COREOGRAFIAS E REGULAÇÕES DE GÊNERO DO CINEMA: Gestos modernos em Maurice e outros filmes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22456/1984-1191.116063

Palavras-chave:

Coreografia, Filmes de época, Homossexualidade, Branquitude, Gesto,

Resumo

O artigo discute o aspecto coreográfico dos filmes de época, tomando como fio condutor o filme Maurice (dir. James Ivory, 1987). A investigação aborda o cinema enquanto arte cinética e compreende o social a partir de regulações gestuais, debruçando-se sobre as possibilidades de abordar o meio cinematográfico enquanto tecnologia coreográfica. Assim, discute-se como filmes de época fabulam o passado gestualmente, a partir de teorias sobre nostalgia, coreografias sociais e de gênero. Neste processo, argumenta-se que tais filmes frequentemente frisam os gestos sociais, ao passo que projetam aspectos coreográficos do próprio meio fílmico amplamente. Enquadra-se predominantemente gestos constituídos a partir de regulações de gênero, inquirindo a construção da homossexualidade masculina moderna. Conclui-se que, teatralizando o sujeito moderno, tais filmes destacam o caráter regulado da gestualidade, tematizando possibilidades de desvio sexual e facilitando olhares inquisitivos sobre os gestos da branquitude.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniel Magalhães de Andrade Lima, Universidade Federal de Pernambuco

Mestre e Doutorando em Comunicação pelo PPGCOM - UFPE, na linha de Estética e culturas da imagem e do som.

Especialista em Sistema Laban/Bartenieff  de estudos do movimento pela Faculdade Angel Vianna (RJ).

Referências

AGAMBEN, Giorgio. Notas sobre o gesto. In. Artefilosofia, Ouro Preto, n. 4, p. 09-14, jan. 2008.

BRANNIGAN, Erin. Dancefilm – Choreography and the moving image. New York: Oxford University Press, 2011.

BUTLER, Judith. Corpos que importam – os limites discursivos do sexo. São Paulo: N-1, 2019.

DYER, Richard. The Culture of Queers. London: Taylor & Francis e-library, 2005. E-book.

______. White: essays on race and culture. London: Routledge, 2017. E-book.

FOSTER, Susan Leigh. Choreographies of gender. In. Signs. Vol. 24, No. 1, pp. 1-33. 1998

______. Choreographing empathy: kinesthesia in performance. New York: Routledge, 2011.E-book.

GALT, Rosalind. Pretty: Film theory, Aesthetics, and the History of the Troublesome Image. Camera Obscura, Durhan, 71, v. 24, n. 2, p. 1-41, 2009

HALPERIN, David. How to be gay. Cambridge: Massachusetts, 2012. E-book.

HEWITT, Andrew. Social Choreography – Ideology as performance in dance and everyday movement. Durham e Londres: Duke University Press, 2005.

HONG, Mary. Visualizing Interiors – The Language of Movement in the 2005 Film Pride and Prejudice. In. Genre, vol. 46, n. 3, p. 189-211. 2013

HOOKS, bell. Black Looks: race and representation. New York: Routledge, 1992.

LEPECKI, André. Coreopolítica e coreopolícia. In. ILHA, v. 13, n. 1, p. 41-60, jan/jun. (2011) 2012.

______. Exaurir a dança: performance e a política do movimento. São Paulo: Annablume, 2017.

MAUSS, Marcel. As técnicas do corpo. In. Mauss, M. Sociologia e antropologia. São Paulo: Ubu Editora, 2017. E-book.

MONK, Claire. Heritage Film Audiences 2.0: Period Films Audiences and Online Fan Cultures. In. Participations – jornal of Audience & Reception Studies, v. 8, n. 2, p. 431 – 477. 2011.

PEREZ, Juan Bernardo P. El coreógrafo-realizador y la fragmentacion Del Cuerpo em movimento dentro Del film de accióm y el film de danza. Tese (doutorado em artes). Departamento de Escultura, Universidade Politécnica de Valencia, 2006.

PRYSTHON, Ângela. Utopias da frivolidade – ensaios sobre cultura pop e cinema. Recife: Cesárea, 2014.

RUPRECHT, Lucia. Gestural Imaginaries – dance and cultural theory in the early twentieth century. New York: Oxford University Press, 2019. E-book.

SILVA, Priscila Elisabete da. O conceito de branquitude: reflexões para o campo de estudo. In. MULLER, Tânia; CARDOSO, Lourenço. BRANQUITUDE – estudos sobre a identidade branca no Brasil. Curitiba: Editora Appris, 2017. E-book.

SOUZA, José Ailson. L. de. E.M. Forster no cinema: questões de gênero e sexualidade nos filmes de James Ivory. Tese (Doutorado em Literatura e Cultura), Instituto de Letras, Universidade Federal da Bahia. Salvador. 2019.

STOVEL, Nora. “Will you dance?” Film adaptations of Pride and Prejudice. In. Persuasions on-line. V. 34, n. 1. 2013. Disponível em: http://www.jasna.org/persuasions/on-line/vol34no1/stovel.html. Acesso em: 23/12/2020.

VIDAL, Belen. Figuring the past – Period Film and Mannerist Aesthetic. Amsterdam: Amsterdam University Press, 2012.

Downloads

Publicado

2022-11-24

Como Citar

DE ANDRADE LIMA, D. M. COREOGRAFIAS E REGULAÇÕES DE GÊNERO DO CINEMA: Gestos modernos em Maurice e outros filmes. ILUMINURAS, Porto Alegre, v. 23, n. 62, 2022. DOI: 10.22456/1984-1191.116063. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/iluminuras/article/view/116063. Acesso em: 9 fev. 2023.