Documentos de política científica e educacional: convergências em torno da educação básica

Autores

  • Adriano de Oliveira Rede Municipal de Ensino de Florianópolis
  • Lucídio Bianchetti Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

DOI:

https://doi.org/10.21573/vol33n12017.68640

Palavras-chave:

Formação inicial de pesquisadores, ICJ, educação básica.

Resumo

Com este texto analisamos as recomendações presentes nos Livros (´coloridos´) Verde, de 2001; Branco, de 2002; e Azul, de 2010, que tratam de Ciência, Tecnologia e Inovação (C,T&I), juntamente com o documento da UNESCO, Rumo às Sociedades do Conhecimento (2007). Estes convergem em relação à necessidade de que se desencadeie uma “revolução na educação básica”, via fortalecimento da educação científica. Nessa conjuntura o CNPq amplia a capilaridade do fomento à pesquisa por meio da Iniciação Científica Júnior (ICJ).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriano de Oliveira, Rede Municipal de Ensino de Florianópolis

Mestre (2003) e doutor (2015) em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina. Estágio doutoral no ICS/UMINHO (2013). Coordenador Pedagógico na Rede Municipal de Ensino de Florianópolis. Membro do Grupo de Estudos Trabalho e Conhecimento na Educação Superior (TRACES/UFSC/CNPq)

Lucídio Bianchetti, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Pedagogo (UPF/RS), Mestre em Educação (PUC-Rio) e Doutor em Educação: História, Política e Sociedade (PUC/SP). Estágio pós-doutoral (Universidade do Porto, PT). Professor (aposentado/voluntário) na Universidade Federal de Santa Catarina. Ex-Coordenador do PPGE/UFSC. Ex-vice-presidente da ANPEd. Pq 1B do CNPq.

Referências

BALL, S. J. Educação global S.A. Novas redes políticas e o imaginário neoliberal. Ponta Grossa: Editora UEPG, 2014.

BIANCHETTI, L.; QUARTIEIRO, E. M. Tecnologias digitais na pós-graduação: estratégias de incorporação no ensino e na orientação. Série-Estudos (PPGE/UCDB), Campo Grande, n. 32, p. 139-155, jul./dez. 2011.

BINDÉ, J. (Coor.). Rumo às sociedades do conhecimento: relatório mundial da UNESCO. Lisboa: UNESCO/Instituto Piaget, 2007.

BOTTOMORE, T. (Editor). Dicionário do pensamento marxista. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2001.

BRASIL/MCT/ABC. Livro verde de ciência tecnologia e inovação: desafio para a sociedade brasileira. Brasília: MCT, 2001.

BRASIL/MCT. Livro Branco: ciência, tecnologia e inovação. Brasília: MCT, 2002.

BRASIL/MCT/CGEE. Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação/Centro de Gestão e Estudos Estratégicos. Livro Azul: 4ª Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Sustentável. BrasíliA: MCT, 2010a.

______. Consolidação das Recomendações da 4ª Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Sustentável. Brasília: MEC, 2010b.

BRASIL/MEC. Lei n. 13.005, de 25 de junho de 2014. Diário Oficial da União, Ano CLI, n. 120-A, Brasília: Imprensa Nacional, 2014.

CURY, C. R. J. Sistema nacional de educação: desafio para uma educação igualitária e federativa. Educação & Sociedade, Campinas, vol. 29, n. 105, p. 1187-1229, set./dez. 2008.

DOURADO, L. F.; OLIVEIRA, L. F. de. A qualidade da educação: perspectivas e desafios. Cadernos Cedes, Campinas, v. 29, n. 78, p. 201-215, maio/ago. 2009.

FALLEIROS, I.; PRONKO, M. A.; OLIVEIRA, M. T. C. de. Fundamentos Históricos da formação/atuação dos intelectuais da nova pedagogia da hegemonia. In. NEVES, L. M.W. (Org.) A direita para o social e a esquerda para o capital. Intelectuais da nova pedagogia da hegemonia no Brasil. São Paulo, Xamã, 2010.

GENTILI, P. A. A. O discurso da “qualidade” como nova retórica conservadora no campo educacional. In: ______; SILVA, T. T. da (Org.). Neoliberalismo, qualidade total e educação. 4 ed. Petrópolis: Vozes, 1996. p. 111-177.

MARI, C. L. de. “Sociedade do Conhecimento” e Educação Superior na década de 1990: O Banco Mundial e a produção do desejo irrealizável de Midas. 2006. 265 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

MARTINS, A. S. A Educação Básica no século XXI: o projeto do organismo “Todos pela Educação”. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v. 4, n. 1, p. 21-28. Jan./jun., 2009.

MÉSZÁROS, I. O poder da ideologia. São Paulo: Boitempo, 2006.

MORAES, M. C. M. de. Recuo da Teoria. In: _____. (Org.). Iluminismo às avessas: produção de conhecimento e políticas de formação docente. Rio de Janeiro: DP&A, 2003. p. 151-167.

NOMA, A. K.; KOEPSEL, E. C. N.; CHILANTE, E. F. N. Trabalho e educação em documentos de políticas educacionais. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, número especial, p. 65-82, ago. 2010. Disponível em: <http://www.histedbr.fe.unicamp.br/revista/edicoes/38e/art05_38e.pdf>. Acesso em: 19 maio 2015.

OLIVEIRA, A. de. A Iniciação Científica Júnior (ICJ): aproximações da Educação Superior com a Educação Básica. 2015. 322 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2015.

RISTOFF, D; BIANCHETTI, L. A pós-graduação e suas interlocuções com a educação básica. (Des)encontros históricos e manutenção do apartheid socioeducacional. Avaliação. Revisa da Avaliação da Educação Superior. Campinas; Sorocaba, v. 17, n. 3, p. 767-806, nov. 2012.

SANTOS, S. A. dos. Mudanças na graduação na universidade pública: a nova prática da iniciação científica. 2013. 126 f. Tese (Doutorado em Educação) – Centro de Educação. Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2013.

SCHULTZ, T. W. Investiment in human capital. The American Economic Review, v. LI, n. 1, p. 1-17, march, 1961.

SHIROMA, E. O. O eufemismo da profissionalização. In: MORAES, M. C. M. de. (Org.). Iluminismo às avessas: produção de conhecimento e políticas de formação docente. Rio de Janeiro: DP&A, 2003. p. 61-79.

SILVEIRA, Z. S. Formação científica no nível médio de ensino: primeiras aproximações. Boletim Técnico Senac, Rio de Janeiro, v. 41, n. 1, p. 36-57, jan./abr. 2015.

Downloads

Publicado

2017-04-23

Como Citar

Oliveira, A. de, & Bianchetti, L. (2017). Documentos de política científica e educacional: convergências em torno da educação básica. Revista Brasileira De Política E Administração Da Educação, 33(1), 151–166. https://doi.org/10.21573/vol33n12017.68640