Repercussões das politicas educacionais na organização escolar: o fator tempo entre a autonomia e a regulação

Autores

  • Alice Miriam Happ Botler

DOI:

https://doi.org/10.21573/vol31n12015.58919

Palavras-chave:

Organização escolar, gestão da educação, tempo, racionalidade instrumental, racionalidade comunicativa.

Resumo

O artigo aborda o conflto existente entre as políticas educacionais e sua implementação nas escolas, haja vista a contradição entre a autonomia outorgada e a regulação. Considera que a escola é uma organização formal, instituída e instituinte, e desenvolve comportamento organizacional e valorativo que revela seu projeto político-pedagógico com racionalidade própria. O estudo de caso de tipo etnográfio numa escola pública auxilia a entender como esta contradição emerge na prática. Observa-se que a falta de tempo para o diálogo opõe-se aos objetivos das metas educacionais, o que limita mas não elimina o potencial crítico-argumentativo necessário à sua auto-proposição e auto-regulação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-09-30

Como Citar

Botler, A. M. H. (2015). Repercussões das politicas educacionais na organização escolar: o fator tempo entre a autonomia e a regulação. Revista Brasileira De Política E Administração Da Educação, 31(1), 107–124. https://doi.org/10.21573/vol31n12015.58919