A Cidade de Manaus a partir da Etnografia do Circuito do “RAP AM”

Rafael Branquinho Abdala Norberto

Resumo


Resumo: Levo a cabo neste artigo a proposta de apresentar a cidade de Manaus a partir da etnografia do circuito do “Rap AM” - como MCs/rappers, DJs, beatmakers e produtores musicais reconhecem o circuito da música Rap em Manaus -, trazendo interpretações e narrativas etnográficas fruto do encontro intersubjetivo com os colaboradores desta pesquisa de doutorado (2016-20) realizada em quase oito meses de trabalho de campo na referida metrópole amazônica. Parto do amparo teórico/teórico-metodológico interdisciplinar  (etnomusicologia/antropologia) através dos paradigmas da etnografia da música/etnografia urbana enfatizando três eixos centrais da pesquisa: 1. a cidade de Manaus a partir da lente do etnógrafo; 2. o olhar do “Rap de quebrada” e suas interpretações da cidade ao empregar as categorias “periferia”, “quebrada” e “favela”; 3. o olhar do “Rap regional” e a sua demanda por uma “Manaus étnica”. Ressalto as potencialidades desta etnografia ao propor outros olhares/escutas das/nas cidades amazônicas, ao passo que problematizo o imaginário comum em torno de uma Amazônia predominantemente “rural”.

Palavras-chave: Música Rap. Manaus. Amazônia Urbana. Etnomusicologia. Antropologia Urbana.

 

MANAUS (A METROPOLIS FROM AMAZON REGION, BRAZIL): PERSPECTIVES FROM THE ETHNOGRAPHY OF “RAP AM” CIRCUIT

 

Abstract: I present on this paper Manaus (a metropolis from Amazon region, Brazil) from the ethnography of “Rap AM” circuit - how MCs/rappers, DJs, beatmakers, and music producers recognize the Rap music circuit in Manaus -, bringing to light both interpretations and ethnographic narratives from the intersubjective encounter with collaborators of this PhD research (2016-20) carried out in almost eight months of fieldwork. I based myself in the interdisciplinary encounter of ethnomusicology and anthropology through the paradigms of music ethnography and urban ethnography. I emphasize the following issues throughout the paper: 1. Manaus city from the lens of the ethnographer; 2. "Ghetto Rap" subgenre and its interpretations of the city through categories such as “periphery” and “favela” ("slum area"); 3. “Regional Rap” subgenre and its demand for an “ethnic Manaus”. I underline potentialities of this ethnographic research for proposing other views and points of listening of and in Amazonian cities, and for problematize the common imaginary around a predominantly “rural” Amazon.

Keywords: Rap Music. Manaus City. Urban Amazon. Ethnomusicology. Urban Anthropology.


Palavras-chave


Música Rap; Manaus; Amazônia Urbana; Etnomusicologia; Antropologia Urbana

Texto completo:

75-115 PDF

Referências


BATISTA, Djalma. O complexo da Amazônia: análise do processo de desenvolvimento. 2. ed. Manaus, Editora Valer, Edua e Inpa, 2007.

BÉHAGUE, Gerard. Introduction. In: BÉHAGUE, Gerard (Ed.). Performance practice: ethnomusicological perspectives. London, Greenwood Press, 1984, p. 3-12.

BEMERGUY, Telma S. Antropologia em qual cidade? Ou por que a “Amazônia” não é lugar de “antropologia urbana”. Ponto Urbe: revista do núcleo de antropologia urbana da USP, São Paulo, n. 24, 2019. Disponível em: https://journals.openedition.org/pontourbe/6464. Acesso em: 28 mai. 2020.

BENCHIMOL, Samuel. Amazônia: formação social e cultural. 3. ed. Manaus, Editora Valer, 2009.

BONNETTE, Lakeyta M. Pulse of the people: political rap music and black politics. Philadelphia, University of Pennsylvania Press, 2015.

BROWDER, John; GODFREY, Brian. Cidades da floresta: urbanização, desenvolvimento e globalização na Amazônia Brasileira. Manaus, Editora da Universidade Federal do Amazonas (EDUA), 2006.

COSTA, Antonio M. D. Festa na cidade: o circuito bregueiro de Belém do Pará. 2. ed. Belém, EDUEPA, 2009.

COSTA, Noélio M. Essa música foi feita para mim! Relações amorosas, paixões e cotidiano presentes na música brega em Manaus. 2005. 154 p. Dissertação (Mestrado em Sociedade e Cultura na Amazônia), Programa de Pós-Graduação em Sociedade e Cultura na Amazônia, Instituto de Ciências Humanas e Letras, Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2005.

