Cabaré, carnavandalização e festa: o Teatro171 na Zona Leste de Belo Horizonte (MG)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22456/2236-3254.135462

Resumo

Este artigo analisa práticas de criação artística de cabaré, perpassando por teóricos latino-americanos que abordam tal temática, como a autora Christina Streva (2017). O objetivo foi identificar o fenômeno da junção entre arte, festa, ativismo e demais ações realizadas em diferentes frentes no cenário artístico de Belo Horizonte (MG), tais como o Teatro171, parte central do objeto desta análise. Para isso, este trabalho trouxe os conceitos de Ileana Diéguez Caballero (2011) acerca de liminaridade e de communitas, bem como o termo de carnavandalização, neologismo que parte da contração da ideia de carnavalização vândala, usando aqui o vandalismo como um ato simbólico de destruição de monumentos, paradigmas e tabus. Com isso, tais aproximações conceituais buscam criar maior embasamento para as investigações de artistas que se aventuram em ações fora do eixo mercadológico mineiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelo Rocco , Universidade Federal de Ouro Preto – UFOP, Ouro Preto/MG, Brasil

Marcelo Rocco (Marcelo Eduardo Rocco de Gasperi) é professor Adjunto IV da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) - Áreas de Licenciatura e de Bacharelado em Teatro, fixado no Departamento de Artes Cênicas (DEART). Atualmente é presidente do colegiado de Licenciatura (DEART). É coordenador do subprojeto PIBID-Artes (UFOP) desde 2018. É professor, orientador e membro do colegiado no PPGAC (UFOP). Foi professor, orientador e membro do PPGAC (UFSJ) de 2017 até 2020. Orienta trabalhos de conclusão de curso nas áreas de Licenciatura e de Bacharelado (DEART). De 2013 até 2018 foi coordenador do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID), no subprojeto Teatro (UFSJ). De 2013 até 2014 foi coordenador do programa de extensão Teatro, Memória e Patrimônio Cultural (UFSJ). É coordenador do grupo de pesquisa Transeuntes - Estudos sobre performance (UFSJ), cadastrado pelo CNPq. De 2012 até 2018 foi orientador de Trabalhos de Conclusão e Curso (TCC) (UFSJ) nas áreas de Licenciatura e de Bacharelado. De 2012 até 2018 foi orientador acadêmico (UFSJ). Desde 2012 é membro do grupo de pesquisa do Laboratório de Improvisação e Dramaturgia (LADI), pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Desde 2013 é membro do grupo de pesquisa cênica HÍBRIDA - poéticas híbridas da cena contemporânea (CNPq). De 2017 até 2018 foi vice coordenador do curso de Teatro (UFSJ). Em 2018 foi chefe de departamento (DELAC-UFSJ). Como formação é Doutor em Artes pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Mestre em Artes pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) 2008. Especialista em Pós-Graduação/ Latu Sensu em Pesquisa em Arte e Cultura, na Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG) - Escola Guignard, 2008. Graduado em Direção Teatral pela Universidade Federal de Ouro Preto, em 2006. Graduado em Licenciatura em Artes Cênicas pela Universidade Federal de Ouro Preto, em 2006.

Marina Viana, Universidade Federal de Ouro Preto – UFOP, Ouro Preto/MG, Brasil

Marina Viana é Mestra em Artes Cênicas (PPGAC -UFOP). Atriz, dramaturga e diretora teatral graduada no curso de Artes Cênicas da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com habilitações em Licenciatura e Bacharelado em Interpretação Teatral desde 2005. É integrante dos Grupos: Mayombe Grupo de Teatro, Teatro 171, Cia Primeira Campainha, e é colaboradora de varios outros coletivos da cidade de Belo Horizonte (MG).

Downloads

Publicado

2024-01-22

Como Citar

Rocco , M., & Pereira , M. V. (2024). Cabaré, carnavandalização e festa: o Teatro171 na Zona Leste de Belo Horizonte (MG). Cena, 42(1), 01–11. https://doi.org/10.22456/2236-3254.135462