Identidade e diversidade no contexto brasileiro: uma análise da parceria entre Estado e movimentos sociais LGBT de 2002 a 2015

Jamil Cabral Sierra

Resumo


Esse trabalho objetiva estudar os processos de constituição, no cenário brasileiro, da noção de diversidade sexual e de gênero, bem como de que maneira tal noção se associou às políticas identitárias das últimas décadas. Tento, dentro desse quadro analítico, problematizar o que chamo de parceriaentre Estado e os movimentos sociais, especialmente LGBT, de modo a caracterizar como essa relação tem produzido, ou pelo menos produziu nos últimos 13 anos, ao menos até o impeachment da Presidenta Dilma Rousseff, as formas atuais de governamento dos sujeitos LGBT. Por fim, a partir dos conceitos foucaultianos de governamentalidade e biopolítica, tento analisar algumas políticas públicas promovidas durante esse período, a fim depensar alguns marcos que instauram no Brasil os reclames de tolerância, sujeito de direito e inclusão e questionar as formas pelas quais têm sido operadas as tecnologias de captura e controle dos corpos, das práticas sexuais e dos prazeres.

Palavras-chave


Identidade. Diversidade. Parceria. Movimentos Sociais. Estado.

Texto completo:

PDF

Referências


CARRARA, Sérgio. Políticas e direitos sexuais no Brasil Contemporâneo. Bagoas, Natal, v. 4, n. 5, p.131-147, 2010.

DAL’LGNA, Maria Cláudia. Família S/A: um estudo sobre a parceria família-escola. Tese de Doutorado. Doutorado em Educação. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2011.

FACHINNI, Regina. Sopa de Letrinhas: movimento homossexual e produção de identidades coletivas nos anos 90. Rio de Janeiro. Garamond, 2005.

FOUCAULT, Michel. História da Sexualidade: a vontade de saber. V. 1. 14 ed. Rio de Janeiro: Graal, 2001.

FOUCAULT, Michel. Michel Foucault, uma entrevista: sexo, poder e a política da identidade. Revista Verve, 5, 2004. p. 260-277.

FOUCAULT, Michel. Nascimento da biopolítica. São Paulo: Martins Fontes, 2008a.

FOUCAULT, Michel. Segurança, território, população. São Paulo: Martins Fontes, 2008b.

GRENN, James N. Além do Carnaval. A homossexualidade masculina no Brasil do século XX. São Paulo: Editora UNESP, 2000.

HALPERIN, David. San Foucault. Para una hagiografia gay. Buenos Aires: El cuenco de Plata, 2007.

HALL, Stuart. A identidade Cultural na pós-modernidade. 5ed. Trad. de Tomaz Tadeu da Silva e Guacira Lopes Louro. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

LOPES, Maura Corcini.. Norma, inclusão e governamentalidade neoliberal. In: BRANCO, Guilherme Castelo; VEIGA-NETO, Alfredo. (Orgs.). Foucault: filosofia & política. Belo Horizonte: Autêntica, 2011.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. 2ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1998.

MACHADO, Cristina Gomes. Multiculturalismo. Muito além da riqueza e da diferença. Rio de Janeiro. DP&A, 2002.

MISKOLCI, Richard. Não somos, queremos – reflexões queer sobre a política sexual brasileira contemporânea. In: COLLING, Leandro. Stonewall 40 + o que no Brasil? Coleção Cult. Salvador: EDUFBA, 2011.

MISKOLCI, Richard. Teoria Queer: um aprendizado pelas diferenças. 2ed. Revista e ampliada. Belo Horizonte: Autêntica, 2012.

NUNAN, Adriana. Homossexualidade: do preconceito aos padrões de consumo. Rio de Janeiro: Caravansarai, 2003.

RUBIN, Gayle. Thinking sex. Notes for a radical theory of the politics of sexuality. In: ABELOVE, H.; BARALE, M. A.; HALPERIN, D. M. (ed.) The lesbian and gay studies reader. New York: Routledge, 1993; p. 03-44.

SEDGWICK, Eve Kosofsky. Epistemology of the closet. Berkeley: University of California Press, 1990.

AUTOR, 2013.

AUTOR, 2015.

SPARGO, Tamsim. Foucault e a Teoria Queer. Rio de Janeiro: Pazulin; Juiz de Fora: Ed. UFJF, 2006.

VEIGA-NETO, Alfredo. Incluir para excluir. In: LARROSA, Jorge; SKLIAR, Carlos. (Orgs.). Habitantes de Babel. Belo Horizonte: Autêntica, 2001. p. 105-118.

VEIGA-NETO, Alfredo. Coisas de governo... In: RAGO, Margareth. ORLANDI, Luiz B. Lacerda; VEIGA-NETO, Alfredo. (Orgs.). Imagens de Foucault e Deleuze. Ressonâncias nietzschianas. Rio de Janeiro. DP&A, 2002. p. 13-34.

VEIGA-NETO, Alfredo. É preciso ir aos porões. In: Revista Brasileira de Educação. v.17, n.50, maio –agosto de 2012. p.267-282




DOI: https://doi.org/10.22456/1983-201X.90616

Anos 90 - Revista do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul