Crises na educação, representação e formação de professor: uma contribuição do pensamento complexo na obra de Morin

Autores

  • Maria de Fátima de Andrade Ferreira Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB. Departamento de Ciências Humanas, Educação e Linguagem (DCHEL), do Programa de Pós -Graduação stricto sensu Mestrado em Ensino, Campus de Vitória da Conquista - BA (UESB) e do Programa de Pós-Graduação stricto sensu Mestrado em Relações Étnicas e Contemporaneidade (PPGREC), Campus de Jequié - BA (UESB). http://orcid.org/0000-0003-4094-6741
  • Cinthia Maria Seibert Santos Coordenadora Pedagógica da Prefeitura Municipal de Salvador. Professora do Centro Universitário Mauricio de Nassau. Colaboradora do Conselho Estadual de Educação - CEE Bahia para procedimentos de avaliação de cursos de graduação, da Rede SESI de Educação- consultora Ad hoc Seminário de Boas Práticas e da Pró-Reitoria de Extensão PROEX/UNEB em Comitês Internos de Avaliação de Projetos e Programas submetidos a editais próprios. Membro da Rede de Pesquisa Discursos, Representações e Violência na Escola, da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia- UESB e do Grupo de Pesquisa Formacce Infância, Linguagens e EJA- UNEB. http://orcid.org/0000-0002-9286-8485

DOI:

https://doi.org/10.21573/vol36n32020.104895

Palavras-chave:

Teoria da Complexidade, Teoria das Representações Sociais, Imaginário Social. Formação docente, Direitos à educação

Resumo

Este artigo é uma reflexão sobre crises na educação, representação e formação de professor, buscando destacar razões do mal-estar em tempos de crises contemporâneas e, de que modo as políticas públicas educacionais são implementadas nessa direção. Os desafios à formação docente são diversos, merecem tratamento rigoroso e devem fazer parte de discussões que nos retire da banalidade, autoritarismo, “achismos”, com que o conhecimento (MORIN, 2011; MOSCOVICI, 1978; CASTORIADIS, 2000) é tratado pela escola e setores responsáveis pela educação como direitos para todos brasileiros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria de Fátima de Andrade Ferreira, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB. Departamento de Ciências Humanas, Educação e Linguagem (DCHEL), do Programa de Pós -Graduação stricto sensu Mestrado em Ensino, Campus de Vitória da Conquista - BA (UESB) e do Programa de Pós-Graduação stricto sensu Mestrado em Relações Étnicas e Contemporaneidade (PPGREC), Campus de Jequié - BA (UESB).

Maria de Fátima de Andrade Ferreira

Pós-Doutorado em Antropologia Social pelo Programa de Pós-Graduação Multidisciplinar em Estudos Étnicos e Africanos, pelo Centro de Estudos Afro-Orientais, da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Doutorado em Educação pela UFBA, Professora Titular da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), Programa de Pós-Graduação em Ensino, (PPGEN), Campus de Vitória da Conquista; Programa de Pós-Graduação Mestrado em Relações Étnicas e Contemporaneidade (PPGREC), Campus de Jequié e do curso de Pós-Graduação Lato Sensu, Especialização em Relações Étnico Culturais e Diversidade. Coordena o Núcleo de Pesquisa e Extensão Gestão em Educação e Estudos Transdisciplinares (NUGEET) e Rede de Pesquisa Representações, Discursos e Violência na Escola - olhar, pensar e agir sobre a formação de valores, atitudes e permanência do aluno na sala de aula (UESB/FAPESB.

Cinthia Maria Seibert Santos, Coordenadora Pedagógica da Prefeitura Municipal de Salvador. Professora do Centro Universitário Mauricio de Nassau. Colaboradora do Conselho Estadual de Educação - CEE Bahia para procedimentos de avaliação de cursos de graduação, da Rede SESI de Educação- consultora Ad hoc Seminário de Boas Práticas e da Pró-Reitoria de Extensão PROEX/UNEB em Comitês Internos de Avaliação de Projetos e Programas submetidos a editais próprios. Membro da Rede de Pesquisa Discursos, Representações e Violência na Escola, da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia- UESB e do Grupo de Pesquisa Formacce Infância, Linguagens e EJA- UNEB.

Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade da Universidade do Estado da Bahia. Coordenadora Pedagógica da Prefeitura Municipal de Salvador. Professora do Centro Universitário Mauricio de Nassau. Colaboradora do Conselho Estadual de Educação - CEE Bahia para procedimentos de avaliação de cursos de graduação, da Rede SESI de Educação- consultora Ad hoc Seminário de Boas Práticas e da Pró-Reitoria de Extensão PROEX/UNEB em Comitês Internos de Avaliação de Projetos e Programas submetidos a editais próprios. Membro da Rede de Pesquisa Discursos, Representações e Violência na Escola, da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia- UESB e do Grupo de Pesquisa Formacce Infância, Linguagens e EJA- UNEB.

Referências

BACHELARD, Gaston. Ensaio sobre o conhecimento aproximado. Tradução Estela dos S. Abreu. Rio de Janeiro: Contraponto, 2004.

BACHELARD, Gaston. O novo espírito científico. Tradução Juvenal H. Júnior. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2000.

BUNGE, Mario. Dicionário de Filosofia. Tradução Gita K. Guinsburg. São Paulo: Perspectiva, 2002.

CANDAU, Vera Maria (Org.). Reinventar a escola. Petrópolis: Vozes, 2002.

CASTORIADIS, Cornelius. A instituição imaginária da sociedade. Tradução Guy Reynaud. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2000.

COELHO, Teixeira. Dicionário crítico de política cultural: cultura e imaginário. São Paulo: Iluminuras/FAPESP, 1999.

CUNHA, Maria Isabel da. O bom professor e sua prática. São Paulo: Papirus, 1989.

DURAND, Gilbert. As estruturas antropológicas do imaginário. Tradução Hélder Godinho. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. Tradução Luiz F. B. Neves. Rio de Janeiro: Florense Universitária, 2008.

GEERTZ, Clifford. Nova luz sobre a Antropologia. Tradução Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

MORIN, Edgar; VIVERET, Patrick. Como viver em tempo de crise? Tradução Clóvis Marques. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2013.

MORIN, Edgar. Introdução ao pensamento complexo. Tradução Eliane Lisboa. Porto Alegre: Sulina, 2011.

MORIN, Edgar. X da questão: o sujeito à flor da pele. Tradução Fátima Murad e Fernanda M. Machado. Porto Alegre: Artmed, 2003a.

MORIN, Edgar; WULF, Christoph. Planeta: a aventura desconhecida. Tradução Pedro Goergen. São Paulo: UNESP, 2003b.

MORIN, Edgar. Em busca dos fundamentos perdidos. Tradução Maria L. Rodrigues, Salma Tannus. Porto Alegre: Sulina, 2002.

MORIN, Edgar. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Tradução Eloá Jacobina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001a.

MORIN, Edgar (Org.). A religação dos saberes: O desafio do século XXI. Tradução Flávia Nascimento. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001b.

MORIN, Edgar. Os sete saberes necessários à educação do futuro. Tradução Catarina Eleonora F. da Silva, Jeanne Sawaya. São Paulo: Cortez; Brasília: UNESCO, 2000a.

MORIN, Edgar. Ciência com consciência. Tradução Maria D. Alexandre e Maria A. S. Dória. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2000b.

MORIN, Edgar. Meus demônios. Tradução Leneide Duarte e Clarisse Meireles. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2000c.

MORIN, Edgar; LE MOIGNE, Jean-Louis. A inteligência da complexidade. Tradução Nurimar M. Falci. São Paulo: Peirópolis, 2000d.

MORIN, Edgar. A noção de sujeito. In: SCHNITMAN, Dora Fried (Org.). Novos paradigmas, cultura e subjetividade. Tradução Jussara H. Rodrigues. Porto Alegre, RS: Artes Médicas, 1996. p. 45-58.

MORIN, Edgar et al. A decadência do futuro e a construção do presente. Florianópolis, SC: UFSC, 1993.

MORIN, Edgar. O método IV. As ideias: a sua natureza, vida, habitat e organização. Tradução Emílio C. Lima. Portugal:Europa-América, 1991a.

MORIN, Edgar. O problema epistemológico da complexidade. Portugal: Europa-América, 1991b.

MORIN, Edgar. O paradigma perdido: a natureza humana. Tradução Hermano Neves. Lisboa: Europa-América, 1988.

PETRAGLIA, Izabel Cristina. “Olhar sobre o olhar que olha”: complexidade, holística e educação. Petrópolis: Vozes, 2001.

SCHNITMAN, Dora Fried. Introdução: Ciência, cultura e subjetividade. In: SCHNITMAN, Dora Fried (Org.). Novos paradigmas, cultura e subjetividade. Tradução Jussara H. Rodrigues. Porto Alegre, RS: Artes Médicas, 1996. p. 9-21.

Downloads

Publicado

2020-11-12

Como Citar

Ferreira, M. de F. de A., & Santos, C. M. S. (2020). Crises na educação, representação e formação de professor: uma contribuição do pensamento complexo na obra de Morin. Revista Brasileira De Política E Administração Da Educação, 36(3), 1088–1107. https://doi.org/10.21573/vol36n32020.104895

Edição

Seção

Dossiê: Âmbito escolar e suas compreensões: políticas públicas e seus desdobramentos