Transporte-maturação de oócitos bovinos em palhetas

Authors

  • Janaína Vanuci Tessman UFSM
  • Fabrício Desconzi Mozzaquatro UFSM
  • Lucio Pereira Rauber UFSM
  • Márcia Vendrusculo dos Santos UFSM
  • Ricardo Monteiro Chequim UFSM
  • Mari Lourdes Bernardi UFRGS
  • Carlos Antonio Mondino Silva UFSM
  • Mara Iolanda Batistella Rubin UFSM

DOI:

https://doi.org/10.22456/1679-9216.16894

Keywords:

Bovinos, Palhetas, Hepes, Transporte, PIV

Abstract

A demanda pela aspiração folicular associada à produção

 

in vitro de embriões, no Brasil, aumentou com o objetivo de acelerar o ganho genético do rebanho bovino. A técnica, no entanto, apresenta limitações, especialmente relacionadas ao tempo e às condições de transporte dos oócitos até o laboratório. Para avaliar o uso de palhetas de 0,25mL no transportematuração simulado, complexos cumulus-oócitos (CCO) de vacas de frigorífico foram maturados in vitro. No experimento I, efetuou-se a maturação em meio TCM-199, em placas de 4 poços, em estufa a 38,5°C, 5%CO2, por 24h (grupo controle) e em palhetas, em meio TCM-Hepes, mantidas por 6h em banho-maria (grupo BM) ou garrafa térmica (grupo T), a 38,5°C. Nestes dois grupos, a maturação foi completada em placas, por 18h, nas mesmas condições do grupo controle. No experimento II, simulouse o transporte em palhetas, em meio TCM-Hepes, a 38,5ºC, por 24h, em estufa (grupo palheta). O grupo controle foi semelhante ao do experimento I. A fecundação (=D0) foi efetuada em meio TALP-Fert, por 18h, e o cultivo foi efetuado em meio SOFaaci, por 8 dias, em ambos os experimentos. As taxas de blastocistos em D7, no experimento I, foram semelhantes (P>0,05) para os grupos controle (31%;97/312), BM (21%;64/301) e T (31%;94/298). No experimento II, não houve diferença (P>0,05) nas taxas de blastocistos em D7 entre os grupos controle (30%;44/145) e palheta (20%;29/139). O número de células dos blastocistos eclodidos não diferiu entre os grupos, em ambos os experimentos (P>0,05). As palhetas ofereceram condições seguras e práticas para o transporte-maturação de CCO em TCM-Hepes, em garrafa térmica a 38,5ºC, por 6h. Portanto, sua aplicação é possível nos programas de aspiração folicular e produção in vitro de embriões bovinos.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biographies

Janaína Vanuci Tessman, UFSM

Fabrício Desconzi Mozzaquatro, UFSM

 

 

Programa de Pós-graduação em Medicina Veterinária, UFSM, Santa Maria, RS.

Lucio Pereira Rauber, UFSM

 

 

Programa de Pós-graduação em Medicina Veterinária, UFSM, Santa Maria, RS.

Márcia Vendrusculo dos Santos, UFSM

Curso de Graduação em Medicina Veterinária, Bolsistas do PIBIC/CNPq/UFSM, Santa Maria, RS.

Ricardo Monteiro Chequim, UFSM

Curso de Graduação em Medicina Veterinária, Bolsistas do PIBIC/CNPq/UFSM, Santa Maria, RS.

Mari Lourdes Bernardi, UFRGS

 

 

Departamento de Zootecnica da Faculdade de Agronomia, UFRGS, Porto Alegre, RS.

Carlos Antonio Mondino Silva, UFSM

 

 

Embryolab – Departamento de Clínica de Grandes Animais, Centro de Ciências Rurais, UFSM

Mara Iolanda Batistella Rubin, UFSM

 

 

Embryolab – Departamento de Clínica de Grandes Animais, Centro de Ciências Rurais, UFSM

Published

2018-06-27

How to Cite

Tessman, J. V., Mozzaquatro, F. D., Rauber, L. P., Santos, M. V. dos, Chequim, R. M., Bernardi, M. L., Silva, C. A. M., & Rubin, M. I. B. (2018). Transporte-maturação de oócitos bovinos em palhetas. Acta Scientiae Veterinariae, 32(3), 177–184. https://doi.org/10.22456/1679-9216.16894

Issue

Section

Articles

Most read articles by the same author(s)

> >>