Perdendo a cabeça: notas sobre a ira insana e a loucura furiosa no Ocidente medieval (XIII-XV)

Autores

  • Rodrigo Moraes Alberto Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

Palavras-chave:

Ira, Loucura, Amor Cortesão, Iconografia, Cavalaria

Resumo

No período medieval, ira e loucura aparecem, freqüentemente, associadas. Atos descontrolados, onde a cólera toma conta do ser, de bravura furiosa, insanos, podem ser relacionados à loucura por seu caráter de afastamento da razão. Em contraponto, o louco, frenético, possuído, furioso, pelas suas ações, é tomado de acessos de ira. Loucura e ira são, portanto, muito próximas. Pela ambigüidade concernente a ambas e pelas características semelhantes, suas fronteiras nunca estiveram claramente delineadas. Pensamentos e concepções do mundo medieval sobre atos de cólera e distúrbios mentais estão presentes em romances, tratados doutrinários, e outros documentos escritos, assim como na iconografia. Este breve estudo pretende debruçar-se sobre a loucura e a ira, tentando perceber onde os conceitos se aproximavam no universo do homem medieval dos séculos XIII ao XV.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo Moraes Alberto, Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

Graduando do curso de História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Downloads

Publicado

2009-06-26

Como Citar

ALBERTO, R. M. Perdendo a cabeça: notas sobre a ira insana e a loucura furiosa no Ocidente medieval (XIII-XV). Revista Aedos, [S. l.], v. 2, n. 2, 2009. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/aedos/article/view/9860. Acesso em: 25 jun. 2022.