A preservação cultural sob a ótica do imaginário e da memória coletiva

Jeniffer Cuty

Resumo


Este ensaio tem como objetivo refletir conceitos trabalhados no âmbito dos estudos de imaginário e memória coletiva, a partir de uma leitura crítica da produção teórico-metodológica das antropólogas brasileiras Cornelia Eckert e Ana Luiza Carvalho da Rocha. Eckert & Rocha realizam pesquisa em Antropologia Urbana, Visual e do Imaginário, etnografando e interpretando o cotidiano dos habitantes de cidades no contexto das sociedades complexas. Como objeto de análise deste texto, tomo a leitura de dois artigos das autoras dedicados a refletir a preservação de bens culturais sob a ótica da dialética temporal e da pesquisa etnográfica, dos quais identifico referências à obra do filósofo francês Gilbert Durand, de Gaston Bachelard, Georg Simmel e Maurice Halbwachs.


Palavras-chave


preservação cultural, antropologia urbana, método etnográfico, imaginário e memória coletiva

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1984-1191.11829

Revista Iluminuras - Publicação Eletrônica do Banco de Imagens e Efeitos Visuais - BIEV/LAS/PPGAS/IFCH/UFRGS

E-ISSN 1984-1191