D’ANDREA, Tiarajú P. A formação dos sujeitos periféricos: cultura e política na periferia de São Paulo. 2013. 295 p. Tese (Doutorado em Sociologia). Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

ECKERT, Cornelia; ROCHA, Ana L. C. Etnografia de rua: estudo de antropologia urbana. Iluminuras, Porto Alegre, vol. 4, n. 7, 2003. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/iluminuras/article/view/9160/5258. Acesso em: 10 jun. 2019.

ECKERT, Cornelia; ROCHA, Ana L. C. Etnografia da duração: antropologia das memórias coletivas nas coleções etnográficas. Porto Alegre, Marcavisual, 2013.

ECKERT, Cornelia; ROCHA, Ana L. C. A preeminência da imagem e do imaginário nos jogos da memória coletiva em coleções etnográficas. Brasília, ABA, 2015.

FELD, Steven. Aesthetics as iconicity of style, or ‘Lift-up-over sounding’: getting into the Kaluli groove. Yearbook for traditional music, vol. 20, p. 74-113, 1988.

FONTANARI, Ivan P. Os DJs da perifa: música eletrônica, trajetórias e mediações culturais em São Paulo. Porto Alegre, Sulina, 2013.

GARCÍA CANCLINI, Néstor. Diferentes, desiguais e desconectados: mapas da interculturalidade. 3. ed. Rio de Janeiro, Editora UFRJ, 2015.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro, LTC, 1989 [1973].

GRAVANO, Ariel. Antropología de lo urbano. 2. ed. Buenos Aires, Café de las Ciudades, 2015.

GUERREIRO DO AMARAL, Paulo M. Estigma e cosmopolitismo na constituição de uma música popular urbana de periferia: etnografia da produção do tecnobrega em Belém do Pará. 2009. 244 p. Tese (Doutorado em Música), Programa de Pós-Graduação em Música, Instituto de Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009.

KEYES, Cheryl L. Rap music and street consciousness. Urbana/Chicago, University of Illinois Press, 2004.

LENA, Jennifer C. Social context and musical content of Rap music, 1979-1995. Social Forces, vol. 85, n. 1, p. 479-96, 2006.

LUCAS, Maria E. (Org.). Mixagens em campo: etnomusicologia, performance e diversidade musical. Porto Alegre, Marcavisual, 2013.

MAGNANI, José G. C. De perto e de dentro: notas para uma etnografia urbana. RBCS: revista brasileira de ciências sociais, São Paulo, vol. 17, n. 49, p. 11-29, jun. 2002.

MAGNANI, José G. C. A antropologia urbana e os desafios da metrópole. Tempo Social: revista de sociologia da USP, São Paulo, vol. 15, n. 1, p. 81-95, abr. 2003.

MAGNANI, José G. C. Introdução: circuitos de jovens. In: MAGNANI, José G. C. (Org.); SOUZA, Bruna M. (Org.). Jovens na metrópole: etnografias de circuito de lazer, encontro e sociabilidade. São Paulo, Editora Terceiro Nome, 2007, p. 15-22.

MAGNANI, José G. C. Da periferia ao centro: trajetórias de pesquisa em Antropologia Urbana. São Paulo, Editora Terceiro Nome, 2012.

MAGNANI, José G. C. O circuito: proposta de delimitação da categoria. Ponto Urbe: revista do núcleo de antropologia urbana da USP, São Paulo, n. 15, 2014. Disponível em: https://journals.openedition.org/pontourbe/2041. Acesso em: 10 jun. 2019.

MAGNANI, José G. C. Antropologia urbana: desafios e perspectivas. Revista de Antropologia da USP, São Paulo, vol. 59, n. 3, p. 174-203, 2016.

MASON, Kaley; WALKER, Margaret. Situating generational frictions in musical ethnography of South Asia. MUSICultures, vol. 44, n. 1, p. 1-17, 2017.

MERRIAM, Alan P. The anthropology of music. Evanston, Northwestern University Press, 1964.

MUNANGA, Kabengele. Rediscutindo a mestiçagem no Brasil: identidade nacional versus identidade negra. 5 ed. Belo Horizonte, Autêntica Editora, 2019.

NASCIMENTO, Abdias. O genocídio do negro brasileiro: processo de um racismo mascarado. 3 ed. São Paulo, Perspectivas, 2016.

