Rivalidade, parricídio e invasão de fronteiras na trajetória de Cruz Costa

Bruno Bontempi Junior

Resumo


Este artigo aborda relações conflituosas entre intelectuais protagonizadas por João Cruz Costa, catedrático de Filosofia da Universidade de São Paulo. A primeira delas, marcada pela rivalidade entre a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo e o Instituto Brasileiro de Filosofia; a segunda, caracterizada pelo “parricídio” que teve lugar no próprio departamento de Filosofia, alimentado pela luta em torno do legado da missão francesa; na terceira, pode-se ver Cruz Costa transitar pelas fronteiras disciplinares que separam os mundos da Filosofia e da História.

Palavras-chave


História das ideias; Intelectuais; Cruz Costa; Universidade de São Paulo

Texto completo:

PDF

Referências


ARANTES, Paulo Eduardo. Um departamento francês no ultramar: estudos sobre a formação da cultura filosófica uspiana. Rio de Janeiro: Paz & Terra, 1994.

BOURDIEU, Pierre. Coisas ditas. Tradução de Cássia R. da Silveira e Denise Moreno Pegorim. São Paulo: Brasiliense, 1990.

CANDIDO, Antonio. Brigada ligeira e outros escritos. São Paulo: UNESP, 1992.

CATANI, Afrânio et al. Florestan ou o sentido das coisas. São Paulo: Boitempo: Maria Antonia, 1998.

CORREIA, Alexandre Augusto de C. Marxismo e filosofia burguesa. Revista Brasileira de Filosofia. São Paulo, v.1, f.4, 1951, p. 483-489.

COSTA, João Cruz. O Pensamento brasileiro. Boletim da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, n. 68. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1946.

_______. Contribuição à História das Ideias no Brasil. Rio de Janeiro: José Olympio, 1956.

_______. Entrevista. Sobre o trabalho teórico. Trans/form/ação, Assis-SP, 1975, p. 87-94.

_______. Prefácio. In: MOTA, Carlos Guilherme (Org.). Brasil em perspectiva. 16. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1987, p. 7-9.

FREUD, Sigmund. Totem e tabu. In: Obras completas de Sigmund Freud. Tradução de Elias Davidovich et alii. Rio de Janeiro: Delta, s.d. (vol. VII).

GRAÇA, Arnóbio. Humanismo ocidental. Revista Brasileira de Filosofia. São Paulo, v.1, f.5, 1951, p.117.

GIANNOTTI, José Arthur. Entrevista. Sobre o trabalho teórico. Trans/form/ação, Assis-SP, n. 1, 1974, p. 25-36.

GOLDGRUB, Franklin. O complexo de Édipo. São Paulo: Ática, 1989.

LEPENIES, Wolf. Contribuition à une histoire des raportes entre la sociologie et la philosophie. Actes de la recherche en Sciences Sociales, v. 47-48, 1983, p. 37-44.

MOTA, Carlos Guilherme. Ideologia da cultura brasileira (1933-1974). 4. ed. São Paulo: Ática, 1980.

NETO, Pedro Leão da Costa. João Cruz Costa. In: FÁVERO, M.L.A; BRITTO, J.M. (Orgs). Dicionário de educadores no Brasil. Da colônia aos dias atuais. 2. ed. aum. Rio de Janeiro: Editora UFRJ/MEC-Inep-Comped, 2002, p. 530-536.

NOVAES, Fernando. Braudel e a “Missão Francesa”. Estudos Avançados. São Paulo, v. 8, n. 22, 1994, p. 161-166.

REALE, Miguel. Panorama da história da filosofia no Brasil. Revista Brasileira de Filosofia. São Paulo, v.11, f.41, 1961, p.123-124 (Resenha).

_______. Memórias. v. 1. São Paulo: Saraiva, 1986.

PAIM, Antônio. O Instituto Brasileiro de Filosofia. Revista Brasileira de Filosofia, São Paulo: v.18, f.69, 1968, p. 90-93.

_______. História das idéias filosóficas no Brasil. São Paulo: Convívio, 1984.

PONTES, Heloísa. Destinos mistos: os críticos do Grupo Clima em São Paulo (1940-68). São Paulo: Cia. das Letras, 1998.

PRADO Jr., Bento. Cruz Costa e a história das ideias no Brasil. In: MORAES, Reginaldo, ANTUNES, Ricardo e FERRANTE, Vera B. (Orgs.). Inteligência Brasileira. São Paulo: Brasiliense, 1986, p. 101-124.

_______. Entrevista. In: REGO, José Márcio e NOBRE, Marcos (Orgs.). Conversas com filósofos. São Paulo: 34, 2000, p. 199-226.

VITA, Luís W. O positivismo na República. Revista Brasileira de Filosofia. São Paulo, v. 8, f. 2, 1957, p. 360-362. (Resenha).

_______. Esbozo de una historia de las ideas en el Brasil, de Cruz Costa; A Filosofia no Brasil, de Hélio Jaguaribe; Momentos decisivos e olvidados do pensamento brasileiro, de Miguel Reale; Ideologia e desenvolvimento, de Álvaro Vieira Pinto. Revista Brasileira de Filosofia. São Paulo, v. 8, f. 3, 1958, p. 385-386. (Resenha).

_______. Augusto Comte e as origens do positivismo. Revista Brasileira de Filosofia. São Paulo: v. 9, f. 2, 1959, p. 274-276. (Resenha).

_______. Panorama da história da filosofia no Brasil. Revista Brasileira de Filosofia. São Paulo, v. 10, f. 4, 1960, p. 584-586. (Resenha).

_______. Contribuição à história das ideias no Brasil. Revista Brasileira de Filosofia, São Paulo: v. 18, f. 67, 1967, p. 233-236. (Resenha do livro de Cruz Costa).

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. FACULDADE DE FILOSOFIA, CIÊNCIAS E LETRAS. Programa de 1935. São Paulo: Imprensa Oficial, 1935.

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. FACULDADE DE FILOSOFIA, CIÊNCIAS E LETRAS. Anuário da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo (1950). São Paulo: Seção de Publicações da USP, 1952.

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. FACULDADE DE FILOSOFIA, CIÊNCIAS E LETRAS. Anuário da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo (1939-1949). V.1. São Paulo: Seção de Publicações da USP, 1935.

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Estudos Avançados. São Paulo, v. 8, n. 22, 1994.




DOI: https://doi.org/10.22456/1983-201X.7700

Anos 90 - Revista do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul