A retórica da naturalidade: a pátria de Felipe Camarão como um problema historiográfico

Bruno Balbino Aires da Costa

Resumo


A naturalidade do índio Felipe Camarão foi objeto de controvérsia durante o século XIX. Vários homens de letras espalhados pelo país, tais como: José de Alencar, Francisco Adolfo de Varnhagen, Antônio Joaquim de Mello, dentre outros, produziram textos a respeito da polêmica em torno do local em que Felipe Camarão havia nascido. Longe de ser unívoco, o debate foi acirrado. Documentos e argumentos foram arrolados pelos letrados envolvidos na querela, cujo intuito era provar o pertencimento do referido índio a uma determinada província. Esse esforço de convencimento e de estratégia argumentativa por parte de alguns homens de letras do Brasil, levou ao que chamamos de retórica da naturalidade. O objetivo desse artigo é analisar essa engenharia discursiva a partir do exame dos textos de dois letrados do período oitocentista que se dedicaram ao problema: Antônio Joaquim de Mello e Francisco Adolfo de Varnhagen.

Palavras-chave


Felipe Camarão; Naturalidade; Retórica

Texto completo:

PDF

Referências


ARENDT, Hannah. O conceito de História – Antigo e Moderno. In: Entre o passado e o futuro. São Paulo: Perspectiva, 2014.

ARISTÓTELES. Retórica. Madrid: Alianza Editorial, 2007.

BERBEL, Márcia. Pátria e patriotas em Pernambuco (1817-1822): nação, identidade e vocabulário político. In: JANCSÓ, István (org.). Brasil: Formação do Estado e da Nação. São Paulo: Hucitec; Ed. Unijuí; Fapesp, 2003.

CEZAR, Temístocles. L’ecriture de l’histoire au Brésil au XIX siècle. Essai sur une rhétorique de la nationalité. Le cas Varnhagen. École des Hautes Étudies em Sciences Sociales. Paris, 2002.

_______. Em nome do pai, mas não do patriarca: ensaio sobre os limites da imparcialidade na obra de Varnhagen. História. São Paulo, v. 24, n. 2, p. 207-240, 2005.

_______. A retórica da nacionalidade de Varnhagen e o mundo antigo: o caso da origem dos tupis. In: Manoel Luiz Salgado Guimarães. (org.). Estudos sobre a escrita da história. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2006.

COSTA, Bruno Balbino Aires da. “A Casa da memória norte-rio-grandense”: o Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte e a construção do lugar do Rio Grande do Norte na memória nacional. 587f. 2017. Tese (Doutorado em História) – Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

ENDERS, Armelle. Os vultos da nação: fábrica de heróis e formação dos brasileiros. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2014.

HARTOG, François. Evidência da história: o que os historiadores veem. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2011.

JANCSÓ, István; PIMENTA, João Paulo G. Peças de um mosaico (ou apontamentos para o estudo da emergência da identidade nacional brasileira). In: MOTA, Carlos Guilherme (org.). Viagem incompleta. A experiência brasileira. Formação: histórias. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 1999.

MELLO, Antonio Joaquim de. Biografias de alguns poetas, e homens illustres da provincia de Pernambuco. Tomo I. Recife: Typographia Universal, 1856.

_______. Biografias de alguns poetas, e homens illustres da provincia de Pernambuco. Tomo II. Recife: Typographia Universal, 1858.

MELLO, Evaldo Cabral de. Rubro Veio: o imaginário da restauração pernambucana. 2. ed. Rio de Janeiro: Topbooks, 1997.

OLIVEIRA, Maria da Glória de. Escrever vidas, narrar a história: a biografia como problema historiográfico no Brasil oitocentista. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2011.

PORTELLA, Joaquim Pires Machado. Discurso. In: Revista do Instituto Arqueológico e Geográfico Pernambucano. Recife. n. I, 1863.

SANTOS, Evandro. Tempos de pesquisa, tempos de escrita. A biografia em Francisco Adolfo de Varnhagen (1840-1873). 2009. 137f. Dissertação (Mestrado em História) – Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

SILVA, João Manoel Pereira da. Os varões ilustres do Brazil durante os tempos coloniaes. Tomo I. Paris: Livraria de A. Franck; Livraria de Guillaumi, 1858.

SOUZA, Roberto Acízelo de. O império da eloqüência: retórica e poética no Brasil oitocentista. Rio de Janeiro: EdUERJ; EdUFF, 1999.

TURIN, Rodrigo. Tempos cruzados: escrita etnográfica e tempo histórico no Brasil oitocentista. 242f. 2009. Tese (Doutorado em História) – Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

VARNHAGEN, Francisco Adolfo de. História Geral do Brazil. Tomo primeiro. Rio de Janeiro: E. e H. Laemmert, 1854.

_______. Biographia dos brasileiros distinctos por armas, letras, virtudes, etc. Naturalidade de Dom AntonioFilippe Camarão. In: Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. Rio de Janeiro. Tomo XXX, 1867 (Parte Primeira).

_______. Biographia dos brasileiros distinctos por armas, letras, virtudes, etc. Naturalidade de Dom AntonioFilippe Camarão. Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. Rio de Janeiro. Tomo XXX, 1867 (Parte segunda).

_______. História das lutas contra os hollandezes no Brazil – desde 1624 a 1654. Vienna d’Austria, 1871.




DOI: https://doi.org/10.22456/1983-201X.82322

Anos 90 - Revista do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul