A Questão Florestal na História da Ilha de Santa Catarina

Susana Cesco

Resumo


O final do século XVIII e início do século XIX marcou um processo de intensas transformações na Ilha de Santa Catarina, ao sul do Brasil. Momento de reconhecimento das potencialidades econômicas e ambientais locais, de ocupação e consolidação da colonização européia iniciada meio século antes, é nesse período que a população da Ilha também impõe um novo ritmo nas transformações ambientais. A partir daí ocorre uma redefinição nos “usos” dados à floresta, ao mar e à terra da Ilha. Esse território insular, com fronteiras naturais definidas, sofre nesse período intensas mudanças que vão da derrubada da floresta para uso local e, mais importante, para uso da Real Armada Portuguesa. A análise dessas transformações da natureza e de suas influências na vida de uma sociedade permite uma leitura de novos ângulos da história local, considerando a questão ambiental como elemento essencial.

Palavras-chave


Transformação ambiental; Indústria madeireira; Progresso

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Luciana Cristina de. “Nossa Senhora do Despejo” O lixo e a imundície em Nossa Senhora do Desterro no fim do Império. (décadas de 1850, 1860 e 1870). Florianópolis, 2003. Monografia em História. Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis – UDESC.

ANTONIL, André João. Cultura e Opulência do Brasil por suas Drogas e Minas. São Paulo: Melhoramentos/Brasília: INL, 1976.

ARRUDA, Gilmar. Cidades e Sertões. Bauru: EDUSC, 2000.

Carta Régia de 13 de março de 1797, Apud. SOUZA, Paulo Ferreira de. Legislação Florestal. Rio de Janeiro: Diretoria de Estatística da Produção, 1934.

CAVALCANTI, Nireu. O Rio de Janeiro Setecentista: a vida e a construção da cidade da invasão francesa até a chegada da corte. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2004, p. 257.

CENCINI, Carlo. Il Paesaggio come Patrimônio: I Valori Naturali. In: Bolletino della Società Geografica Italiana. Roma – Serie XII, vol. IV, 1999.

Código de Posturas da Câmara Municipal da Capital da Província de Santa Catarina. Nossa Senhora do Desterro, 10 de maio de 1845.

CONDE DE REZENDE, Vice Rey e Capitão General de Mar e Terra do Estado do Brasil. Ofício ao governador da Capitania de Santa Catarina Joaquim Xavier Curado. Rio de Janeiro a 14 de junho de 1801. Acervo BN.

CONDE DE REZENDE. Ofício ao Governador João Alberto de Miranda Ribeiro em 18/09/1797. Acervo: Arquivo Público do Estado de Santa Catarina - APESC.

CONDE DE REZENDE. Ofício ao Governador João Alberto de Miranda Ribeiro em 27/10/1797. Acervo: Arquivo Público do Estado de Santa Catarina - APESC.

CONDE DE REZENDE. Ofício ao Governador João Alberto de Miranda Ribeiro em 03/12/1797. Acervo: Arquivo Público do Estado de Santa Catarina - APESC.

CURADO, Joaquim Xavier. Registro de uma Sesmaria de Manoel Dutra Garcia, Funriel da Cavalaria de milícias e actual Tesoureiro dos Rendimentos da nova igreja de Nossa Senhora da Lapa do Distrito do Ribeirão. