Corpogravura de um encontro em roda: entrelaçamentos entre gênero e deficiência visual

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22456/1984-1191.116367

Palavras-chave:

gênero, cegueira, imagem, ativismo.

Resumo

Este texto é um relato etnográfico de autoria compartilhada entre mulheres integrantes do Movimento Brasileiro de Mulheres Cegas e com Baixa Visão (MBMC) e a antropóloga Olivia von der Weid. Entrelaçamos aqui narrativas corporificadas sobre os modos singulares pelos quais a experiência de ser mulher com deficiência visual se expressa nos seus corpos e em suas vidas. Compreendendo que os vínculos e a conexão que se estabelece em roda com outras mulheres é um elo fundamental na composição do coletivo, integrantes do movimento partilham suas marcas e aquilo que inauguraram em si, seus modos de re-existir após as desestabilizações vividas em suas trajetórias de formação e empregabilidade. O trabalho foi facilitado por Olivia von der Weid, numa aposta metodológica que nasce da costura entre a antropologia e o campo artístico. Trazendo o corpo, os gestos e o movimento como elementos motivadores da troca e da produção de conhecimento, tratando a pele como um mapa das nossas experiências, vamos compondo aqui uma imagem viva de um acontecimento, uma corpogravura, com as palavras encarnadas de mulheres com deficiência visual e aquilo que reverberam.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2022-02-01

Como Citar

WEID, O. von der; DO SOCORRO MONTE DO VALE, G. M.; OLIVEIRA GONÇALVES, C. C.; DE CÁSSIA GUARANÁ BELLO, R. Corpogravura de um encontro em roda: entrelaçamentos entre gênero e deficiência visual. ILUMINURAS, Porto Alegre, v. 22, n. 59, 2022. DOI: 10.22456/1984-1191.116367. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/iluminuras/article/view/116367. Acesso em: 4 fev. 2023.

Edição

Seção

Relatos de Campo Etnográfico