A carta VII.4 de Plínio, o Jovem: tradução e comentários

Autores

  • Renato Cardoso Corgosinho

Resumo

Plínio, o Jovem, nos é conhecido sobretudo por duas obras supérstites: o Epistolário e o Panegírico a Trajano. A carta VII.4 é, entretanto, um testemunho valioso de que o autor também fez incursões pela poesia – algumas despretensiosas, outras com vistas à publicação –, das quais nada ou quase nada restou. Propomos aqui uma tradução da referida carta, com análise e contextualização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-12-31

Edição

Seção

Traduções comentadas