Desigualdades no interior da escola: a formação da turma dos repetentes

Frederico Alves Almeida, Flavia Pereira Xavier

Resumo


O objetivo da pesquisa é analisar o processo de formação de turmas em escolas de ensino fundamental. Utilizamos dados coletados pela Prova Brasil e Censo Escolar de escolas municipais de Contagem-MG, considerando sexo, cor, nível socioeconômico, desempenho em Matemática e repetência. Os resultados apontam que alunos já retidos, com baixo nível socioeconômico e desempenho insuficiente estavam concentrados em salas específicas, e que o agrupamento dos estudantes por tais características foi uma decisão da escola, ainda que pesquisas demonstrem as desvantagens dessa forma de organização.

Palavras-chave


Repetência. Composição das turmas. Escolas públicas. Desigualdades escolares.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, Maria Teresa Gonzaga; SOARES, José Francisco. Efeito-escola e estratificação escolar: o impacto da composição de turmas por nível de habilidade dos alunos. Educação e Revista. Belo Horizonte, n. 45, p. 25-59, 2007.

ALVES, Maria Teresa Gonzaga; SOARES, José Francisco. O efeito das escolas no aprendizado dos alunos: um estudo com dados longitudinais no Ensino Fundamental. Educação e Pesquisa. São Paulo, v.34, n.3, p. 527-544, 2008.

ALVES, Maria Teresa Gonzaga; SOARES, José Francisco; XAVIER, Flavia Pereira. Desigualdades educacionais no ensino fundamental de 2005 a 2013: hiato entre grupos sociais. Revista Brasileira de Sociologia, v. 4, n. 7, 2016.

ALVES, Maria Teresa Gonzaga et al. Desigualdades de aprendizado entre alunos das escolas públicas brasileiras: evidências da Prova Brasil (2007 a 2013). Debates ED, n. 5, p. 1–116, 2017.

ANDRADE, Renato Judice; SOARES, José Francisco. O efeito da escola brasileira. Estudos em Avaliação Educacional. São Paulo, v. 19, n. 41, p. 379-406, 2008.

BARBOZA, Eleuza Maria Rodrigues. A composição das turmas e o desempenho escolar na rede pública de ensino de Minas Gerais. Coleção Digital PUC-RIO. Rio de Janeiro, Set. 2006.

BARTHOLO, Tiago Lisboa; COSTA, Marcio da. Turnos e segregação escolar: discutindo as desigualdades intraescolares. Cadernos de Pesquisas. São Paulo, v.44, n.153, 2014.

BERNARDO, Elisângela da Silva. Organização de turmas e práticas de gestão escolar: a aprendizagem em leitura dos alunos das escolas públicas cariocas. Revista Educação e Cultura Contemporânea. Rio de Janeiro: UNESA, v. 7, n. 14, Jan.-Jun., p. 101-121, 2010.

BOURDIEU, Pierre. A Escola conservadora: as desigualdades frente à escola e à cultura. In: NOGUEIRA, Maria Alice; CATANI, Afrânio. (Orgs). Escritos de Educação. Petrópolis, RJ: Vozes, 1998, 39-64.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Sinopse Estatística da Educação Básica 2017. Brasília: Inep, 2018.

BRITO, Murillo Maschner Alves de. Novas tendências ou velhas persistências? Modernização e expansão educacional no Brasil. Caderno de Pesquisas. São Paulo, v. 47, n. 163, p. 224-263, Mar. 2017.

CASTRO, Jorge Abrahão de. Evolução e desigualdade na educação brasileira. Educação e Sociedade, vol.30, p.673-697, 2009.

CHUDGAR, Amita; LUSCHEI, Thomas. National Income, Income Inequality, and the Importance of Schools: A Hierarchical Cross-National Comparison. American Educational Research Journal, 2009, 46(3): 626-658.

CONTAGEM (MG). Secretaria Municipal de Educação. Resolução Nº 003/2015. Dispõe sobre o acesso e a permanência do estudante no Ensino Fundamental Regular nas Escolas Municipais de Contagem para o ano 2017. SEDUC, 2015.

CORREA, Erisson Viana; BONAMINO, Alicia; SOARES, Tufi Machado. Evidências do efeito da repetência nos primeiros anos escolares. Estudos em Avaliação Educacional. São Paulo, v. 25, n. 59, p. 242-269, set./dez. 2014.

CORTEZÃO, Luísa. O arco-íris na sala de aula? Processos de organização de turmas: reflexões críticas. Cadernos de organização e administração educacional. Portugal. n.1, p.1-15, 2007.

COSTA, Marcio da; KOSLINSKI, Mariane. Prestígio escolar e composição de turmas – explorando a hierarquia em redes escolares. Estudos em Avaliação Educacional, v. 19, n. 40, p. 305-330, maio-ago. 2008.

