A política dos sentimentos e a questão social no século XIX

Ana Paula Vosne Martins

Resumo


Neste artigo propomos uma aproximação da questão social conforme ela foi definida no século XIX por filantropos e filantropas que por meio de diferentes ações e instituições procuraram responder, mesmo que de maneira pontual e mitigatória, aos problemas decorrentes do pauperismo. O objetivo é compreender as múltiplas dimensões da benevolência, seus agentes e seus desdobramentos políticos, bem como propor uma reflexão sobre as relações entre os sentimentos e a política social.


Palavras-chave


Filantropia; Sentimentos; Poder; Questão social

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, Ismael Gonçalves. (Re)construindo a maternidade: as políticas públicas materno-infantis brasileiras e suas implicações na Região Carbonífera Catarinense (1920-1960). Tese (Doutorado em História)–Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2014.

AQUINO, Tomas de. Suma Teológica. Salamanca: Universidad Pontifícia de Salamanca, 1990.

ARENDT, Hannah. Da Revolução. São Paulo; Brasília: Editora Ática; EDUNB, 1988.

______. A condição humana. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1989.

ANSART, Pierre. Sciences socials et sentiments politiques. In: ANSART, Pierre; HAROCHE, Claudine. Les sentiments et le politique. Paris: L’Harmattan, 2007.

BARTHES, Roland. Literatura e realidade: o que é o realismo? Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1984.

BRIGGS, Asa. The Age of Improvement (1783-1867). New York: Routledge, 1999.

D’ALLONES, Myriam Revault. L’ homme compassionel. Paris: Éditions Seuil, 2008.

DUPRAT, Catherine. Le temps des philanthropes. La philanthropie parisienne des Lumières à la monarchie de Juillet. Paris: Éditions du CTHS, 1993.

ELLIOT, Dorice Williams. The angel out of the house. Philanthropy and gender in Nineteenth Century England. Charlottesville and London: University Press of Virginia, 2002.

ENGELS, F. A situação da classe trabalhadora na Inglaterra. São Paulo: Global Editora, 1985.

GEREMEK, Bronislaw. A piedade e a forca. História da miséria e da caridade na Europa. Lisboa: Terramar, 1995.

______. Os filhos de Caim: vagabundos e miseráveis na literatura européia. 1400-1700. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

GINZBERG, Lori D. Women and the work of benevolence: morality, politics and class in the Nineteenth Century United States. New Haven: Yale University Press, 1990. (Yale Historical Publications Series).

GOHN, Maria da Glória Marcondes. O protagonismo da sociedade civil. Movimentos sociais, ONG’s e redes solidárias. São Paulo: Editora Cortez, 2003.

______. Ações coletivas civis na atualidade: dos programas de responsabilidade/ compromisso social às redes de movimentos sociais. Ciências Sociais UNISINOS, São Leopoldo, v. 46, n. 1, p. 10-17, jan./abr. 2010.

GORDON, Linda. Pitied but not entitled. Single mothers and the history of welfare. Cambridge: Harvard University Press, 1995.

GREENE, Dana. Quaker feminism: the case of Lucretia Mott. Pennsylvania History, v. 48, n. 2, abr. 1981, p. 143-154. Disponível em: http://www.jstor.org/stable/27772738. Acesso em: 20 jul. 2015.

HIMMELFARB, Gertrud. La idea de la pobreza: Inglaterra a princípios de la era industrial. Mexico: Fondo de Cultura Económica, 1988.

HOBSBAWN, Eric. A Era do Capital: 1848-1875. São Paulo: Paz e Terra, 1997.

______. Da revolução industrial inglesa ao imperialismo. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2000.

MARTINS, Ana Paula Vosne. Gênero e assistência: considerações histórico-conceituais sobre práticas e políticas assistenciais. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, Rio de Janeiro, supl. 1, v. 18, p. 15-34, dez. 2011.

MCCRONE, Kathleen E. Feminism and philanthropy in Victorian England: the case of Louisa Twining. Historical Papers/Communications Historiques, v. 11, n. 1, p. 123-139, 1976. Disponível em: http://id.erudit.org/ierudit/030807ar.

MIRANDA, Anadir dos Reis. Mary Wollstonecraft e a reflexão sobre os limites do pensamento liberal e democrático a respeito dos direitos femininos. 1759- 1797. Dissertação (Mestrado em História)–Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2010. 155f.

POLANY, Karl. A grande transformação: as origens da nossa época. Rio de Janeiro: Elsevier, 2000.

ROUSSEAU, Jean-Jacques. Discurso sobre a origem e os fundamentos da desigualdade entre os homens. Rio de Janeiro: Ediouro, 2000.

SKOCPOL, Theda (Ed.). Bringing the State back in. Cambridge: Cambridge University Press, 1985.

SMITH, Adam. Teoria dos sentimentos morais. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

TOCQUEVILLE, Alexis de. Memoir on pauperism. London: Civitas, 1997.

THOMPSON, E. P. A formação da classe operária inglesa. 3 v. São Paulo: Paz e Terra, 1987.

WILHELM, Patrice. Sympathie et douceur démocratique. In: ANSART, Pierre; HAROCHE, Claudine. Les sentiments et le politique. Paris: L’Harmattan, 2007.




DOI: https://doi.org/10.22456/1983-201X.60976

Anos 90 - Revista do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul