, A. O ensino semipresencial do ponto de vista do aluno. Revista e-curriculum. São Paulo. v. 7, nº 1, p. 1-21, abril/2011. Disponível em: . Acessado em 17/07/2015.

RUMBLE, G. A tecnologia da Educação a distância em cenários do terceiro mundo. In: PRETTI, Oreste (Org.). Educação a Distância: construindo significados. Brasília: Plano, p. 43-61, 2000.

TORI, R. Cursos híbridos ou blended learning. In: LITTO, F.; FORMIGA, M. Educação a distância: o estado da arte. São Paulo: Pearson Educacional do Brasil, p.121-128, 2009

ZANOTTO, M. A. do C.; BIANCHI, P. C. F.; SILVA, A. P. R. da; REALI, A. M. de M. Hibridização do ensino em uma IES: delineamento de ações pedagógicas para adoção de 20% a distância em cursos de graduação presenciais. In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. 1. Anais. 2014. Disponível em: . Acessado em: 17/07/2015.




DOI: https://doi.org/10.21573/vol33n12017.74042

INDEXADORES

BBE – Bibliografia Brasileira de Educação (Brasília, MEC/INEP)
CLASE – Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (México, UNAM)
DIADORIM - Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras
DOAJ - Directory of Open Access Journals
DRJI - Directory of Research Journals Indexing (Maharashtra, India)
Edubase (SBU/UNICAMP)
LATINDEX - Sistema Regional de Información em Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal
Portal de Periódicos da Capes/MEC
Scielo Educ@ - Fundação Carlos Chagas-FCC, São Paulo/Brasil
Science Library Index - Meadow Springs, Mandurah State, Austrália
SUMÁRIOS.ORG - Sumários de Revistas Brasileiras

 

Licença Creative Commons
Revista Brasileira de Política e Administração da Educação,
da Associação Brasileira de Política e Administração da Educação
está licenciada com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://seer.ufrgs.br/index.php/rbpae/index

ISSN versão impressa: 1678-166X
ISSN versão eletrônica: 2447-4193

Prefixo DOI: 10.21573