O mito de Inanna y Šukaletuda: violência sexual na Sumeria

Estefanía Bernabé-Sánchez

Resumo


O seguinte artigo trata o tema da violência sexual através do mito sumério de Inanna e Šukaletuda, no qual a deusa Inanna é estuprada pelo mau jardineiro Šukaletuda, estabelecendo um paralelismo entre o crime sexual cometido contra a deusa e aqueles que estão sendo hoje moeda comum nos conflitos armados do Oriente Médio, especialmente na Síria. O mito também fala da funesta dissociação entre os conceitos de ser e natureza, na qual entendemos está inserida intrinsecamente a condição feminina, representada pela deusa Inanna.


Palavras-chave


Mitologia; Inanna; Šukaletuda; Suméria; Estupro

Texto completo:

PDF (Español (España))

Referências


BOTTÉRO, J.; SAMUEL, N. K. (Ed.). Cuando los dioses hacían de hombres: Mitología Mesopotámica. Traducción de Francisco Javier González. Madrid: Akal, 2004.

COOLEY, J. L. Inana and Sukaletuda: a Sumerian Astral Myth. KASKAL: Rivista di storia, ambienti e culture del Vicino Oriente Antico, v. 5, p. 161-172, 2008.

CHAVALAS, M. Women in the Ancient Near East: A Sourcebook. New York: Routledge, 2014.

KRAMER, S. N. History Begins at Sumer. Philadelphia: University of Pennsylvania Press, 1981.

_____. The Sumerians: Their History, Culture, and Character. Chicago: University of Chicago Press, 1963.

POZZER, Kátia M. P. O jardim do pecado: uma narrativa de violência sexual na Mesopotâmia. In: COSTA GRILLO, J. G. et al (Org.). Sexo e violencia: Realidades antigas e questões contemporâneas. São Paulo: Annablume, 2011. p. 37-58.

VOLK, K. Inanna und Šukaletuda: zur historisch-politischen Deutung eines sumerischen Literaturwerkes. Wiesbaden: Harrassowitz, 1995.

WOLKSTEIN, D.; KRAMER, S. N. Inanna: Queen of Heaven and Earth. New York: Harper & Row, 1983.




DOI: https://doi.org/10.22456/1983-201X.81427

Anos 90 - Revista do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul