De Quantos Fios se Tece uma Vida? Vidas tecidas nas experiências de dor, do abandono e da esperança

Maria Isabel Silva Bezerra Linhares, Nadja Rinelle Oliveira de Almeida

Resumo


Resumo: Este artigo apresenta reflexões acerca das artesanias das pessoas em situação de rua na cidade de Sobral, no Ceará. Em nossas ações político-profissionais, apreendemos os significados da vida das pessoas em situação de rua em suas múltiplas manifestações, conhecendo os fios que unem suas histórias de vida, cada uma marcada pelos percalços de sua existência. Caminhamos apoiadas na pesquisa de caráter qualitativo com o uso de observações diretas e entrevistas. Tivemos como suporte teórico, autores como: Bauman (1998), Calvino (1990), Certeau (2013), Pais (2006-2013), dentre outros. Podemos concluir que as pessoas em situação de rua possuem percursos heterogêneos. Uns se habituaram a viver na rua, tomando-a como sua casa e espaço de sobrevivência. Outros a consideram um lugar provisório e de improvisos, visto que alimentam esperanças de (re) encontro com os seus familiares e com o seu trabalho digno. Fios de esperança que significam uma artesania de sonhos que produzem possibilidades de transformação.

Palavras-chave: Situação de rua. Cidade. Experiências. Abandono. Esperança

 

 

FROM HOW MANY THREADS A LIFE WOVEN?

STORIES OF PAIN, NEGLECT AND HOPE

 


Abstract: This article presents reflections about the handicrafts of homeless people in the city of Sobral, Ceará. In our political-professional actions, we've learned the meaning of homeless people's lives in its multiple manifestations, getting to know the threads that unite their life stories, each marked by the mishaps of their existence. We've walked supported by qualitative researching using direct observations and interviews. We've had authors as theoretical support such as: Bauman (1998), Calvino (1990), Certeau (2013), Pais (2006-2013), among others. We can conclude that homeless people follow heterogeneous paths. Some get used to live on the streets, taking it as their home and living space. Others consider it a temporary place to live and work, since they nurture hopes of meeting (again) with their families and a decent job. Threads of hope that mean a craftsmanship of dreams that create possibilities of transformation.

Keywords: Homeless. City. Stories. Neglect. Hope


Palavras-chave


Memória coletiva, Fenômeno urbano, Estudos Etnográficos, Sociedades complexas

Texto completo:

625-641 PDF

Referências


ADAD, Shara J. H. C. Corpos de Rua: cartografia dos saberes juvenis e o sociopoetizar dos desejos dos educadores. Fortaleza: Edições UFC, 2011.

ARENDT, Hannah. A Condição Humana. Rio de Janeiro: Editora Forense, 1987.

ARGAN, Giulio. História da Arte como história da cidade. São Paulo: Editora Martins Fontes, 1998.

BAUMAN, Zygmunt. O mal-estar da pós-modernidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998.

BARTHES, Roland. A aventura semiológica. Lisboa: Edições 70, 1987.

BOFF, Leonardo. Tempo de transcendência. Rio de Janeiro: Editora Sextante, 2000.

BRASIL, Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome – MDS. Política Nacional de inclusão social da população em situação de rua. 2008, 25p.

CALVINO, Ítalo. As cidades invisíveis. São Paulo: Editora Companhia das Letras, 1990.

CAMPOS, Ricardo. Identidade, imagem e representação na metrópole. In: CAMPOS, Ricardo (Orgs)., et al. Uma cidade de imagens. Lisboa: Editora Mundos Sociais, 2011. p. 15-30.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: 1. Artes de fazer. 20. ed. Tradução de Ephraim Ferreira Alves. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2013.

DELEUZE, Gilles. Conversações. Rio de Janeiro: Edições 34, 1992.

DEMO, Pedro. Pobreza da pobreza. Petrópolis: Editora Vozes, 2003.

DIÓGENES, Glória. Linguagens de rebeldia: nomadismo juvenil na cidade. Revista de Educação, v. 32, n° 127, abril/junho, 2003.

FRAYA, Frehse. “Usos da rua”. In: FORTUNA, Carlos; LEITE, Rogério Proença. (Orgs.). Plural de cidade: novos léxicos urbanos. Coimbra: Editora CES/Almedina, 2009.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. 17. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

FREITAS, Nilson A. Sobral: opulência e tradição. Sobral-CE: Edições UVA, 2000.

MARTINEZ, Mariana M. Andando e parando pelos trechos: uma etnografia das trajetórias de rua. 2011. 166 p. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) - Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2011.

MARTINS, José de S. A aparição do demônio na fábrica: origens sociais do Eu dividido no subúrbio operário. São Paulo: Editora 34, 2008.

PAIS, José M. Nos rastos da solidão: deambulações sociológicas. Porto, Portugal: Editora Ambar, 2006.

_________________. O cotidiano e a prática artesanal da pesquisa. Revista Brasileira de Sociologia –SBS, v. 1, n° 1, p. 107-128, jan/jul. 2013.

SILVA, Rita de C. O. Superar no movimento: etnografia de performances de Pirráias em Recife e mais além. (Tese) Programa de pós-graduação em Antropologia Social. Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Humanas. Florianópolis, 2008. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/91425. Acesso em: 11 abr. 2018.




DOI: https://doi.org/10.22456/1984-1191.103732

Revista Iluminuras - Publicação Eletrônica do Banco de Imagens e Efeitos Visuais - BIEV/LAS/PPGAS/IFCH/UFRGS

E-ISSN 1984-1191