NORBERTO, Rafael B. A. Músicos dos “beiradões” em Manaus? Migração, realidades socioculturais e desigualdade social. In: XI Reunión de Antropología del Mercosur (XI RAM), 11, 2015, Montevidéu. Actas de la XI RAM. Montevidéu: RAM, 2015. Disponível em: http://xiram.com.uy/actas-del-congreso/grupos-de-trabajo/ponencias-grupo-de-trabajo-29. Acesso em: 10 jun. 2019.

NORBERTO, Rafael B. A. Espaços, trânsitos e sociabilidades em performance na “música do Beiradão”: uma etnografia entre músicos amazonenses. 2016. 155 p. Dissertação (Mestrado em Música). Programa de Pós-Graduação em Música, Instituto de Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2016.

NORBERTO, Rafael B. A. Etnografando o circuito do “Rap AM”: outros olhares/escutas da/na cidade de Manaus. In: XIII Reunião de Antropologia do Mercosul (XIII RAM), 13, 2019, Porto Alegre. Anais eletrônicos. Porto Alegre: RAM, 2019. Disponível em: http://www.ram2019.sinteseeventos.com.br/site/anais2?AREA=15#php2go_top. Acesso em: 29 fev. 2020.

OLIVEIRA, José A. (Org.). Espaços urbanos na Amazônia: visões geográficas. Manaus, Editora Valer, 2011.

PARDUE, Derek. Ideologies of marginality in Brazilian Hip Hop. New York, Palgrave Macmillan, 2008.

PARDUE, Derek. Uma perspectiva marginal. Contemporânea, vol. 3, n. 2, p. 446-66, 2013.

PEIRANO, Mariza. A favor da etnografia. Rio de Janeiro, Relume-Dumará, 1995.

PEREIRA, José C. M. Indígenas na metrópole: lutas multiétnicas e identidade coletiva na cidade de Manaus (AM). Seropédica, UFRRJ, 2018. Disponível em: https://portal.ufrrj.br/wp-content/uploads/2018/06/Os-ind%C3%ADgenas-na-cidade-de-Manaus-Vers%C3%A3o-final.pdf. Acesso em: 18 fev. 2020.

RIBEIRO FILHO, Vitor. Novas centralidades em Manaus. In: Oliveira, José A. (Org.). Espaços urbanos na Amazônia: visões geográficas. Manaus, Editora Valer, 2011, p. 71-89.

ROSE, Tricia. Black noise: rap music and black culture in contemporary America. Hanover, Wesleyan University, 1994.

SANTOS, Glademir. Identidade étnica: os Sateré-Mawé no bairro Redenção, Manaus-AM. 2008. 196 p. Dissertação (Mestrado em Sociedade e Cultura na Amazônia). Programa de Pós-Graduação em Sociedade e Cultura na Amazônia, Instituto de Ciências Humanas e Letras, Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2008.

SEEGER, Anthony. Etnografia da música. Cadernos de Campo: revista dos alunos de pós-graduação em antropologia social da USP, São Paulo, vol. 17, n. 17, p. 237-259, 2008.

SEEGER, Anthony. Por que cantam os Kĩsêdjê: uma antropologia musical de um povo amazônico. São Paulo, Cosac Naify, 2015.

TODD TITON, Jeff. Knowing fieldwork. In: BARZ, Gregory (Ed.); COOLEY, Timothy J. (Ed.). Shadows in the field: new perspectives for fieldwork in ethnomusicology. 2. ed. New York, Oxford University Press, 2008, p. 25-41.

TODD TITON, Jeff (Ed.). Worlds of music: an introduction to the music of the world's people. 5. ed. Belmont, Schirmer, 2009.

TODD TITON, Jeff. Applied ethnomusicology: a descriptive and historical account. In: PETTAN, Svanibor (Ed.); TODD TITON, Jeff (Ed.). The Oxford Handbook of Applied Ethnomusicology. New York, Oxford University Press, 2015, p. 4-29.

TURINO, Thomas. Music as social life: the politics of participation. Chicago, Chicago University Press, 2008.

VELHO, Gilberto. Projeto e metamorfose: antropologia das sociedades complexas. 3. ed. Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 2003.

ZAMBIAZZI DOS SANTOS, Luana. “Todos na produção”: etnografia de narrativas sônicas e raps em espaços urbanos populares. Jundiaí, Paco Editorial, 2017.




DOI: https://doi.org/10.22456/1984-1191.103648

Revista Iluminuras - Publicação Eletrônica do Banco de Imagens e Efeitos Visuais - BIEV/LAS/PPGAS/IFCH/UFRGS

E-ISSN 1984-1191