O DEBATE CONCEITUAL SOBRE RELIGIÕES “CÍVICA”, “CIVIL” E “PÚBLICA” PROPOSTO POR PAULA MONTERO E UMA REMISSÃO PARA O CASO DO BRASIL A PARTIR DE REFLEXÕES ANTERIORES DA AUTORA

Marcelo Camurça

Resumo


Este texto visa comentar o debate conceitual proposto por Paula Montero
em torno das noções “religião cívica”, “religião civil” e “religião pública” através de um experimento simples: o de cotejar suas afirmações com escritos anteriores da autora onde esta examina a questão da secularização, laicidade e presença pública da religião para o caso do Brasil. Busco apreciar a potencialidade destas noções defendida por Montero neste texto, articulando com a crítica recorrente da autora em seus textos mais empíricos sobre nosso país, dando conta das limitações do “paradigma weberiano da secularização” em termos da necessária privatização e separação rígida das esferas religiosas e seculares. Por fim detecto no debate, um estado de tensão que advém com a entrada da religião no espaço público: como um elemento positivo na configuração da sociedade civil e como um elemento de embaraço às regras clássicas da esfera pública. Isto pode ser contemplado na noção de “controvérsia” da qual Montero foi uma das pioneiras no emprego e desenvolvimento, aqui no Brasil.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-8136.88038



Direitos autorais 2018 Marcelo Camurça

Porto Alegre: UFRGS, IFCH, PPGAS, 1997 – Semestral - ISSN 1519-843X – ISSN 1982-8136 (eletrônico) Os conteúdos de Debates do NER estão licenciados em CC BY.