Chamada de artigos: Segundo semestre de 2021 - Edição 59 da Revista Iluminuras

O presente dossiê resulta de uma parceria internacional tecida e cerzida no corpo e na alma das suas organizadoras arraigadas nos cruzamentos entre a sociologia e a antropologia. A sua temática ancora-se nas periferias urbanas e suas múltiplas práticas territoriais, considerando o tempo, o espaço, as redes sociais e os seus territórios de vida, no contexto urbano das grandes cidades contemporâneas. Nunca é demais reiterar que este diálogo acadêmico internacional aqui plasmado se assume como uma importante ponte para a aproximação de perspetivas epistemológicas produzidas nos diferentes contextos sobre a temática das periferias e sua interface com as políticas públicas de cada país/região e os modos de vinculação entre o Estado e as organizações sociais.

O objetivo deste dossiê é o de estabelecer uma análise multi-situada entre realidades sociais distintas no que se refere aos diferentes processos de configuração dos territórios metropolitanos nas cidades, em especial às formas do viver urbano da população das camadas mais vulneráveis da população nos diferentes contextos contemporâneos que estabelecem conflitos que dimensionam vida social nas modernas sociedades complexas (VELHO, 1979; 1989; 2004), em especial no que se refere aos novos arranjos territoriais das grandes metrópoles, dado o contexto de transformações socio espaciais, reconfigurando espaços e grupos sociais. As periferias urbanas tem sido objeto de múltiplas práticas territoriais. Ao abordar as diversas formas de habitar as cidades, privilegiam-se os processos sócio-histórico-culturais de construção de determinadas formas de habitar as cidades (favelas, periferias, subúrbios, vilas, bairros sociais, guetos, entre outros), assim como as formas de luta de seus moradores pelo direito à cidade e as representações impostas a estes espaços e suas populações pelos diferentes atores urbanos.

Procuramos experiências inscritas nos corpos e nas almas dos habitantes dessas periferias: “A sociologia deve esforçar-se para capturar e restituir essa dimensão carnal de existência (…) através de um trabalho metódico e minucioso de deteção e de registro, de descodificação e de escritura capaz de capturar e de transmitir o sabor e a dor da ação, o som e a fúria do mundo social que as abordagens estabelecidas das ciências do homem colocam tipicamente em surdina, quando não os suprimem completamente.” (WACQUANT, 2002, p. 11). Aqui, buscamos experiências que têm servido de inspiração para práticas políticas, culturais, territoriais e acadêmicas que conectam diversas formas de re-existências. Experiências que abordem as múltiplas forças estratégicas comunitárias de enfrentamento que se expressam nas periferias, assim como contribuições que afirmem a importância da atuação da sociedade civil frente à urgência de mobilização que impõe a atual conjuntura (GUERRA, 2012) frente aos efeitos das desigualdades sociais que consolidam uma mobilidade urbana das populações das camadas mais desfavorecidas, mobilidade esta repleta de simbolismos, enraizamentos e processos de territorialização, desterritorialização e re-territorialização (HAESBAERT, 2004, 2005).

Consideramos, sobretudo, contribuições pautadas na perspetiva democrática de superação dos desafios, respeito e defesa de direito à cidade. As contribuições dos artigos reunidos neste dossiê devem contemplar precisamente estes desafios, evidenciando as histórias, as representações, as imagens e as memórias destes territórios.

 

Referências

GUERRA, Paula (2012). Da exclusão social à inclusão social: eixos de uma mudança paradigmática. Revista Angolana de Sociologia, N.º 10, 91-110.

WACQUANT, Löic (2002). Corpo e Alma: notas etnográficas de um aprendiz de boxe. Rio de Janeiro: Relume Dumará.

 

 

Proponentes:

Paula Guerra, Universidade do Porto, Portugal: mariadeguerra@gmail.com

Ana Patrícia Barbosa, Universidade Luterana, Brasil: as.anapatricia@gmail.com

Ana Luiza Carvalho da Rocha, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Brasil e Feevale, Brasil: miriabilis@gmail.com

 

O prazo de envio é até 30 agosto de  2021. Esta publicação esta prevista para ser lançada em dezembro de 2021.

Os artigos deverão ser formatados com base nas Diretrizes para Autores disponíveis em: http://seer.ufrgs.br/index.php/iluminuras/about/submissions#authorGuidelines e submetidos em https://seer.ufrgs.br/iluminuras/about/submissions#onlineSubmissions.

Além do envio online, as colaborações devem ser enviados para a Revista Iluminuras <iluminuras@ufrgs.br> com cópia para os emails mariadeguerra@gmail.comas.anapatricia@gmail.com e miriabilis@gmail.com

Importante: É requerido que todas as submissões incluam o id ORCID (https://orcid.org) para cada um dos autores e coautores, tanto para os artigos como para as categorias de fluxo contínuo.