O Museu Suape

Reflexões sobre a contramusealização dos acervos visuais

Autores

  • Júlia Morim UFPE
  • Alex Vailati Universidade Federal de Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.22456/1984-1191.133527

Palavras-chave:

Museu, Acervo, Suape, Porto, Visual

Resumo

A descoberta de um acervo de filmes em Super 8, gravados na década de 1970, que registram a construção do Porto de Suape, em Pernambuco, é o foco deste artigo. Esses filmes foram acidentalmente encontrados durante projetos de extensão direcionados à comunidade local, que havia sido afetada por um vazamento de óleo. Inicialmente destinado ao esquecimento, o acervo despertou a necessidade de preservação e divulgação de seu conteúdo. A digitalização das imagens e a criação de um museu experimental foi o caminho para torná-las acessíveis ao público. O Museu Suape emerge como uma contranarrativa, buscando resgatar e reinterpretar essas imagens em um contexto de reflexão sobre o presente e o futuro da região. Para a comunidade afetada pelas transformações e impactos da construção do Porto, o acervo representa memórias traumáticas. Por meio de uma abordagem colaborativa de musealização, busca-se construir novos significados a partir dessas imagens.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Júlia Morim, UFPE

Graduada em Ciências Sociais (UFPE), mestre em Antropologia (UFPE), especialista em Museus, Identidades e Comunidades (FUNDAJ), é doutoranda em Antropologia no PPGA/UFPE e vem atuando nas áreas de antropologia visual, patrimônio, memória e museus. É pesquisadora do Laboratório de Antropologia Visual (LAV/PPGA/UFPE) e do Observatório de Museus e Patrimônios Culturais (OBSERVAMUS/PPGA/UFPE). Integra a equipe que vem desenvolvendo a iniciativa Museu da Parteira e também a equipe do Museu Suape. 

Alex Vailati, Universidade Federal de Pernambuco

Alex Vailati é antropólogo e documentarista, professor do Departamento de Antropologia e Museologia e coordenador do Laboratório de Antropologia Visual. Coordena o projeto Museu Suape.

Referências

BRULON, Bruno; PEIXINHO, Lia Fernandes. Museologia experimental de imagens insubordinadas: a coleção fotográfica de Luiz Claudio da Silva no Museu das Remoções. Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material, São Paulo, v. 30, p. 1–32, dez. 2022. Disponível em: <https://www.revistas.usp.br/anaismp/article/view/195831>. Acesso em: 13 jun. 2023.

CARVALHO DA ROCHA, Ana Luiza; ECKERT, Cornelia. A preeminência da imagem e do imaginário nos jogos da memória coletiva em coleções etnográficas. Brasília, ABA Publicações, 2015.

CASTORIADIS, Cornelius. A Instituição Imaginária da Sociedade. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 2008.

CASTRO, Celso. Pesquisando em arquivos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2008.

CHAGAS, Mário. Imaginação museal e museologia social: frag-mentos. Lugar Comum – Estudos de mídia, cultura e democracia, Rio de Janeiro, n. 56, p. 133–150, 2020. Disponível em: <https://revistas.ufrj.br/index.php/lc/article/view/41602>. Acesso em: 13 jun. 2023.

Museus, memórias e movimentos sociais. Cadernos de Sociomuseologia, Lisboa, n. 41, p.05-16, 2011. Disponível em: <https://revistas.ulusofona.pt/index.php/cadernosociomuseologia/article/view/2654>. Acesso em: 20 jun. 2023.

CUNHA, Olívia Maria Gomes da. Do ponto de vista de quem? Diálogos, olhares e etnografias dos/nos arquivos. Revista Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v.2, n.36, p. 07-32, 2005. Disponível em: <https://periodicos.fgv.br/reh/article/view/2242>. Acesso em 23 ago. 2023.

DEBARY, Octave. Antropologia dos restos: da lixeira ao museu. 1. ed. Pelotas, UM2 Comunicação, 2017.

DERRIDA, Jaques. Mal de Arquivo: Uma Impressão Freudiana. Rio de Janeiro, Relume Dumará, 1995.

DESVALLÉES, André e MAIRESSE, François. Coleção. In: DESVALLÉES, André; MAIRESSE, François (Ed.) Conceitos-chaves de Museologia. São Paulo, Comitê Brasileiro do Conselho Internacional de Museus/Pinacoteca do Estado de São Paulo, 2013. p. 32-35.

GODINHO, Ana; MATEUS, Catarina; SIMÕES, Catarina; et al. Património científico colonial num tempo pós-colonial. As coleções antropológicas fotográficas do Instituto de Investigação Científica Tropical. Boletim ICOM Portugal, Lisboa, n. 17, p. 52–66, 2021. (As Coleções extra-europeias). Disponível em: <https://icom-portugal.org/wp-content/uploads/2022/01/boletim_ICOM_portugal_17_dez_2021-1.pdf>. Acesso em: 23 mai. 2023.

GOMES, Alexandre Oliveira e OLIVEIRA, Ana Amélia Rodrigues de. A construção social da memória e o processo de ressignificação dos objetos no espaço museológico. Museologia e Patrimônio, Rio de Janeiro, v.3, n.2, p.42-55, jul/dez 2010. Disponível em <http://revistamuseologiaepatrimonio.mast.br/index.php/ppgpmus/article/view/136/13>. Acesso em 23 ago. 2023.

HEITOR, Gleyce Kelly. Resistência e re-significação da luta pela cidade na experiência do Museu da Beira da Linha do Coque (PE). Revista Nava, Juiz de Fora, v. 3, n. 2, p. 115–134, 2018. Disponível em: <https://periodicos.ufjf.br/index.php/nava/article/view/27947>. Acesso em: 13 jun. 2023.

JOYNER, Ella. Holanda pede desculpas pelo papel no tráfico de escravos. DW Brasil, Amsterdã, 12 dez. 2022. Política. Disponível em: <https://www.dw.com/pt-br/holanda-pede-desculpas-pelo-papel-no-tr%C3%A1fico-de-escravos/a-64155939>. Acesso em: 23 mai. 2023.

KUMMELS, Ingrid; KOCH, Gisela Cánepa (Orgs.). Antropología y archivos en la era digital: usos emergentes de lo audiovisual. vol.1. Lima, Fondo Editorial de la PUCP, 2020.

LARKIN, Brian. Políticas e Poéticas da Infraestrutura. Revista AntHropológicas, Recife, v. 31, n. 2, p. 28-60, 2020. Disponível em: <https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaanthropologicas/article/view/249895>. Acesso em: 13 jun. 2023.

LARKIN, Brian. Promising Forms: The Political Aesthetics of Infrastructure. In: The promise of infrastructure. Durham, Duke University press, 2018. p. 175-202.

MBEMBE, Achille. O que fazer com as estátuas e os monumentos coloniais?. Revista Rosa, São Paulo, v. 2, n. 2, nov. 2020. Disponível em: <https://revistarosa.com/2/o-que-fazer-com-as-estatuas-e-os-monumentos-coloniais>. Acesso em: 13 jun. 2023.

______. On the Postcolony. First edition. Berkeley, University of California Press, 2001.

______. The Power of the Archive and its Limits. In: HAMILTON, Carolyn; HARRIS, Verne; TAYLOR, Jane; et al (Orgs.). Refiguring the Archive. Dordrecht, Springer Netherlands, 2002. p. 19–27. Disponível em: <https://doi.org/10.1007/978-94-010-0570-8_2>. Acesso em: 13 jun. 2023.

MORAES, Fabiana e ANJOS, Moacir. Derrubar monumentos, um ato de amor. Revista Rosa, São Paulo, v. 2, n. 2, 2020. Disponível em: <https://revistarosa.com/2/derrubar-monumentos-um-ato-de-amor>. Acesso em: 13 jun. 2023.

MOUTINHO, Mário e PRIMO, Judite. Acervos coloniais: para uma leitura crítica das heranças. Boletim ICOM Portugal, Lisboa, n. 17, p. 91–97, 2021. (As Coleções extra-europeias). Disponível em: <https://icom-portugal.org/wp-content/uploads/2022/01/boletim_ICOM_portugal_17_dez_2021-1.pdf>. Acesso em: 23 mai. 2023.

MUSEU Nacional de História Natural e da Ciência. O Impulso Fotográfico: (Des) Arrumar o arquivo colonial. Disponível em: <https://www.museus.ulisboa.pt/exposicao-impulso-fotografico>. Acesso em: 23 mai. 2023.

PALAVRAS ancestrais: uma história sobre o Acervo Nosso Sagrado. Ibirapitanga, Rio de Janeiro, 29 jan. 2021. Equidade Racial. Disponível em: <https://www.ibirapitanga.org.br/historias/palavras-ancestrais/>.

PHOTO Impulse. O Impulso Fotográfico: Medindo as Colónias e os Corpos Colonizados. O Arquivo Fotográfico e Fílmico das Missões Portuguesas de Geografia e Antropologia. Disponível em: <https://www.photoimpulse.fcsh.unl.pt/pt/inicio/>. Acesso em: 23 mai. 2023.

RIJKSMUSEUM. Rijksmuseum & Slavery. New light on the permanent collection. Disponível em: <https://www.rijksmuseum.nl/en/whats-on/exhibitions/past/rijksmuseum-and-slavery>. Acesso em: 23 mai. 2023.

SANSI, Roger. The anthropologist as curator. London: Routledge, 2019.

______. The artist and the stone: projeto, processo e valor na arte contemporânea: Tradução. GIS - Gesto, Imagem e Som - Revista de Antropologia, São Paulo, v. 5, n. 1, p. 338-360, ago. 2020. Disponível em: <https://www.revistas.usp.br/gis/article/view/171004>. Acesso em: 21 jun. 2023.

SCOTT, Russell Parry. Projetos de desenvolvimento e o disciplinamento de mulheres no tempo e no espaço. Cadernos Pagu, Campinas, n.52, p.e185204, jun. 2018. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/cpa/a/7xntVWLhZGBc93gKZcw4S6q/?format=html&lang=pt >. Acesso em: 20 jun. 2023.

STAR, Susan Leigh. A Etnografia da Infraestrutura. Revista AntHropológicas, Recife, v. 31, n. 2, p. 61-85, 2020 Disponível em: <https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaanthropologicas/article/view/249896>. Acesso em: 13 jun. 2023.

STEDELIJK Museum Alkmaar. Plantage Alkmaar. Alkmaar in Suriname 1745-heden. Disponível em: <https://stedelijkmuseumalkmaar.nl/nu-te-zien/archief/plantage-alkmaar-alkmaar-in-suriname-1745-heden>. Acesso em: 23 mai. 2023.

VAILATI, Alex. A imagem como eixo infraestrutural. Contato e exposição do Porto de Suape. Cadernos de Arte e Antropologia, Lisboa. No prelo.

VAILATI, Alex e GODIO, Matias. Reconfigurando o meio ambiente. Reflexões sobre migrações e disputas ambientais na ilha de Santa Catarina. Confluenze. Rivista di Studi Iberoamericani, v. 12, n. 1, p. 285–303, 2020. Disponível em: <https://confluenze.unibo.it/article/view/11345>. Acesso em: 13 jun. 2023.

VAILATI, Alex e VILLARREAL, Gabriela Zamorano (Orgs.). Ethnographies of “on demand” films: anthropological explorations of commissioned audiovisual productions. Cham, Switzerland, Palgrave Macmillan, 2021.

Downloads

Publicado

2023-10-07

Como Citar

MORIM, J.; VAILATI, A. O Museu Suape: Reflexões sobre a contramusealização dos acervos visuais. ILUMINURAS, Porto Alegre, v. 24, n. 65, p. 172–199, 2023. DOI: 10.22456/1984-1191.133527. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/iluminuras/article/view/133527. Acesso em: 23 fev. 2024.