O conceito da resistência na África Colonial: recompondo um paradigma

Felipe Paiva

Resumo


Este trabalho pretende analisar as tendências historiográficas que buscaram definir um conceito historiográfico para a resistência anticolonial africana. Intenta-se inicialmente compreender o surgimento dos estudos acerca da resistência africana, inserindo-os em seu devido contexto histórico. Posteriormente, apresentamos criticamente algumas ressalvas contemporâneas feitas a esse modelo. A última parte do trabalho é composta por uma proposta teórica própria para a resistência anticolonial africana.

Palavras-chave


África, Resistência, Historiografia, Colonialismo.

Texto completo:

PDF

Referências


BOAHEN, Albert Adu. “A África diante do desafio colonial” In BOAHEN, Albert Adu. (Edit.). História Geral da África – Vol. VII. África sob dominação colonial. São Paulo: Cortez, 2011a.

______________; GUEYE, M’Baye. “Iniciativas e resistência africanas na África ocidental, 1880 – 1914” In BOAHEN, Albert Adu. (Edit.). História Geral da África – Vol. VII. África sob dominação colonial. São Paulo: Cortez, 2011b.

BENJAMIN, Walter. “Sobre o conceito da História” In __________. O Anjo da História. São Paulo/Belo Horizonte: Autêntica, 2012.

CANETTI, Elias. Auto de fé. São Paulo: Cosac Naify, 2011.

COOPER, Frederick. Histórias de África. Capitalismo, Modernidade e Globalização. Lisboa: Edições 70, 2016.

CROWDER, Michael. West African resistance. Nova York: Africana Publishing Corporation, 1971.

DAVIDSON, Basil. “African resistance and rebellion against the imposition of colonial rule” In RANGER, Terence. (Edit.). Emerging themes in African History. Nairobi: East African Publishing House, 1968.

__________. Angola no centro do furacão. Lisboa: Delfos, 1974.

FANON, Frantz. “Les damnés de la terre” In __________. Oeuvres. Paris: La Découverte, 2011.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do Poder. São Paulo: 2009.

GAUTIER, Arlette. “Mulheres e colonialismo” In FERRO, Marc (Org.). O livro negro do colonialismo. Rio de Janeiro: Ediouro, 2004.

ISAACMAN, Allen. A Tradição de resistência em Moçambique. Porto: Afrontamento, 1979.

__________; VANSINA, Jan “Iniciativas e resistências africanas na África central, 1880 – 1914” In BOAHEN, Albert Adu. (Edit.). História Geral da África – Vol. VII. África sob dominação colonial. São Paulo: Cortez, 2011.

KABOU, Axelle. E se a África recusasse o desenvolvimento? Mangualde: Pedago, 2013.

KANE, Cheikh Hamidou. Aventura ambígua. São Paulo: Ática, 1984.

LAWRANCE, Benjamin N.; et al (Edit.). Intermediaries, interpreters and clerks. African employees in the making of colonial Africa. Madson: University of Wisconsin Press, 2006.

LUKÁCS, György. Prolegômenos para uma ontologia do ser social. São Paulo: Boitempo, 2010.

__________. Para uma ontologia do ser social. 2. Vols. São Paulo: Boitempo, 2012.

MAZRUI, Ali A. “Postlude: Toward a theory of protest” In __________; ROTBERG, Robert I. (Edits.), Protest and Power in Black Africa. Nova York: Oxford Univer. Press, 1970.

__________. “Procurai primeiramente o reino político” In MAZRUI, Ali; A. WONDJI, C. (Edits.). História Geral da África - Vol. VIII. África desde 1935. São Paulo: Cortez, 2012.

MWANZI, Henry A. “Iniciativas e resistência africanas na África oriental, 1880-1914” In BOAHEN, Albert Adu. (Edit.). História Geral da África – Vol. VII. África sob dominação colonial. São Paulo: Cortez, 2011.

ORTNER, Sherry B. “Resistance: some theoretical problems in Anthropological History and Historical Athropology” In MCDONALD, Terence J. (Edit.). The historic turn in the human sciences. Michigan: Michigan University Press, 1996.

POULANTZAS, Nicos. O Estado, o poder, o socialismo. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

RANGER, Terence. “Connections between ‘Primary Resistance’ Movements and Modern Mass Nationalism in East and Central Africa, Parts I & II” In MADDOX, Gregory. (Edit.). Conquest and resistance to colonialism in Africa. Nova York/Londres: Garland, 1993.

__________. “Iniciativas e resistência africanas em face da partilha e da conquista” In BOAHEN, Albert Adu. (Edit.). História Geral da África – Vol. VII. África sob dominação colonial. São Paulo: Cortez, 2011.

SAID, Edward W. El mundo, el texto y el crítico. Buenos Aires: Debate, 2004.

__________. Cultura e Imperialismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

SPIVAK, Gayatri Chakravorty. Pode o subalterno falar? Belo Horizonte: Editora

UFMG, 2012.

THOMPSON, E. P. A Miséria da Teoria. Rio de Janeiro: Zahar, 1981.

WHITE, Landeg; VAIL, Leroy. “Forms of resistance: songs and perceptions of power in colonial Mozambique” In CRUMMEY, Donald. (Edit.). Banditry, Rebelion and Social Protest in Africa. Londres: James Currey, 1986.

WITTGENSTEIN, Ludwig. Tratado Lógico-Filosófico. Investigações Filosóficas. Lisboa: Calouste Gulbenkian, 2008.




DOI: https://doi.org/10.22456/1983-201X.91094

Anos 90 - Revista do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul