Ensaio sobre um mundo rural na Serra da Mantiqueira: Uma campesinidade viva no Bairro Peroba

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22456/1984-1191.103305

Palavras-chave:

Ruralidades, Serra da Mantiqueira, Configuração Rural, Peroba.

Resumo

Este ensaio fotográfico tem como cenário um bairro rural pertencente ao município de Itajubá, na Serra da Mantiqueira, no sul de Minas Gerais: o bairro Peroba. Trata-se de um tipo de localidade bastante comum em Minas Gerais, cujas caracterizações estão em torno de uma campesinidade que orienta trabalho, relação com a natureza e formação das famílias. As fotografias que contemplam este ensaio estão organizadas em sequência de apresentação, iniciando pelas fotos que revelam a configuração do bairro – relevo, casas, estradas, cercas e matas – diante o olhar de quem chega ao local pela primeira vez e, depois, lhe é apresentado a rotina deste universo – trabalho, convivência, festejos, costumes e a relação das pessoas com a natureza. Este ensaio objetiva destacar o sentimento de localidade e cooperação existentes como compartilhados no território rural, considerando uma estrutura fundamental da sociabilidade, que é formada pelo agrupamento de algumas ou muitas famílias, e vinculada pela convivência, pelas práticas de auxílio mútuo e por atividades lúdico-religiosas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ednilson Moisés de Lima e Silva, Universidade Federal de Itajubá

Graduado e licenciado em História pela Universidade Norte do Paraná (UNOPAR) e mestre em Desenvolvimento, Tecnologias e Sociedade (PPG-DTecS/UNIFEI), na área de concentração em Ciências Sociais, pela Universidade Federal de Itajubá. Durante a graduação, dedicou-se ao estudo sobre o ensino de História e as estratégias docentes para viabilizar o ensino e foi professor de História no ensino fundamental e médio pela Secretaria de Educação de Minas Gerais e na rede particular de educação de Itajubá/MG e Rio de Janeiro/RJ. Atualmente, dedica-se a entender como os ajustes, estratégias e acordos no uso e posse da terra contribuem para o desenvolvimento rural no Sul de Minas, bem como as transformações econômicas, sociais e culturais do espaço rural. É membro do Núcleo Travessia (Núcleo de Pesquisa, Extensão e Apoio à Agricultura Familiar e Desenvolvimento Rural) onde estuda temas relacionados ao desenvolvimento rural, agricultura familiar, herança no meio rural, extensão universitária, configuração rural e questão agrária. Atua principalmente nos seguintes temas: história, memória, desenvolvimento rural, agricultura familiar, extensão rural e ensino.

Viviane Guimarães Pareira, Universidade Federal de Itajubá

Graduada em Ciências Econômicas pela Universidade Federal de Viçosa (1998), mestra em Extensão Rural pela Universidade Federal de Viçosa (2002) e doutora em Administração na linha de Desenvolvimento, Gestão Social e Ambiente pela Universidade Federal de Lavras (2012). Trabalhou como assessora técnica e política às organizações de trabalhadores rurais no sul e sudeste do Maranhão. No Vale do Jequitinhonha (MG) atuou como assessora aos atingidos por barragens e na articulação de políticas públicas para o desenvolvimento da agricultura familiar. Atualmente é professora Adjunta II na Universidade Federal de Itajubá, onde leciona a disciplina de Economia para os cursos de engenharias. Participa do Programa de Mestrado em Desenvolvimento, Tecnologias e Sociedade (DTecS/UNIFEI), orientando alunos nos temas de agricultura familiar e desenvolvimento rural. Coordena o Núcleo Travessia - Núcleo de Estudos em Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar. Atua principalmente nos seguintes temas: desenvolvimento rural, agricultura familiar, extensão rural.

Tayrine Parreira Brito, Universidade Estadual de Campinas

Gestora Ambiental pelo IFSULDEMINAS - Câmpus Inconfidentes, Mestra em Desenvolvimento, Tecnologias e Sociedade pela Universidade Federal de Itajubá e Doutoranda em Engenharia Agrícola na Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP. Faz parte do Núcleo Travessia (Núcleo de Pesquisa, Extensão e Apoio à Agricultura Familiar e Desenvolvimento Rural). Atuou como assessora da Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares de Itajubá (INTECOOP) e agente extensionista do PNAE no CECANE IFSULDEMINAS. As principais áreas de interesse são: agroecologia, agricultura familiar e políticas públicas de desenvolvimento rural.

Samanta Borges Pereira, Universidade Federal de Lavras

Doutoranda em Administração, na linha Organizações, Gestão e Sociedade, pela Universidade Federal de Lavras (UFLA, 2018). Investiga as estratégias de resistência das mulheres do Congado do Sul de Minas, da perspectiva do feminismo decolonial. Mestre em Desenvolvimento, Tecnologias e Sociedade, na linha Desenvolvimento e Tecnologias, pela Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI, 2016). Foi bolsista de Mestrado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). MBA pela Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI, 2012). Graduada em Administração pela Universidade Federal de Viçosa (UFV, 2005). Atuou em Gestão de Compras, Gestão de TI e Gestão de Operações (2006-2014). Participa de pesquisas no campo dos Estudos Organizacionais e Desenvolvimento Rural. Membro do LETRA - Laboratório de Estudos Transdisciplinares - e Núcleo Travessia - Núcleo de Pesquisa, Extensão e Apoio à Agricultura Familiar e Desenvolvimento Rural.

Referências

CÂNDIDO. Antônio. Os parceiros do Rio Bonito: estudo sobre o caipira paulista e a transformação dos seus meios de vida. 1º ed. rev. São Paulo: Edusp, 1968.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA.. Pesquisa nacional por amostra de domicílios: síntese de indicadores 2015. Coordenação de Trabalho e Rendimento. Rio de Janeiro: IBGE, 2016. Disponível em: < https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv98887.pdf > Acesso em: 07 fev. 2020.

_______. Censo demográfico 1991: resultados do universo relativos às características da população e dos domicílios. Rio de Janeiro: IBGE, 1992. Disponível em: <https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/82/cd_1991_n1_caracteristicas_populacao_domicilios_br.pdf> Acesso em: 08 mar. 2020.

MINAS GERAIS, Lei Estadual Nº 336 de 27/12/1948. Estabelece a divisão administrativa e judiciária do Estado, a vigorar de 1º de janeiro de 1949 a 31 de dezembro de 1953, e dá outras providências. Disponível em: < https://www.almg.gov.br/consulte/legislacao/ completa/completa-nova-min.html?tipo=Lei&num=336&ano=1948> Acesso em: 08 mai. 2020.

MULLER, Nice Lecocq. Bairros Rurais do Município de Piracicaba/SP. Boletim Paulista de Geografia. São Paulo, n. 43, julho/1966, p. 83-130.

Downloads

Publicado

2020-09-30