A terceira geração de brasileiros em Lagos. Moisés da Rocha e as fissuras da dominação colonial

Angela Fileno da Silva

Resumo


Entre os anos de 1880 e 1890, a expansão colonial britânica em direção ao interior do continente teve como desdobramento novos arranjos em relação ao lugar político ocupado por alguns dos integrantes da chamada terceira geração de brasileiros estabelecida em Lagos. Este lugar político não foi unívoco, mas resultado de contextos históricos específicos. O presente artigo tem o propósito de refletir acerca das variações de posicionamentos políticos adotados pelos brasileiros estabelecidos em Lagos entre as décadas de 1880 e 1890. A ideia é pensar as dissensões existentes dentro do grupo quanto à atuação colonial britânica em Lagos e em territórios mais afastados do litoral. Para tanto, selecionei três títulos de periódicos capazes de fornecer pistas acerca dos arranjos operados em função dos novos contextos que se apresentavam. Os dois primeiros jornais eram editados por africanos, impressos em oficinas próprias e circularam ao longo do período que compreende o recorte temporal deste artigo (décadas de 1880 e 1890), são eles: Lagos Observer e Lagos Weekly Record. O terceiro periódico consistia numa publicação oficial do Colonial Office, a Government Gazette, cujas edições nos fornecem algumas informações acerca das ocupações de parte da comunidade brasileira.


Palavras-chave


História

Texto completo:

PDF

Referências


AMÓS, Alcione M. The Amaros and Agudás. The Afro-Brazilian Returnees Community in Nigeria in the Nineteenth Century. In: AFOLABI, Niyi; FALOLA, Toyin. The Yoruba in Brazil, Brazilians in Yorubaland. Cultural

Encounter, Resilience, and Hybridity in the Atlantic World. Durham: Carolina Academic Press, 2017.

AMÓS, Alcione M. Os que voltaram: a história dos retornados afro-brasileiros na África Ocidental no século XIX. Belo Horizonte: Tradição Planalto, 2007.

BHABHA, Homi. O local da cultura. 2. ed. Belo Horizonte: Humanitas; Editora UFMG, 2013.

BRITO, Luciana da Cruz. Sob o Rigor da Lei: africanos e africanas na legislação baiana (1830-1841). Dissertação (Mestrado em História Social) – IFCH, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2009.

COOPER, Frederick. Conflito e conexão: repensando a História Colonial da África. Anos 90, Porto Alegre, v. 15, n. 27, p. 21-73, jul. 2008.

CUNHA, Manuela Carneiro da. Negros, estrangeiros: os escravos libertos e sua volta à África. 2. ed. rev. e ampl. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

FALOLA, Toyin; HEATON, Matthew. A History of Nigeria. Cambridge: Cambridge University Press, 2008.

FRANÇA, Nara Muniz Improta. Producing Intellectuals: Lagosian Books and Pamphlets between 1874 and 1922. Sussex, UK: University of Sussex, 2013.

GILROY, Paul. O Atlântico negro: modernidade e dupla consciência. São Paulo; Rio de Janeiro: Ed. 34; Universidade Candido Mendes, Centro de Estudos Afro-Asiáticos, 2001.

LAW, Robin. A Comunidade brasileira de Uidá e os últimos anos do tráfico atlântico de escravos, 1850-66. Revista Afro-Ásia, n. 27, p. 41-77, 2002.

MANN, Kristin. Slavery and the Birth of an African City: Lagos, 1760-1900. Indiana: Indiana University Press, 2007.

M’BOKOLO, Elikia. África Negra: história e civilizações. Tomo II (do século XIX aos nossos dias). 2. ed. Lisboa: Colibri, 2011.

NEWBURY, C. W. British Policy towards West Africa. Select Documents, 1874-1914. London: Oxford University Press, 1971.

OLINTO, Antonio. Brasileiros na África. Rio de Janeiro: Editora GRD, 1975.

OTERO, Solimar. Afro-Cuban diasporas in the Atlantic world. Rochester: University of Rochester Press, 2010.

PARIS, Melanie. Repatriated Africans from Cuba and Brazil in nineteenth century Lagos. Tese (Mestrado em Artes) – The Ohio State University, Ohio, 1998.

Mary Louise. Os olhos do império: relatos de viagem e transculturação. Trad. Jézio Hernani Bonfim Gutierre. Bauru: EDUSC, 1999.

SAID, Edward W. Orientalismo: o Oriente como invenção do Ocidente. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

SAWADA, Nozomi. The educated elite and associational life in early Lagos newspapers: in search of unity for the progress of society. Tese (Doutorado em Filosofia) – Centre of West African Studies School of History and Cultures, College of Arts and Law, University of Birmingham, Birmingham, 2011.

SILVA, Alberto da Costa e. Um rio chamado Atlântico: a África no Brasil e o Brasil na África. Rio de Janeiro: Nova Fronteira; EdUERJ, 2003.

SILVA, Alberto da Costa e. Francisco Félix de Souza, mercador de escravos. Rio de Janeiro: Nova Fronteira: Ed. UERJ, 2004.

SILVA, Angela Fileno da. Vozes de Lagos: brasileiros em tempos do império britânico. Tese (Doutorado em História) – FFLCH, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016.

SILVA, Angela Fileno da. Vozes de Lagos, comerciantes brasileiros em tempos de império britânico. In: MACÊDO, Tania Celestino de (org.). África: Perspectivas: ensino, pesquisa e extensão. São Paulo: FFLCH; CEA, 2018.

SMITH, Robert Sydney. The Lagos Consulate, 1851-1861. London: Macmillan Press; University of Lagos Press, 1978.

SHERWOOD, Marika. Origins of Pan-Africanism: Henry Sylvester Williams, Africa, and the African Diaspora. New York; London: Routledge, 2011.

VERGER, Pierre. Fluxo e Refluxo do tráfico de escravos entre o Golfo de Benin e a Bahia de todos os Santos: dos séculos XVII a XIX. São Paulo: Corrupio, 1987.




DOI: https://doi.org/10.22456/1983-201X.87755

Anos 90 - Revista do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul