Da relevância do nó fonologia na morfologia relacional

Evidências do português

Autores

  • Carlos Alexandre Victorio Gonçalves Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.22456/2236-6385.129613

Resumo

Neste artigo, além de apresentar um novo modelo de orientação construcionista, pretendemos demonstrar a relevância do nó FONOLOGIA em processos morfológicos do português, como a alternância vocálica (‘form[o]so’/ ’form[Ɔ]sa’), a mudança de acento como sinalizador de classe (‘fábrica’/‘fabrica’) e a epêntese consonantal entre base e sufixo (‘cafezal’, ‘movediço’). Nossa meta é divulgar esse modelo, surgido da parceria entre um eminente linguista, Ray Jackendoff, e uma importante morfóloga na atualidade, Jenny Audring. Mais do que isso, trazemos evidências do português para o modelo, ao destacarmos que os nós existentes nas construções linguísticas são relacionados, mas independentes, e constatarmos a importância da relação entre esquemas irmãos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Alexandre Victorio Gonçalves, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutor em Linguística, Pesquisador I  do CNPQ. Professor Associado IV.

Downloads

Publicado

2023-10-05

Como Citar

GONÇALVES, C. . A. V. Da relevância do nó fonologia na morfologia relacional: Evidências do português. Cadernos do IL, [S. l.], n. 65, p. 82–112, 2023. DOI: 10.22456/2236-6385.129613. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/cadernosdoil/article/view/129613. Acesso em: 26 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos de estudos linguísticos