EDUCAÇÃO CORPORAL NA CULTURA MODERNISTA - LIBERDADE E MERCANTILIZAÇÃO

Kent Sjöström

Resumo


A prática do ator e o treinamento corporal durante o século XX estão especificamente relacionados não só com diferentes técnicas corporais, mas também com linguagem, sociedade moderna e o conceito de liberdade. O nacionalismo, o anti-intelectualismo, o purismo corporal e vitalista e a distância cética do projeto moderno no início do século XX servem de ponto de partida para uma discussão sobre o corpo do ator e o treinamento corporal. De um ponto de vista crítico, fenômenos como o orientalismo, o escapismo rural e a quantidade de técnicas corporais na formação dos atores na segunda metade do século XX são justapostos com retórica sobre a liberdade corporal e um consumismo de acordo com tendências no resto da vida da sociedade. O discurso em torno do conceito de liberdade corporal pode ser visto como um projeto disciplinar e uma mercantilização do corpo no mercado atual. Uma discussão contemporânea sobre identidades - como construções, autenticidade e pós-colonialismo - pode influenciar a educação dos atores e torná-la mais individualizada, mas também aumentar a consciência dos valores e relações de poder que estão em jogo quando se trabalha com diferentes técnicas corporais nessa educação.


Palavras-chave


Treinamento de Atores; Técnicas Corporais; Discursos Corporais; Orientalismo; Vanguarda; Modernismo

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2236-3254.70090





REVISTA CENA

Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas
Rua General Vitorino, 255
Centro - Porto Alegre - RS - 90020-171

  

revistacena@ufrgs.br
(51)3308.4380