Notas sobre a construção de uma "identidade açoriana" na colonização do Sul do Brasil no século XVIII

Martha Daisson Hameister

Resumo


Este texto destina-se a contribuir para a discussão da formação de uma “identidade açoriana” durante o processo de conquista e colonização do território meridional do Brasil. Tido como grupo coeso e homogêneo, os “açorianos”, assim denominados na historiografia sulina, também teriam, segundo essa mesma historiografia, comportamento homogêneo, fruto de sua origem comum nas Ilhas. Pretende-se demonstrar, no entanto, que a identificação e a identidade desse grupo decorreram, sobretudo, de características especificamente sulinas, de opções e de estratégias empregadas por esses migrantes no extremo Sul do Brasil, não encontrando correlato nos estados do Grão-Pará e Maranhão, para onde, no mesmo período, foram transmigrados ilhéus em número semelhante. Indica-se, portanto, que tal identidade foi historicamente construída na conquista e povoamento sulinos.

Palavras-chave


Migração açoriana; Estratégias sociais; Estratégias familiares; Rio Grande do Sul colonial

Texto completo:

PDF

Referências


ACEVEDO MARIN, Rosa Elizabeth. Açorianos nas terras conquistadas pelos portugueses no Vale do Amazonas: açorianos no Cabo Norte – século XVII. In: BARROSO, Véra Lucia Maciel.Açorianos no Brasil. Porto Alegre: EST, 2002.

ALMEIDA, Cândido Mendes de. Código Philipino. Rio de Janeiro: Typografia do Instituto Philomantico, 1870. Disponível em: http://www.uc.pt/ihti/proj/filipinas/L2P454.HTM. Acesso em: nov. 2004.

ARQUIVO PÚBLICO MINEIRO. Demarcação do Sul do Brasil. Revista do Arquivo Público Mineiro, Belo Horizonte, Imprensa Oficial, v. XXIII, n. 1, 1929.

______. Demarcação do Sul do Brasil. Revista do Arquivo Público Mineiro, Belo Horizonte, Imprensa Oficial, v. XXIV, n.1, 1933.

BARROSO, Véra Lucia Maciel.Açorianos no Brasil. Porto Alegre: EST, 2002.

BARROSO, Véra Lucia Maciel; BROCHADO, Suzana S.; TASSONI, Tatiani de Souza. Açorianos, proprietários de terras no Rio Grande do Sul 1770-1800 (Documentos Interessantes do Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul – códices F1229, F1230, F1231). In: BARROSO, Véra Lucia Maciel.Açorianos no Brasil. Porto Alegre: EST, 2002.

BARTH, Fredrik. Nomads of South Persia; the basseri tribe of Khamseh confederacy. Boston: Litle, Brown & Company, 1961.

______. The political leadreship among Swat Pathans. 19. Nova York: Athlone Press; Humanities Press Inc., 1980 [1959].

______. Process and form in social life. Selected essays of Fredrik Barth. Londres; Boston; Henley: Routledge & Kegan Paul, 1981. v. 1.

______. Os grupos étnicos e suas fronteiras. In: BARTH, Fredrik. O guru, o iniciador e outras variações antropológicas. Rio de Janeiro: Contra Capa Livraria, 2000.

CESAR, Guilhermino. Os primeiros cronistas do Rio Grande do Sul; 1605-1891. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 1969.

COMISSOLI, Adriano. Casais de Sua Majestade que vão para as missões: a migração açoriana nos Campos de Viamão. 2002. (Monografia) – Departamento de História, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2002.

CORTESÃO, Jaime. Alexandre de Gusmão e o Tratado de Madri; antecedentes do Tratado. Documentos organizados e anotados por Jaime Cortesão. Rio de Janeiro: Ministério das Relações Exteriores; Instituto Rio Branco, 1951.

COUTINHO, André Ribeiro. Memória dos serviços prestados pelo Mestre-de-Campo André Ribeiro Coutinho no Governo do Rio Grande de São Pedro, dirigida a Gomes Freire de Andrade – 1740. Bibliovirt/Liphis, 2002. Disponível em: www.liphis.com/bibliovirtual/ribeirocoutinho.pdf. Acesso em: jan. 2004.

D. JOSÉ I. Diretório que se deve observar nas Povoações dos Índios do Pará, e Maranhão, enquanto Sua Majestade não mandar o contrário. 1757. Disponível em: http://fusaoracial.netfirms.com/Diretorio_Pombal_integral.htm. Acesso em: nov. 2004.

FORTES, João Borges. Rio Grande de São Pedro; povoamento e conquista. Rio de Janeiro: Ministério da Guerra/Biblioteca Militar, 1941.

______. O Brigadeiro José da Silva Paes e a fundação do Rio Grande. Porto Alegre: Erus, 1980.

______. Os casais açorianos; presença lusa na formação sul-rio-grandense. Porto Alegre: Martins Livreiro, 1999.

FRAGOSO, João. Homens de grossa aventura; acumulação e hierarquia na praça mercantil do Rio de Janeiro 1790 – 1830. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1998.

______. Afogando em nomes: temas e experiências em história econômica.

TOPOI, Revista de História do Programa de Pós-graduação em História Social da UFRJ, n.5, 2002.

GARCIA, Elisa Frühauf. A integração das populações indígenas nos povoados coloniais no Rio Grande de São Pedro: legislação, etnicidade e trabalho. 2003. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em História Social, UFF, Niterói, 2003.

GINZBURG, Carlo. O nome e o como: troca desigual e mercado historiográfico. In: ______. A micro-história e outros ensaios. Lisboa; Rio de Janeiro: DIFEL; Bertrand Brasil, 1989.

GRAEBIN, Cleusa Maria Gomes. Sonhos, Desilusões e Formas Provisórias de Existência: os açorianos no Rio Grande de São Pedro. 2004. Tese (Doutorado) – Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2004.

HAMEISTER, Martha Daisson. O Continente do Rio Grande de São Pedro; os homens, suas redes de relações e suas mercadorias semoventes (c.1727-c.1763). 2002. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2002. Disponível em: http://www.liphis.com/teses/pt/dissert_MarthaDaissonHameister.pdf. Acesso em: set. 2004.

______. Na pia batismal: estratégias de interação, inserção e exclusão social entre os migrantes açorianos e a população estabelecida na Vila do Rio Grande através do estudo das relações de compadrio e parentescos fictícios (1738-1763). In: CONGRESSO BRASILEIRO DE HISTÓRIA ECONÔMICA, V, CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DE HISTÓRIA DE EMPRESAS, 6., 10 ANOS DE ABEPH. Anais... Caxambu: ABPHE, 2003a. Disponível em: http://www.abphe.org.br/congresso2003/Textos/Abphe_2003_91.pdf. Acesso em: nov. 2004.

______. O segredo do pajé; o nome como um bem (Continente do Rio Grande de São Pedro, c. 1735-c.1777). Texto de trabalho. Rio de Janeiro, 2003b.

______. A identidade “açoriana”: os Casais de Sua Majestade na colonização da América Portuguesa ao século XVIII. In: ENCONTRO DA PÓSGRADUAÇÃO EM HISTÓRIA ECONÔMICA, II.Anais... Niterói: ABPHE/UFF, 2004. 1 CD Rom.

JACCOTTET, Alda Maria de Moraes; MINETTI, Raquel Domingues de. Diáspora açoriana; açorianos na Vila de Rio Grande de São Pedro antes da invasão espanhola – Livros 1,2,3 e 4 de Batismos (1738-1763) 1 de Casamentos (1756-1763) e 1 de Óbitos (1738-1763). Pelotas: edição das autoras, 2001.

KÜHN, Fábio. A redescoberta da fronteira; os Campos de Viamão e o povoamento do extremo sul do Brasil colonial – século XVIII. 2000.

______. A prática do Dom: família, dote e sucessão na fronteira da América Portuguesa. In: JORNADA SETECENTISTA, V, Curitiba, 2003. Anais... Curitiba, 2003. Disponível em: http://www.humanas.ufpr.br/ departamentos/dehis/cedope/atas/fabio_k%FChn.pdf. Acesso em: nov. 2004.

LEVI, Giovanni. Reciprocidad mediterránea. Tiempos Modernos: Revista Electrónica de Historia Moderna, n. 7, 2002. Disponível em: http://www.tiemposmodernos.org/viewarticle.php?id=26&layout=html. Acesso em: mar. 2004.

LIMA FO, Henrique Espada.Microstoria: escalas, indícios e singularidades. Tese (Doutorado) – Universidade de Campinas, Campinas, 1999.

MENDONÇA, Marcos Carneiro de. A Amazônia na era pombalina; correspondência inédita do Governador e Capitão-General do Estado do Grão-Pará e Maranhão Francisco Xavier de Mendonça Furtado. Rio de Janeiro: Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, 1963. v. 1, 2.

MENDONÇA, Marcos Carneiro de. Século XVIII, século pombalino do Brasil. Rio de Janeiro: Xerox do Brasil, 1989.

MONTEIRO, Jônathas da Costa Rego. A Colônia do Sacramento; 1680 -1777. Porto Alegre: Globo, 1937.

NEUMANN, Eduardo; KÜHN, Fábio. Resgate de fontes paroquiais; Porto Alegre e Viamão, século XVIII. 1º Livro de Óbitos de Viamão. Porto Alegre. No prelo. NOTÍCIAS PRÁTICAS. Bibliovirt/Liphis, 2002. Disponível em: http://www.liphis.com/buscadorcodigo/codigo.htm. Acesso em: set. 2003.

PLÁSTICO INDUSTRIAL. São Paulo: Aranda, v. 5, n. 54, fev. 2003.

PEDREIRA, Jorge Miguel de Melo Viana. Os homens de negócio da Praça de Lisboa; de Pombal ao Vintismo (1755-1822): diferenciação, reprodução e identificação de um grupo social. 1995. Tese (Doutorado) – Universidade Nova de Lisboa, Lisboa, 1995.

PIAZZA, Walter Fernando. Açorianos e Madeireneses no Sul do Brasil. ACERVO: Revista do Arquivo Nacional, v.10, n.2, jul./dez. 1997.

PORTO, Aurélio. História das missões orientais do Uruguai. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1943. v.I.

PRADO, Fabrício Pereira. Colônia do Sacramento: o extremo sul da América Portuguesa. Porto Alegre: F. P. Prado, 2002.

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTOALEGRE.Anais do Arquivo Histórico de Porto Alegre Moysés Vellinho. Porto Alegre, 1992.

QUEIROZ, Maria Luiza Bertuline. A Vila do Rio Grande de São Pedro. Rio Grande: FURG, 1987.

SANTOS, Maria Licínia Fernandes dos. Os madeirenses na colonização do Brasil. Funchal: Centro de Estudos de História do Atlântico; Secretaria Regional do Turismo e Cultura, 1999.

VIEIRA, Alberto. Portugal y las Islas del Atlántico. Madri: Editorial Mapfre, 1992.

WIEDERSPHAN, Henrique Oscar. A colonização açoriana no Rio Grande do Sul. Porto Alegre: EST; Instituto Cultural Português, 1979.

Fontes primárias manuscritas

ARQUIVO DA DIOCESE PASTORAL DO RIO GRANDE. Livros 1o, 2o, 3o e 4o de Batismos da Vila do Rio Grande 1738-1763.

ARQUIVO HISTÓRICO DA CÚRIA METROPOLITANA DE PORTO ALEGRE. Rol dos Confessados de Viamão – 1778.

ARQUIVO HISTÓRICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL. Relação dos Moradores de Triunfo – 1784, cód. F 1198-A.

ARQUIVO HISTÓRICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL. Relação dos Moradores de Viamão, 1778.




DOI: https://doi.org/10.22456/1983-201X.6369

Anos 90 - Revista do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul