A fascinação weberiana: as origens da obra de Max Weber

Marcelo Durão Rodrigues da Cunha

Resumo


Resenha do livro A fascinação weberiana: as origens da obra de Max Weber, de Sérgio da Mata.

Texto completo:

PDF

Referências


DIEHL, Astor Antônio. Max Weber e a história. Passo Fundo: Ediupf, 2004.

ELIAS, Norbert. “História da cultura” e história política”. In:_____. Os alemães. A luta pelo poder e a evolução do habitus nos séculos XIX e XX. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1997.

HEINRICH, Dieter. Konstellationsforschung zur klassischen deutschen Philosophie. In: MUSLOW, Martin; STAMM, Marcelo (Hrsg.). Konstellationsforschung. Frankfurt am Main: C.H. Beck, 2011.

HÜBINGER, Gangolf. Max Weber e a história cultural da modernidade, Tempo Social, v. 24, n.1, pp.119-136, 2012.

RINGER, Fritz. O declínio dos mandarins alemães: a Comunidade Acadêmica Alemã, 1890-1933. São Paulo: Edusp, 2000.




DOI: https://doi.org/10.22456/1983-201X.42716

Anos 90 - Revista do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul