Trabalhadores na condição de sujeitos autônomos: perspectivas acadêmicas e conjunturas políticas (Brasil, 1980-1990)

Sérgio Paulo Morais

Resumo


A proposta do artigo é apresentar e discutir um enquadramento de pesquisas no qual ações de sujeitos sociais foram postas como paradigma para interpretação de diversos temas importantes para as pesquisas históricas e para investigações sociológicas. Para tanto, observam-se influências internacionais e conjunturas políticas internas em produções acadêmicas realizadas ao término da ditadura militar no Brasil. Essas observaram a criação de sujeitos autônomos a partir da leitura de luta de classes, agência e de experiências sociais.


Palavras-chave


Pesquisa em ciências sociais; Historiografia inglesa; Trabalhadores; Movimentos sociais; Autonomia

Texto completo:

PDF

Referências


ANDERSON, Perry. A crise da crise do marxismo: uma introdução a um debate contemporâneo. São Paulo: Brasiliense, 1984.

AZEVEDO, Sérgio de; PRATES, Antônio Augusto. Planejamento participativo, movimentos sociais e ação coletiva. In: AZEVEDO, Sérgio de; PRATES, Antônio Augusto. Ciências Sociais Hoje. São Paulo: Vértice, 1991.

CHALHOUB, Sidney. Trabalho, lar e botequim: vida cotidiana e controle social da classe trabalhadores no Rio de Janeiro da Belle Epoque. Campinas: Editora da Unicamp, 2015.

______. Visões da liberdade: uma história das últimas décadas da escravidão na corte. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

CHAUI, Marilena. Cidadania cultural: o direito à cultura. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2006.

CHESNAIS, François. A finança mundializada: raízes sociais, configuração, consequências. São Paulo: Boitempo Editorial, 2005.

COLLINGWOOD, Robin George. The idea of history. Oxford: Oxford University Press, 1993.

COUTINHO, Carlos Nelson. A democracia como valor universal. São Paulo: Ciências Humanas, 1980.

DECCA, Edgar Salvadori de. Apresentação. In: RAGO, Luzia Margareth. Do cabaré ao lar: a utopia da cidade disciplinar, Brasil, 1890-1930. São Paulo; Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2014. p. 17-22.

FORTES, Alexandre. O processo histórico de formação da classe trabalhadora: algumas considerações. Revista Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 29, n. 59, p. 587-606, 2016.

FUKUYAMA, Francis. O fim da história e o último homem. Rio de Janeiro: Rocco, 1992.

KAYE, Harvey. The British Marxist historians. Basingstoke: Macmillan, 1995.

KHOURY, Yara Aun. Narrativas orais na investigação da História Social. Revista Projeto História, São Paulo, v. 22, p. 73-109, 2001.

LARA, Silvia Hunold. Campos da violência: escravos e senhores na capitania do Rio de Janeiro, 1750-1808. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

MACIEL, Maria José de Oliveira. Anotações sobre a participação popular na transição democrática. Revista Tópicos Educacionais, Recife, v. 12, n. 112, p. 84-102, 1994.

MENDES, Alexandre Fabiano. A travessia de Eder Sader: da grande tarefa aos pedaços de experiência. Revista Lugar Comum, Rio de Janeiro, n. 49, p. 83-102, 2017.

MÜLLER, Ricardo Gaspar. Razão e utopia: Thompson e a história. 2002. 282 f. Tese (Doutorado em História) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002.

PAOLI, Maria Celia. Os trabalhadores urbanos na fala dos outros: tempo, espaço e classe na história operária brasileira. In: LOPES, José Sérgio (org.). Cultura e identidade operária: aspectos da cultura da classe trabalhadora. São Paulo: Marco Zero; Rio de Janeiro: Editora da UFRJ, 1987. p. 53-101.

PAOLI, Maria Celia; SADER, Eder; TELLES, Vera. Pensando a classe operária: os trabalhadores sujeitos ao imaginário acadêmico. Revista Brasileira de História, São Paulo, n. 6, p. 129-149, set. 1983.

PATARRA, Ivo. O governo Luiza Erundina: cronologia de quatro anos de administração do PT na cidade de São Paulo, de 1989 a 1992. São Paulo: Geração Editorial, 1996.

PETERSEN, Silvia Regina Ferraz. Dilemas e desafios da historiografia brasileira: a temática da vida cotidiana. Revista História e Perspectivas, Uberlândia, v. 6, p. 24-44, jan./jun. 1992.

RAGO, Luzia Margareth. Do cabaré ao lar: a utopia da cidade disciplinar, Brasil, 1890-1930. São Paulo; Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2014.

RAMOS, Igor Guedes. A genealogia de uma operação historiográfica: as apropriações dos pensamentos de Edward Palmer Thompson e de Michel Foucault pelos historiadores brasileiros na década de 1980. 2014. 543 f. Tese (Doutorado em História) – Universidade do Estado de São Paulo, São Paulo, 2014.

REDIKER, Marcus. Como as classes populares fizeram história. Entrevista cedida a Jérôme Skalski. [Tradução Resistir.info]. Le Grand Soir, França, 17 jun. 2017. Disponível em: http://resistir.info/varios/rediker_01jun17_p.html#asterisco. Acesso em: 17 jun. 2017.

REIS, José Carlos. Anos 1960: Caio Prado Jr. e “A Revolução Brasileira”. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 19, n. 37, p. 245-277, 1999. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-01881999000100012. Acesso em: 17 jun. 2017.

SADER, Eder. Marxismo e teoria da revolução operária. São Paulo: Ática, 1986.

SADER, Eder. Quando novos personagens entraram em cena: experiências e lutas dos trabalhadores da Grande São Paulo 1970-1980. São Paulo: Paz e Terra, 1995.

SÃO PAULO (Município). Secretaria Municipal de Cultura. Departamento do Patrimônio Histórico. O direito à memória: patrimônio histórico e cidadania. São Paulo: DPH, 1992.

SENA JÚNIOR, Carlos Zacarias. A dialética em questão: considerações teórico-metodológicas sobre a historiografia contemporânea. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 24, n. 48, p. 39-72, 2004.

SHARPE, Jim. A história vista de baixo. In: BURKE, Peter (org.). A escrita da história: novas perspectivas. São Paulo: Editora da UNESP, 1992. p. 39-62.

THOMPSON, Edward Palmer. A formação da classe operária inglesa. São Paulo: Paz e Terra, 1987.

THOMPSON, Edward Palmer. A miséria da teoria ou um planetário de erros: uma crítica ao pensamento de Althusser. Rio de Janeiro: Zahar, 1981.

THOMPSON, Edward Palmer. As peculiaridades dos ingleses e outros artigos. Organização Antonio Luigi Negro e Sérgio Silva. Campinas: Editora da Unicamp, 2001.

______. La sociedade inglesa del siglo XVIII: ¿lucha de clases sin clases? In: THOMPSON, Edward Palmer. Tradición, revuelta y consciencia de clase: estudios sobre la crisis de la sociedad preindustrial. Barcelona: Editorial Crítica, 1989.

VAN DER LINDEN, Marcel. História do trabalho: o velho, o novo e o global. Revista Mundos do Trabalho, Florianópolis, v. 1, p. 11-26, 2009.

WOOD, Ellen Meiksins. Classe como processo e como relação. In: WOOD, Ellen Meiksins. Democracia contra capitalismo. São Paulo: Boitempo Editorial, 2003. p. 73-98.




DOI: https://doi.org/10.22456/1983-201X.78628

Anos 90 - Revista do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul