A Edificação como Objeto Musealizável: Reflexões a partir da Casa Museu Eva Klabin

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22456/1984-1191.121223

Palavras-chave:

Casa-museu. Objeto musealizável. Musealização. Museália.

Resumo

Este artigo objetiva discutir sobre a musealidadedo patrimônio arquitetônico apresentado na forma de casa-museu, considerando-o objeto passível de se tornar museália. As referências que dão sustentabilidade a esta discussão transitam por conceitos da Museologia a respeito do que o objeto museal representa, sendo ele transmissor de significado e produtor de conhecimento. Já no campo da Antropologia, especialmente em sua vertente urbana, sustenta reflexões sobre o processo de musealização como resultado de relações sociais tecidas na cidade. É apresentado um estudo de caso, como exercício analítico sobre a Casa-Museu Eva Klabin, através de suas produções simbólicas e imagéticas que são formadas a partir da edificação, considerada como objeto musealizável. Assim, foi possível concluir que, para ser considerada museália, é fundamental que a casa-museu seja pensada na forma como é apropriada e representada perante a cidade, devido aos múltiplos olhares que o coletivo lança sobre o lugar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lizandra Caon Bittencourt, Federal do Rio Grande do Sul University

Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação - FABICO

Departamento das Ciências da Informação

Curso de Museologia

Alisson André Jesus de Almeida, Federal Rio Grande do Sul University

Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação - FABICO

Departamento das Ciências da Informação

Departamento de Pós Graduação PPGMusPa

Curso de Museologia

Luis Fernando Massoni, Federal Rio Grande do Sul University

Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação - FABICO

Departamento das Ciências da Informação

Curso de Biblioteconomia

Curso de Museologia

Referências

REFERÊNCIAS

AFONSO, M. M.; SERRES, J. C. P. Casa-museu, museu-casa ou casa histórica? uma controversa tipologia museal. Contribuiciones a las ciencias sociales, [S.l.], v. 11, nov. 2014.

BACHELARD, G. A filosofia do não/ O novo espírito científico/ A poética do espaço. Pensadores. Rio de Janeiro: Abril, 1979.

BARBOSA, P. E. Tempo: casa-museu e cidade. Tese (Doutorado em Arquitetura) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2020.

BRULON, B. Os objetos de museu, entre a classificação e devir. Informação e Sociedade: Estudos, João Pessoa, v. 25, n.1, p. 25-37, jan./abr. 2015.

CASA MUSEU EVA KLABIN. [S.l.], 2021. Disponível em: http://evaklabin.org.br/. Acesso em: 09 set. 2021.

DE CERTEAU, M. A invenção do cotidiano. Petrópolis: Vozes, 1994.

GABRIELE, M. C. F. L. Musealização do patrimônio arquitetônico: inclusão social, identidade e cidadania. Museu Vivo da Memória Candanga. Tese (Doutorado em Museologia), Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia, Lisboa, 2012.

GREGOROVÁ, A. La Muséologie: science ou seulement travail pratique du musée. MuWoP, n. 1, p. 19-21, 1980.

JODELET, D. A cidade e a memória. In: DEL RIO, V.; DUARTE, C. R. S.; REINGANTZ, P. A. (Org.). Projeto do lugar: a colaboração entre psicologia, arquitetura e urbanismo. Rio de Janeiro: Contra Capa, 2002. p. 31-43.

LAGOA RODRIGO DE FREITAS - História. [S.l.], 2021. Disponível em: http://www.marcillio.com/rio/enlagoar.html. Acesso em: 29 set 2021.

LINS, B. Casa Eva Klabin: o museu mais peculiar do Rio de Janeiro. Descobertas bárbaras. [s.l.], 2019. Disponível em: https://descobertasbarbaras.com.br/casa-eva-kablin-o-museu-mais-peculiar-do-rio-de-janeiro. Acesso em: 21 dez. 2021.

LOUREIRO, M. L. N. M.; LOUREIRO, J. M. M. Documento e musealização: entretecendo conceitos. Midas 1, online, p.1-11, 2013.

MAROEVIC, Ivo. O papel da musealidade na preservação da memória. In: CONGRESSO ANUAL DO ICOFOM, Paris, 1997.

MENSCH, P. V. Towards a methodology of museology. PhD Thesis, University of Zagreb. 1992.

NOGUEIRA, A. G. R. Inventários, espaço, memória e sensibilidades urbanas. Educar em Revista, Curitiba, n. 58, p. 37-53, out./dez. 2015.

OLIVEIRA, M. Casa – conceito. Archdaily. 2019. Disponível em: https://www.archdaily.com.br/br/920138/casa-nil-conceitos. Acesso em: 16 ago. 2021.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. Sensibilidades no tempo, tempo das sensibilidades. Nuevo Mundo Mundos Nuevos, [S.l.], 2005. Disponível em: http://journals.openedition.org/nuevomundo/229. Acesso em: 20 set. 2021.

DOSSE, F. O espaço habitado segundo Michel de Certeau, ArtCultura, Uberlândia, n. 9, jul.-dez. de 2004.

PONTE, A. M. T. Casas-museu em Portugal: teoria e prática. Dissertação (Mestrado em Museologia), Universidade do Porto, Porto, 2007.

SCARPELINE, R. Lugar de morada versus lugar de memória: a construção museológica de uma casa museu. Revista Musear, Ouro Preto, v. 1, n. 1, jun. 2012.

SILVEIRA, M. T. O museu casa como lugar da experiência do tempo: a questão do anacronismo e as poéticas da arte contemporânea. PÓS: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG, Belo Horizonte, v. 8, n. 16, nov. 2018.

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2022-04-28

Como Citar

BITTENCOURT, L. C.; DE ALMEIDA, A. A. J.; MASSONI, L. F. A Edificação como Objeto Musealizável: Reflexões a partir da Casa Museu Eva Klabin. ILUMINURAS, Porto Alegre, v. 23, n. 60, 2022. DOI: 10.22456/1984-1191.121223. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/iluminuras/article/view/121223. Acesso em: 30 set. 2022.