A regulamentação da atividade dos catadores de material reciclável no âmbito da Justiça do Trabalho: como as decisões trabalhistas ainda não efetivam o direito à dignidade humana para este segmento da sociedade brasileira

Autores

  • Fernando Joaquim Ferreira Maia Programa de Pós-Graduação em Ciências Jurídicas da Universidade Federal da Paraíba; Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal Rural de Pernambuco http://orcid.org/0000-0002-5419-2031
  • Anna Maria Mendonça Leite Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal Rural de Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.22456/0104-6594.73057

Palavras-chave:

Catadores, PNRS, Justiça do Trabalho, Direito do Trabalho, Direitos Humanos

Resumo

A regulamentação da atividade dos catadores de material reciclável no âmbito da Justiça do Trabalho: como as decisões trabalhistas ainda não efetivam o direito à dignidade humana para este segmento da sociedade brasileira

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernando Joaquim Ferreira Maia, Programa de Pós-Graduação em Ciências Jurídicas da Universidade Federal da Paraíba; Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal Rural de Pernambuco

Professor Adjunto III da Universidade Federal Rural de Pernambuco. Professor Permanente do Programa de Pós-Graduação em Ciências Jurídicas da Universidade Federal da Paraíba-PPGCJ/UFPB. Professor Colaborador do Programa de Pós-Graduação em Educação, Culturas e Identidades-PPGECI-UFRPE/FUNDAJ. Possui Doutorado e Mestrado em Direito pela Universidade Federal de Pernambuco, Especialização em Direito Processual Civil pela mesma Universidade e Graduação em Direito pela Universidade Católica de Pernambuco. Tem experiência na área de Direito, atuando nas áreas de Direito Ambiental e Agrário, Direitos Humanos, Retórica Jurídica e Teoria e Filosofia do Direito e História do Direito. 

Anna Maria Mendonça Leite, Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal Rural de Pernambuco

Ex-aluna do Programa de Iniciação Científica-PIBIC-PIC/CNPQ/UFRPE, desenvolvido na Universidade Federal Rural de Pernambuco, com o apoio da CAPES, Graduanda do Curso de Ciências Sociais pela UFRPE

Referências

ARANHA, Maria Lúcia de A.; MARTINS, Maria Helena P. Filosofando. 3ª ed. São Paulo: Moderna, 2003.

CEMPRE. Compromisso Empresarial para Reciclagem. Disponível em: <http://cempre.org.br/>. Acesso em: 19 dez. 2014.

CONJUR. Presidente Dilma Veta Criação da Profissão de Catador. Disponível em: <http://www.conjur.com.br/2012-jan-11/dilma-veta-regulamentacao-profissao-catador-material-reciclavel>. Acesso em: 11 de jan. 2015.

G1. Em Carpina, PE, lixão põe em risco saúde dos moradores. 18 de junho de 2015. Disponível em < http://g1.globo.com/pernambuco/noticia/2015/06/em-carpina-pe-lixao-poe-em-risco-saude-dos-moradores.html> Acesso em 22.jun.2015

GOFFMAN, Erving. Estigma – notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. 4 Ed. São Paulo: Editora LTD, 2012.

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo Demográfico 2010. Rio de Janeiro: IBGE, 2012.

IPEA. INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. Situação Social das Catadoras e dos Catadores de Material Reciclável e Reutilizável. Brasília: IPEA 2013.

JUSBRASIL. Processos Catadores de Material Reciclável. Disponível em: <http://www.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/busca?q=Catadores+de+Material+Recicl%C3%A1vel&p=1&o=data> Acesso em: 17 out. 2014.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Manifesto do Partido Comunista. 1ª Ed. São Paulo: Editora Expressão Popular, 2008.

MDS. COMITÊ INTERMINISTERIAL DE INCLUSÃO SOCIAL DE CATADORES DE MATERIAIS RECICLÁVEIS. Disponível em: <http://www.mds.gov.br/acesso-a-informacao/orgaoscolegiados/orgaos-em-destaque/ciisc>. Acesso em: 19 dez. 2014.

MEDEIROS, Luiza Ferreira Rezende; MACÊDO, Kátia Barbosa. Catador de Material Reciclável: uma Profissão para além da sobrevivência? Porto Alegre. Psicol. Soc. vol.18 no.2 May/Aug. 2006. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/psoc/v18n2/08.pdf>. Acesso em: 19 dez. 2014.

MMA. MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/cidades-sustentaveis/residuos-solidos/catadores-de-materiais-reciclaveis/comite-interministerial-para-inclusao-dos-catadores>. Acesso em: 11 nov. 2014.a

_______. Plano Nacional dos Resíduos Sólidos (versão preliminar). Disponível em: <http://www.mma.gov.br/estruturas/253/_publicacao/253_publicacao02022012041757.pdf>. Acesso em: 11 nov. 2014.b

MNCR. MOVIMENTO NACIONAL DOS CATADORES DE MATERIAL RECICLÁVEL. Disponível em <http://www.mncr.org.br/>. Acesso em 17 nov. 2014.

OIT. ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO. Disponível em <http://www.oit.org.br/content/apresenta%C3%A7%C3%A3o>. Acesso em: 19 nov. 2014.

ONU. Declaração Universal dos Direitos Humanos. Disponível em <http://www.ohchr.org/EN/UDHR/Documents/UDHR_Translations/por.pdf>. Acesso em: 01 jan. 2015.

SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. Programa Nacional de Direitos Humanos (PNDH-3) / Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República. Brasília: SEDH/PR, 2010

VIANA, Gerardo Valdisio Rodriges. O Método Indutivo. Artigo online. Disponível em: <http://www.flf.edu.br/revista-flf.edu/volume05/v5mono5.pdf>. Acesso em: 01. jan 2015.

Publicado

2017-10-31