Uma História Contestada: A História Medieval na Base Nacional Comum Curricular (2015-2017)

Douglas Mota Xavier de Lima

Resumo


Os debates sobre a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) fizeram sobressair posicionamentos que propõem restrições ao estudo da antiguidade e do medievo na educação básica, postura que mobilizou medievalistas brasileiros no intuito de justificar a permanência da área no ensino escolar e de iniciar uma reflexão sobre o ensino de história medieval nas escolas. A BNCC é o documento que irá nortear todos os níveis da educação no Brasil, por isso este artigo discute a presença da Idade Média nas três versões da BNCC e apresenta alguns apontamentos acerca da inserção do medievo na educação escolar.


Palavras-chave


História Medieval; BNCC; Ensino de história

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Néri de Barros. Um destino em crise: a inserção social e institucional dos estudos de História Medieval. Revista Chilena de Estudios Medievales, Santiago, n. 11, p. 92-114, enero/jun. 2017.

ANNUNCIATO, Pedro. Da terceira versão à sala de aula: os próximos passos da Base Nacional Comum. Nova Escola, São Paulo, 6 abr. 2017. Disponível em: https://novaescola.org.br/conteudo/4872/da-terceiraversao-a-sala-de-aula-os-proximos-passos-da-base-nacional-comum. Acesso em: 27 out. 2018.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ESTUDOS MEDIEVAIS (ABREM). Carta da Associação Brasileira de Estudos Medievais (ABREM) sobre a BNCC. Niterói, RJ, 11 dez. 2015. Disponível em: https://anpuh.org.br/index.php/bncc-historia/item/3158-carta-da-associacao-brasileira-de-estudos-medievais-sobre-a-bncc. Acesso em: 27 out. 2018.

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE HISTÓRIA (ANPUH); ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ESTUDOS AFRICANOS (ABE-África). Nota do GT de História da África da Anpuh Brasil e da Associação Brasileira de Estudos

Africanos (ABE-África) sobre a proposta da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para o ensino de história. Rio de Janeiro, 26 de fevereiro de 2016. Disponível em: https://anpuh.org.br/index.php/bncc-historia/item/3322-nota-do-gt-de-historia-da-africa-da-anpuh-nacional-e-da-associacao-brasileira-deestudos-africanos-abe-africa-sobre-a-proposta-da-base-nacional-comum-curricular-bncc-para-oensino-de-historia. Acesso em: 27 out. 2018.

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISADORES E PROFESSORES DE HISTÓRIA DAS AMÉRICAS (ANPHLAC). Nota da Anphlac sobre a Base Nacional Comum Curricular (BNCC). São Paulo, 23 dez. 2015. Disponível em: http://anphlac.fflch.usp.br/noticia_49. Acesso em: 27 out. 2018.

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM EDUCAÇÃO (ANPEd); ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE CURRÍCULO (ABdC). Ofício n. 01/2015/GR. Rio de Janeiro: ANPEd; ABdC, 2015.

AUSTRALIAN CURRICULUM, ASSESSMENT AND REPORTING AUTHORITY (ACARA). Análise da Base Nacional Comum Curricular de História. Versão 2. Concluída pela Dra. Tracey McAskill. In: MOVIMENTO PELA BASE NACIONAL COMUM. Índice de insumos do Movimento pela Base. Brasil: Movimento pela Base Nacional Comum, [2016?]. Seção 7.2, p. 350-404.

BOVO, Cláudia. El tiempo en cuestión: ubicar la Edad Media en la actualidad. Revista Chilena de Estudios Medievales, Santiago, n. 11, p. 134-155, enero/jun. 2017.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil: texto constitucional promulgado em 5 de outubro de 1988. Brasília: Senado Federal, Coordenação de Edições Técnicas, 2017a.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, DF: MEC, 2015.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, DF: MEC, 2016.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, DF: MEC, 2017b.

CAIMI, Flávia Eloisa. A História na Base Nacional Comum Curricular: pluralismo de ideias ou guerra de narrativas? Revista do Lhiste, Porto Alegre, v. 3, n. 4, p. 86-92, jan./jun. 2016.

CANCIAN, Natália. Nova versão da base nacional curricular traz de volta história da Europa. Folha de São Paulo, Brasília, 3 maio 2016. Caderno Educação. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/educacao/2016/05/1767444-nova-versao-de-base-curricular-altera-propostas-para-ensino-medio-e-infantil.shtml. Acesso em: 27 out. 2018.

FÓRUM DOS PROFISSIONAIS DE HISTÓRIA ANTIGA E MEDIEVAL. Carta de repúdio à BNCC produzida pelo Fórum dos Profissionais de História Antiga e Medieval. Rio de Janeiro, 26 nov. 2016. Disponível em: https://anpuh.org.br/index.php/bncc-historia/item/3127-carta-de-repudio-a-bncc-produzida-pelo-forum-dosprofissionais-de-historia-antiga-e-medieval. Acesso em: 27 out. 2018.

GARCIA, Graciela et al. História da América e a BNCC. Rio de Janeiro, 3 dez. 2015. Disponível em: https://anpuh.org.br/index.php/bncc-historia/item/3129-historia-da-america-e-a-bncc. Acesso em: 27 out. 2018.

LEITE, Pricilla Gontijo. Ensino de História, Reformas do Ensino e Percepções da Antiguidade: apontamentos a partir da atual conjuntura brasileira. Mare Nostrum, São Paulo, n. 8, 2017.

LIMA, Douglas Mota de. Carta de professores do Norte e Nordeste sobre a BNCC. [E-mail enviado à ANPUH e divulgado]. Destinatário: Thiago Reis [ANPUH-RJ]. Santarém, PA, 5 dez. 2015. 1 e-mail. Disponível em: https://anpuh.org.br/index.php/bncc-historia/item/3149-carta-de-professores-do-norte-e-nordeste-sobre-a-bncc. Acesso em: 27 out. 2018

LIMA, Douglas Mota de. Uma história do porvir: a medievalística brasileira em terras amazônicas. In: AMARAL, Clínio; LISBÔA, João (org.). A historiografia medieval no Brasil: 1990 a 2017. Curitiba: Editora Prismas; Editora Appris, 2019. p. 61-90.

MACEDO, José Rivair. Repensando a Idade Média no Ensino de História. In: KARNAL, Leandro (org.). História na sala de aula: conceitos, práticas e propostas. São Paulo: Contexto, 2008. p. 109-125.

MIATELLO, André Luis Pereira. A História Medieval na graduação em História: da pesquisa à docência. Revista Chilena de Estudios Medievales, Santiago, n. 11, p. 68-90, enero/jun. 2017.

NÚCLEO DE ESTUDOS MEDITERRÂNICOS (NEMED). NEMED sobre a BNCC História especialmente o Ensino Médio. Curitiba, 30 nov. 2015. Disponível em: http://nemed.he.com.br/nemed-sobre-o-bncc-historia-especialmente-o-ensino-medio/. Acesso em: 27 out. 2018.

NUNES, Ruy Afonso da Costa. História da Educação na Idade Média. 2. ed. São Paulo: Kírion, 2018.

PEREIRA, Nilton Mullet. A invenção do medievo: narrativas sobre a Idade Média nos livros didáticos de história. In: ROCHA, Helenice; REZNIK, Luís; MAGALHÃES, Marcelo de Souza (org.). Livros didáticos de história: entre políticas e narrativas. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2017. p. 169-184.

PEREIRA, Nilton Mullet; RODRIGUES, Mara Cristina de Matos. BNCC e o passado prático: temporalidades e produção de identidades no Ensino de História. Arquivos Analíticos de Políticas Educativas, Tempe, Arizona, v. 26, n. 107, set. 2018.

TACLA, Adriene Baron; LIMA, Alexandre Carneiro Cerqueira. Um manifesto pela História e pelas experiências das culturas da Antiguidade. Rio de Janeiro, 2016. Disponível em: https://www.anpuh.org.br/index.php/bncc-historia/item/3123-manifesto-do-gtha-sobre-a-bncc. Acesso em: 27 out. 2018.

TEIXEIRA, Igor Salomão; PEREIRA, Nilton Mullet. A Idade Média nos currículos escolares: as controvérsias nos debates sobre a BNCC. Diálogos, Maringá, PR, v. 20, n. 3, p. 16-29, 2016.




DOI: https://doi.org/10.22456/1983-201X.87750

Anos 90 - Revista do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul