Imagem e representação em <i>O corpo interminável</i>, de Claudia Lage

Autores

  • Barbara Faria Tofoli Universidade Federal do Espírito Santo
  • Nelson Martinelli Filho Instituto Federal do Espírito Santom Programa de Mestrado Profissional em Letras, Programa de Pós-graduação em Ensino de Humanidades

DOI:

https://doi.org/10.22456/2236-6385.127877

Resumo

O romance O corpo interminável, de Claudia Lage, relata a história de Daniel em busca de suas origens e da reconstituição da vida de sua mãe, Julia, desaparecida durante a ditadura militar brasileira. Em meio à narração, o interesse pela imagem se evidencia na busca por fotografias da mãe e na tentativa de conceber uma figura que a represente. Neste artigo, discorremos sobre a obra partindo de uma análise da representação imagética na narrativa, com foco nas imagens fantasiosas criadas por Daniel a respeito de sua mãe, em diálogo com postulados da psicanálise. Para tanto, recorremos a retores antigos como Aristóteles, Cícero e Quintiliano, e ainda a autores como Adorno, Didi-Huberman, Freud, Lacan e Ricoeur.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2023-07-17

Como Citar

TOFOLI, B. F.; MARTINELLI FILHO, N. Imagem e representação em <i>O corpo interminável</i>, de Claudia Lage. Cadernos do IL, [S. l.], n. 64, p. 104–119, 2023. DOI: 10.22456/2236-6385.127877. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/cadernosdoil/article/view/127877. Acesso em: 21 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos de estudos literários