v. 14 n. 21 (2019): O sujeito e a escritura: literatura, memória e imaginário nas literaturas em lingua portuguesa

					Visualizar v. 14 n. 21 (2019): O sujeito e a escritura: literatura, memória e imaginário nas literaturas em lingua portuguesa
Abrimos o dossiê com as Reflexões sobre a crítica pós-colonial e a questão da mestiçagem no romance Estação das chuvas, de José Eduardo Agualusa, de autoria do professor José Luís Giovanoni Fornos, em que apresenta conceitos e temas da chamada crítica pós-colonial, recorrendo aos seus principais estudiosos. Nessa ordem, o autor realiza uma análise da ficção de Agualusa, considerando o tema da miscigenação. Para tanto, retoma um capítulo do livro em que duas personagens discutem o papel da literatura e da negritude no contexto de resistência angolana ao colonialismo português. As conclusões do debate referendam os posicionamentos favoráveis das personagens de Agualusa em torno da mestiçagem como elemento significativo da democracia social. Na sequência, José Paulo Cruz Pereira, da Universidade do Algarve apresenta o estudo intitulado Mia Couto: Vinte e Zinco – ou “O Gozo da História” no qual debate as questões políticas e culturais relacionadas, não apenas à ditadura de Salazar e de Marcelo Caetano, mas também com o regime colonial português em Moçambique. Partindo de uma análise das implicações do título, nela se examinam, com particular atenção, não apenas a modelação das personagens mais diretamente afetadas pelo poder instituído, mas também a daquelas mais próximas da instância da escrita.
Publicado: 2019-07-08

Apresentação