COSTA, Marcio da; BARTHOLO, Tiago Lisboa. Padrões de Segregação Escolar no Brasil: um estudo comparativo entre capitais do país. Educação e Sociedade. Campinas, v. 35, nº. 129, p. 1183-1203, out-dez., 2014.

CRAHAY, Marcel; MARCOUX, Géry. Comment et pourquoi les enseignants décident du redoublement de certains élèves? Genève, Suisse: Fonds national suisse de recherché, 2010.

DAVIS, Kingsley; MOORE, Wilbert. Alguns princípios de estratificação. In: BERTELLI, A. R.; PALMEIRA, M.G.S.; VELHO, O.G.C.A. (Orgs). Estrutura de classes e estratificação social. Zahar Ed., 1969.

DUBET, François; DURU-BELLAT; Marie; VÉRÉTOUT, Antoine. As desigualdades escolares antes e depois da escola: organização escolar e influência dos diplomas. Sociologias. Porto Alegre, ano 14, no 29, jan./abr. 2012, p. 22-70.

GOMES, Candido Alberto. A escola de qualidade para todos: abrindo as camadas da cebola. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação. Rio de Janeiro, v.13, n.48, p. 281-306, 2005.

GLÓRIA, Dília Maria de Andrade; MAFRA, Leila de Alvarenga. A prática da não retenção na narrativa de professores do ensino fundamental: dificuldades e avanços na busca do sucesso escolar. Cadernos de Educação e Pesquisa. São Paulo, v. 30, n. 2, p. 231-250, maio/ago. 2004.

GRUSKY, David. Social Stratification: class, race, and gender in sociological perspective. 4a edição. Colorado: Westview Press, 2014.

HALLER, Archibald. A estrutura da teoria da estratificação. In: HALLER, Archibald et al (Orgs). O sistema de estratificação social brasileiro: pensando sistematicamente como a desigualdade funciona. Belo Horizonte: Fino Traço, 2014, p.25-33.

HOXBY, Caroline. Peer Effects in the Classroom: Learning From Gender and Race Variation. NBER Working Paper, n.7867, 2000.

JENKS, Christopher. Desigualdade no aproveitamento educacional. In: BROOKE, Nigel; SOARES, José Francisco (Orgs). Pesquisa em eficácia escolar: origem e trajetórias. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008, p.50-66.

LAFONTAINE, Dominique. Efeito sala de aula (efeito turma). In: VAN ZANTEN, Agnez (coord.), Dicionário de educação. Petrópolis: Vozes, 2011, p. 279-284.

RIBEIRO, Vanda Mendes et al. Crença de professores sobre reprovação escolar. Educação em Revista. Belo Horizonte: UFMG, v. 34, 2018.

RUTTER, Michael et al. Fifteen thousand hours: secondary schools and their effects on children. London: Open Books, 1979.

SCHULTZ, Theodore. Investimento em Capital Humano. In: O Capital Humano: investimentos em educação e pesquisa. Rio de Janeiro: Zahar, 1973, p. 31-52.

SILVA, Nelson do Valle. Expansão escolar e estratificação educacional no Brasil. In: HASENBALG, Carlos; SILVA, Nelson do Valle. Origens e destinos: desigualdades sociais ao longo da vida. Rio de Janeiro: Topbooks, 2003.

SOARES, José Francisco. Índice de desenvolvimento da educação de São Paulo - Idesp. São Paulo em Perspectiva, v. 23, n. 1, p. 29–41, 2009.

SOARES, José Francisco; DELGADO, Victor Maia Senna. Medida das desigualdades de aprendizado entre estudantes de ensino fundamental. Estudos em Avaliação Educacional. São Paulo, v. 27, n. 66, 2016.

STEVENSON, William. Estatística Aplicada à Administração. São Paulo: Harbra, 2001.

WILLMS, John Douglas. Monitoring school performance: A guide for educators. London: Falmer Press, 1992.




DOI: https://doi.org/10.21573/vol37n12021.105420

INDEXADORES

BBE – Bibliografia Brasileira de Educação (Brasília, MEC/INEP)
CLASE – Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (México, UNAM)
DIADORIM - Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras
DOAJ - Directory of Open Access Journals
DRJI - Directory of Research Journals Indexing (Maharashtra, India)
Edubase (SBU/UNICAMP)
LATINDEX - Sistema Regional de Información em Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal
Portal de Periódicos da Capes/MEC
Scielo Educ@ - Fundação Carlos Chagas-FCC, São Paulo/Brasil
Science Library Index - Meadow Springs, Mandurah State, Austrália
SUMÁRIOS.ORG - Sumários de Revistas Brasileiras

 

Licença Creative Commons
Revista Brasileira de Política e Administração da Educação,
da Associação Brasileira de Política e Administração da Educação
está licenciada com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://seer.ufrgs.br/index.php/rbpae/index

ISSN versão impressa: 1678-166X
ISSN versão eletrônica: 2447-4193

Prefixo DOI: 10.21573