As ruínas urbanas de Daniel Galera

Leila Lehnen

Resumo


Este ensaio propõe examinar a cartografia da desilusão que transparece nas obras do escritor porto alegrense Daniel Galera. Se analisará dois dos seus romances, Mãos de cavalo (2006) e Meia-noite e vinte (2016). Em ambas obras encontramos protagonistas jovens e desiludidos, que transitam pelas ruas da capital gaúcha. Em ambos romances se pode ler este trânsito como uma metáfora de uma busca por um projeto de futuro – projeto este que não se cumpre de forma satisfatória. O tom melancólico dos dois romances sugere uma falta de horizontes utópicos tanto no plano pessoal, como no social e político. Para os protagonistas de ambos textos, a ideia de futuro se apresenta limitada, atrelada a uma cartografia urbana igualmente truncada tanto geográfica como simbolicamente. O ensaio propõe, portanto, a leitura do espaço urbano contemporâneo como o de uma territorialidade (Storey) da crise – do sujeito e do social.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2594-8962.94345

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Conexão Letras - Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Instituto de Letras

Av. Bento Gonçalves, 9500 - Bairro Agronomia

CEP: 91540-000

www.seer.ufrgs.br/conexaoletras

E-mail de contato: revistaconexao.letras@gmail.com