O ofício da História e novos espaços de atuação profissional

Zita Possamai

Resumo


Nas últimas décadas, o campo de atuação do profissional da área de História tem se alargado. Museus, arquivos, memoriais, centros de documentação, órgãos de gestão do patrimônio histórico, agências de políticas culturais e de turismo são alguns exemplos de espaços abertos ao ofício do historiador. Esse novo espectro de possibilidades de trabalho apresenta indagações e desafios de várias ordens à área de História: o que essas instituições esperam do profissional de História que nelas atua? Como tem se dado essa atuação? Que obstáculos os profissionais enfrentam? Como deve ser sua formação? Que habilidades devem possuir? O que os distingue de outros profissionais que atuam na área de patrimônio? Qual é o papel da Associação Nacional de História – em âmbito nacional e regional – em relação aos profissionais de História que atuam nessa área? Qual a importância da regulamentação da profissão de historiador para a atuação nas instituições voltadas ao patrimônio histórico-cultural? Esse texto pretende sondar de forma bastante preliminar essas questões.

Palavras-chave


Patrimônio histórico; Regulamentação profissional; Ofício do historiador

Texto completo:

PDF

Referências


CHOAY, François. L’Allégorie du patrimoine. Paris: Seuil, 1996.

GARCÍA CANCLINI, Néstor. Culturas híbridas: estratégias para entrar y salir de la modernidad. Buenos Aires: Editoral Sudamericana, 1995.

GONÇALVES, José Reginaldo Santos. A retórica da perda: os discursos do patrimônio cultural no Brasil. Rio de Janeiro: Editora UFRJ/MINC-IPHAN, 1996.

GOURARIER, Zeev. Le musée entre le monde des morts et celui des vivants. Ethnologie française, t. 14, n. 1, p. 67-76, janv. /mars. 1984.

LE GOFF, Jacques. História e memória. Campinas: Ed. UNICAMP, 1994.

MENESES, Ulpiano Bezerra de. A crise da memória, história e documento: reflexões para um tempo de transformações. In: SILVA, Zélia Lopes da (Org.). Arquivos, patrimônio e memória. São Paulo: Editora Unesp/FAPESP, 1999. p. 11-29.

_________. Fontes visuais, cultura visual, História visual. Balanço provisório, propostas cautelares. Revista brasileira de História, São Paulo, v. 23, n. 45, p. 11-36, 2003.

NORA, Pierre. Entre memória e história: a problemática dos lugares. Projeto História, n. 10, p. 7-28, dez. 1993.

POULOT, Dominique. Musée, nation, patrimoine: 1789-1815. Paris: Gallimard, 1997.

RICOEUR, Paul. La mémoire, l’histoire, l’oubli. Paris: Seuil, 2001.

SOUZA FILHO, Carlos Frederico Marés de. Bens culturais e proteção jurídica. 2. ed. Porto Alegre: EU/Porto Alegre, 1999. p. 22.




DOI: https://doi.org/10.22456/1983-201X.7968

Anos 90 - Revista do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul