O trabalho dos gestores nas instituições de Educação Infantil

Autores

  • Luciana Galdino UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPIRITO SANTO PREFEITURA MUNICIPAL DE SERRA-ES
  • Valdete Côco UNIVERSIDADE Federal DO ESPIRITO SANTO- UFES

DOI:

https://doi.org/10.21573/vol34n12018.75993

Palavras-chave:

Educação Infantil, Gestão, Trabalho docente

Resumo

Resumo: Nos desafios conexos à gestão educacional, este artigo sintetiza dados de pesquisa qualitativa, abordando o trabalho dos gestores das instituições de Educação Infantil, com procedimentos de aplicação de questionário e de desenvolvimento de entrevista. Com ancoragem teórica-metodológica bakhtiniana, evidencia-se um trabalho instado pelas bases legais e demandas – por vezes, conflitantes – dos órgãos gestores, pares de trabalho, estudantes e comunidade. Nesse movimento, o compartilhamento coletivo das ações reúne exigências, implicando responsabilização, que informam novas imposições à gestão educacional.

Palavras-Chave: Educação Infantil. Gestão. Trabalho docente.

 

Abstract: In the challenges related to educational management, this article synthesizes qualitative research data, addressing the work of the managers of the institutions of Early Childhood Education, with procedures for application of questionnaire and interview development. With Bakhtin's theoretical and methodological anchorage, it puts in evidence a work by the legal bases and demands - sometimes conflicting - of the management organs, work pairs, students, and community. In this movement, the collective sharing of actions brings together demands, implying accountability, which inform new impositions to educational management.

Keywords: childhood education; management; teaching work.

 

Resumen: En los desafíos relacionados con la gestión educativa, este artículo sintetiza datos de investigación cualitativa, abordando el trabajo de los gestores de las instituciones de Educación Infantil, con procedimientos de aplicación de cuestionario y de desarrollo de entrevista. Con anclaje teórico-metodológico bakhtiniano, se evidencia un trabajo instado por las bases legales y demandas – a veces conflictivas – de los órganos gestores, parejas de trabajo, estudiantes y comunidad. En ese movimiento, el compartir colectivo de las acciones reúne exigencias, implicando responsabilización, que informan nuevas imposiciones a la gestión educativa.

Palabras Clave: Educación Infantil. Gestión. Trabajo docente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciana Galdino, UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPIRITO SANTO PREFEITURA MUNICIPAL DE SERRA-ES

LUCIANA GALDINO é Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória-ES. Integrante do Grupo de Pesquisa Formação e Atuação de Educadores. Professora e Pedagoga da Rede Municipal da Serra-ES. Professora da Rede Doctum- Ensino Superior. E-mail: lupapoula@hotmail.com

Valdete Côco, UNIVERSIDADE Federal DO ESPIRITO SANTO- UFES

VALDETE CÔCO é Doutora em Educação pela Universidade Federal Fluminense. Professora no Departamento de Linguagens, Cultura e Educação; no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória-ES. Coordenadora do Grupo de Pesquisa Formação e Atuação de Educadores. Tutora do Programa de Educação Tutorial Conexões de Saberes: Projeto Educação. Coordenadora do GT07: Educação de crianças de 0 a 6 anos, da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (ANPEd) (2016-2017). E-mail: valdetecoco@hotmail.com

Referências

BAKHTIN, M. M. Estética da criação verbal. 6ª ed. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2011.

BRASIL. Presidência da República. Emenda Constitucional nº 95/2016. Disponível em: <https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/Emendas/Emc/emc95.htm>. Acesso em: 05 jan. 2017.

______. Lei n.13.005/2014. Aprova o Plano Nacional de Educação – PNE e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF., 26 jun 2014. Disponível em: <https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l13005.htm>. Acesso em: 01 mar. 2015.

______. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução CEB n. 05/2009. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 18 dez. 2009. Seção 1, p. 18. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=12579%3Aeducacao-infantil&Itemid=859 >. Acesso em: 05 nov. 2014.

______. Lei nº 11.494/2007. Regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação – FUNDEB. Diário Oficial da União, Brasília, 14 nov. 2007. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/lei/l11494.htm>. Acesso em: 05 nov. 2014.

______. Ministério da Educação/Secretaria de Educação Básica (MEC/SEB). Parâmetros Nacionais de Qualidade para a Educação Infantil. Volume 1, Brasília, 2006. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/>. Acesso em: 26 out. 2017.

______. Ministério da Educação. Lei nº 9.394/96. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm>. Acesso em: 10 jul. 2010.

______. Presidência da República. Constituição da República Federativa do Brasil (1988). Brasília, DF. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado.htm>. Acesso em: 05 nov. 2014.

CAMPOS, M. M. (coord). A gestão da Educação Infantil no Brasil: Relatório de pesquisa. São Paulo: Fundação Carlos Chagas e pela Fundação Victor Civita, 2012. Disponível em: <http://www.fvc.org.br/estudos-epesquisas/2011/pdf/relatoriofinaleducacaoinfantil.pdf.>Acesso em: 23 nov. 2014.

______. A gestão da Educação Infantil no Brasil: O perfil das equipes gestoras de unidades municipais e conveniadas. São Paulo: Fundação Victor Civita, 2011. Disponível em: <http://www.fvc.org.br/estudos-e-pesquisas/2011/gestao-educacao-infantil-brasil-728407.shtml?page=3>. Acesso em: 23 nov. 2014.

CARVALHO, L. M. O Senhor Director: fragmentos de uma história de actores e práticas escolares em Portugal. Educação e Pesquisa. São Paulo, v. 26, n. 2, p. 31-49, jul./dez. 2000.

CÔCO, V. Trabalhador docente na educação infantil no Espírito Santo. In: FERREIRA, E. B; OLIVEIRA, D. A.; VIEIRA, L. F. (Orgs.). O trabalho docente na educação básica do Espírito Santo. Belo Horizonte: Fino Traço, 2012, p. 59-80.

CÔCO, V.; ALVES, K. K. Gestão da dinâmica institucional: aprendizagens formativas nos horários de entradas e saídas na Educação Infantil. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, v. 19, n. 1, p. 187-210, jan./mar.2017.

CÓSSIO, M. F. Gestão educacional e reinvenção da democracia: questões sobre regulação e emancipação. RBPAE, Goiás. v. 28, n. 1, p. 144-162, jan./abr. 2012.

FERREIRA, E. B; OLIVEIRA, D. A.; VIEIRA, L. F. (Orgs.). O trabalho docente na educação básica do Espírito Santo. Belo Horizonte: Fino Traço, 2012.

FERREIRA, E. B; VENTURIM, S; CÔCO, V. O trabalhador docente no Espírito Santo: aproximações gerais sobre o perfil e suas condições de trabalho. In: FERREIRA, E. B; OLIVEIRA, D. A.; VIEIRA, L. F. (Orgs.). O trabalho docente na educação básica do Espírito Santo. Belo Horizonte: Fino Traço, 2012, p. 19-38.

MONÇÃO, M. A. G. Gestão democrática na educação infantil: o compartilhamento da educação da criança pequena. 269 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

OLIVEIRA, Z. M. Currículo na educação infantil: dos conceitos teóricos à prática pedagógica. In: SANTOS, M. O; RIBEIRO, M. I. S. (Orgs.). Os desafios estão postos e o que estamos fazendo? Salvador: Sooffset, 2014, p. 187-194. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=36701-livro-proinfancia-bahia-mec-ufba-pdf&category_slug=marco-2016-pdf&Itemid=30192>. Acesso em: 21 jun. 2017.

OLIVEIRA, D. A. Nova gestão pública e governos democrático-populares: contradições entre a busca da eficiência e a ampliação do direito à educação. Educação & Sociedade. Campinas, v. 36, n. 132, p. 625-646, jul./set. 2015.

______. Os trabalhadores docentes no contexto de nova regulação educativa: análise da realidade brasileira. VII Seminário Redestrado – Nuevas Regulaciones em América Latina. Buenos Aires, p. 1-17, jul. 2008. Disponível em: <http://www.fae.ufmg.br/estrado/cdrom_seminario_2008/textos/ponencias/Ponencia%20Dalila%20Oliveira.pdf>. Acesso em: 05 nov. 2014.

______ . Regulação das políticas educacionais na América latina e suas conseqüências para os Trabalhadores docentes. Educação & Sociedade. Campinas, v. 26, n. 92, p. 753-775, Especial, out. 2005. Disponível em: <http://www.cedes.unicamp.br>. Acesso em: 21 jun. 2015.

______. A reestruturação do trabalho docente: Precarização e flexibilização. Educação & Sociedade. Campinas, v. 25, n. 89, p. 1127-1144, set./dez. 2004. Disponível em: <http://www.cedes.unicamp.br>. Acesso em: 05 nov. 2014.

PARO, V. H. Escritos sobre a educação. 1 ed. São Paulo: Xamã, 2001.

ROCHA, E. A. C. A Pesquisa em Educação Infantil no Brasil: trajetória recente e perspectivas de consolidação de uma pedagogia. Núcleo de Publicações, CED/UFSC, 1999 (Série tese: 2).

SOUZA, A. R. Os caminhos da produção científica sobre Gestão Escolar no Brasil (1981-2001). RBPAE, v. 22, n. 1, p. 13-39, jan./jun. 2006.

TOME, M. F. A educação infantil foi para a escola, e agora? Ensaio de uma teoria para a gestão institucional da educação infantil. 298 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-graduação em Educação da Faculdade de Filosofia e Ciências da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Marília, 2011.

VERGER, A.; NORMAND, R. Nueva gestión pública y educación: Elementos teóricos y conceptuales para el estúdio de um modelo de reforma educativa global. Educação & Sociedade. Campinas, v. 36, n. 132, jul./set. 2015.

WITTMANN, L. C.; GRACINDO, R. V. O Estado da Arte em Política e Gestão da Educação no Brasil (1991 a 1997). Brasília: MEC/Inep/Comped, 2001. Disponível em: <http://www.dominiopublico.gov.br/>. Acesso em: 21 jun. 2014.

Downloads

Publicado

2018-04-30

Como Citar

Galdino, L., & Côco, V. (2018). O trabalho dos gestores nas instituições de Educação Infantil. Revista Brasileira De Política E Administração Da Educação, 34(1), 289–309. https://doi.org/10.21573/vol34n12018.75993