Um Apóstolo da Independência do Brasil: o projeto de Estado-Nação em O Jesuíta de José de Alencar

Eliane Cristina Deckmann Fleck

Resumo


Este artigo se propõe a analisar o texto da peça teatral O Jesuíta, de José de Alencar, destacando a vinculação que o dramaturgo estabelece entre a "causa independentista", um projeto de Estado-Nação e a Companhia de Jesus. A peça, escrita em 1861 e encenada somente em 1875, recria o ambiente político que antecedeu a expulsão dos jesuítas, ocorrida em 1759, apresentando o protagonista e a Ordem como os mais capazes para implantar o projeto de Nação no Brasil. Com o propósito de explicar as razões de seu insucesso e das críticas que recebeu, reconstituímos e analisamos o contexto em que a peça foi concebida e apresentada à elite letrada e política carioca.

Palavras-chave


O Jesuíta; José de Alencar; Estado-Nação; Nacionalismo; Independência do Brasil

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, Martha. O Império do Divino. Festas religiosas e cultura popular no Rio de Janeiro, 1830-1900. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999.

ABREU, Mirhiane Mendes. O indianismo épico em Ubirajara, romance de José de Alencar. Revista Brasil de Literatura, Rio de Janeiro, v. IV, p. 1-25, 2002. Disponível em: http://members.tripod.com/~lfilipe/epico.htm. Acessado em abril de 2007.

_______. A sistematização da linguagem literária em Alencar. Disponível em http://www.fflch.usp.br/dlcv/posgraduacao/ecl/pdf/via06/via06_11.pdf. Acessado em março de 2007.

ALENCAR, José de. O Jesuíta. Drama em quatro atos. 1. ed. Rio de Janeiro: Garnier Livreiro Editor, 1900.

ALONSO, Ângela. Crítica e contestação: o movimento reformista da geração de 1870. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v.15, n. 44, p. 35-55, out. 2000.

BARRETO, Lima. O Subterrâneo do Morro do Castelo. Correio da Manhã – edições de 28-29/4/1905, 2-10/5/1905, 12/5/1905, 14-15/5/1905, 19-21/5/1905, 23-28/5/1905, 30/5/1905, 1/6/1905, 3/6/1905. Disponível em http://www.bibvirt.futuro.usp.br/content/view/full/1890. Acessado em junho de 2007.

BORGES, Valdeci Rezende. Lutas de representação: combates de José de Alencar por uma narrativa ‘moderna’ e brasileira. ArtCultura, Uberlândia, v. 8, n.13, p. 65-84, jul.- dez.2006 b.

BOTELHO, Cléria da Costa. José de Alencar: memórias e canto indianista. Revista Eletrônica do Centro de Estudos do Imaginário, Universidade Federal de Rondônia. Ano IV, n. 6, dez. 2004. ISSN 1519-6674. Disponível em www.unir.br/~cei/artigo63.htm. Acessado em junho de 2005.

BOTELHO, Cléria. Literatura escravista: uma arte da memória. In: Um passeio com Clio. Brasília: Paralelo 15, 2001, p. 145-163.

CHAGAS, M. Pinheiro. Novos ensaios críticos. Porto: Casa de Viúva More Editora, 1868, p. 213-224. apud SILVA, 2004, p. 251

CHALHOUB, Sidney. Machado de Assis: historiador. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

COUTINHO, Afrânio. A polêmica Alencar-Nabuco, 1965. Disponível em: http://www.pacc.ufrj.br/literaria/polemicaintrod.html. Acessado em junho de 2007.

DOMINGUES, Beatriz Helena. Tão longe, tão perto: A Ibero-América e a Europa Ilustrada. Rio de Janeiro: Museu da República, 2007.

_______. As missões jesuíticas entre os Guaranis no contexto da Ilustração. Revista História, (São Paulo), Franca, v. 25, n.1, p. 44-69, 2006.

EISENBERG, José. As missões jesuíticas e o pensamento político moderno. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2000.

FARIA, João Roberto. José de Alencar e o Teatro. São Paulo: Perspectiva, 1987.

_______. O Teatro Realista no Brasil: 1855-1865. São Paulo: Perspectiva; EDUSP, 1993.

LEHNEN, Leila. Foundational Mission: O Jesuíta de José de Alencar e a construção de uma nação. Espéculo. Revista de estudios literarios. Universidad Complutense de Madrid, 2005. Disponível em: https://www.ucm.es/info/especulo/numero30/ojesuita.html. Acessado em abril 2006. (livre tradução)

LIMA, Luís Felipe. O tempo de Vieira: o espiritual e o humano no V Império. Cadernos de Criação, 27, Março, 2002, p. 200-207. Disponível em: http://www.geocities.com/athens/atrium/2466/anpuhpuc.html. Acessado em agosto de 2007.

LOPEZ, Luiz Roberto. Cultura Brasileira. De 1808 ao pré-modernismo. 2. ed. Porto Alegre: Ed.UFRGS, 1995.

