O DIRETOR COMO ARTISTA RELACIONAL

Patricia Fagundes

Resumo


O trabalho reflete sobre o papel do diretor na cena contemporânea, considerando as tramas relacionais que marcam propostas artísticas e seus processos criativos. Se entendemos o teatro como um sistema de relações, o principal papel do diretor seria criar mecanismos provocadores de relações, no espetáculo e no processo de ensaios, redes de estímulos que incitem reações e combustões criativas. Em tempos de desejo de encontros, a função do diretor se potencializa como artista relacional, que compõe microterritórios de sociabilidade onde outros modos de relação e criação são possíveis. 


Palavras-chave


encenação: direção teatral: estética relacional: processo de ensaios

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2236-3254.61158





REVISTA CENA

Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas
Rua General Vitorino, 255
Centro - Porto Alegre - RS - 90020-171

  

revistacena@ufrgs.br
(51)3308.4380