MAYER, Elaine Rosa de Souza. “Mas eu não escrevo um romance, conto-lhe uma história”: as representações de masculinidade e a questão de gênero na Obra de José de Alencar (Rio de Janeiro – 1856-1875). Dissertação de Mestrado em História. PUC-SP, 2005.

MELLO, Maria Tereza Chaves de. A República consentida. Cultura democrática e científica do final do Império. Rio de Janeiro: FVG, Edur, 2007.

MOSCATO, Daniela Casoni. José de Alencar: o autor numa perspectiva foucaultiana. Anais Eletrônicos da XXII Semana de História – “O Golpe de 1964 e os dilemas do Brasil Contemporâneo”. UNESP/Assis, 19 a 22 de outubro de 2004.

NAXARA, Márcia Regina Capelari. O sertanejo: um pedaço de Brasil na sensibilidade de Alencar. In: ERTZOGUE, Marina e PARENTE, Temis (Orgs.). História e Sensibilidade. Brasília: Paralelo 15, 2006, p. 389-404.

OLIVEIRA, Cecília Helena e MATTOS, Cláudia Valladão (Orgs.). O Brado do Ipiranga. São Paulo: Edusp, 1999.

ORICO, Osvaldo. José de Alencar. Patriarca do romance brasileiro. 2. ed. Rio de Janeiro: Cátedra, 1977.

ORTIZ, Renato. A moderna tradição brasileira. Cultura Brasileira e Indústria Cultural. 5. ed. São Paulo: Brasiliense, 1995.

PELOGGIO, Marcelo. José de Alencar: um historiador à sua maneira. Alea: Estudos Neolatinos, Rio de Janeiro, v. 6, n.1, p. 81-95, jan/jun 2004.

PEREIRA, Nilo. Conflitos entre Igreja e o Estado no Brasil. Recife: Ed. Massangana, 1982.

PINHEIRO, F.B. Marques. Irmandade do Santíssimo Sacramento da Freguesia de Nossa Senhora da Candelária e suas Repartições, Coro, Caridade e Hospital dos Lázaros. Volume II. Rio de Janeiro: Tipografia do Jornal do Comércio, 1930.

PORTO, Ângela e OLIVEIRA, Benedito Tadeu de. Edifício colonial construídos pelos jesuítas é Lazareto desde 1752 no Rio de Janeiro. História. Ciências, Saúde-Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 2, n. 3, p. 171-180, 1996.

PRADO, Décio de Almeida. João Caetano: o ator, o empresário, o repertório. São Paulo: EDUSP/Perspectiva, 1972.

PRADO, Maria Emília. A questão nacional, a identidade cultural e o passado colonial brasileiro. Manoel Bonfim e a interpretação do significado das raízes ibéricas. Estudios Interdisciplinarios de America Latina y el Caribe, Universidad de Tel Aviv, v. 16, jul-dic. 2005. Disponível em: http://www.tau.ac.il/eial/current/prado.html. Acessado em junho de 2007.

SANTOS, Fabricio Lyrio. A expulsão dos jesuítas da Bahia: aspectos econômicos. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 28, n.55, p.171-195, 2008.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. O espetáculo das raças. Cientistas, instituições e questão racial no Brasil. 1870-1930. 2. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

SILVA, Hebe Cristina da. Imagens da escravidão – uma leitura de escritos políticos e ficcionais de José de Alencar. Dissertação de Mestrado em Linguagem, Unicamp, 2004.

SILVA, Suélen Sales. A Ordem dos adjetivos no discurso midiático: séculos XIX e XX. Dissertação de Mestrado em Letras, UFRJ, 2006, p. 149. Disponível em: http://www.letras.ufrj.br/posverna/mestrado/SilvaSS.pdf. Acessado em abril de 2007.

SOUZA, Iara Lis Carvalho. Pátria Coroada: o Brasil como corpo político autônomo – 1780-1831. São Paulo: Unesp, 1999.

TREECE, David. O Indianismo Romântico, a questão indígena e a escravidão negra. Novos Estudos - CEBRAP, São Paulo, v. 65, p. 141-151, março 2003.

VAINFAS, Ronaldo (direção). Dicionário do Brasil colonial (1500-1808). Rio de Janeiro: Objetiva, 2000.

_______. (direção). Dicionário do Brasil Imperial (1822-1889). Rio de Janeiro: Objetiva, 2002.

VENÂNCIO, Renato Pinto. Infância e Pobreza no Rio de Janeiro, 1750-1808. História: Questões & Debates, Curitiba, v. 19, n.36, p. 129-159, 2002.

VENTURA, Roberto. Estilo tropical. História cultural e polêmicas literárias no Brasil. 1870-1914. São Paulo: Companhia das Letras, 1991.

VERÍSSIMO, José. Estudos de Literatura Brasileira. Belo Horizonte: Editora Itatiaia; São Paulo: EDUSP, 1977.

VIEIRA, Deivid Gueiros. O protestantismo, a maçonaria e a questão religiosa no Brasil. Brasília: EdUnb, 1980.




DOI: https://doi.org/10.22456/1983-201X.7619

Anos 90 - Revista do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul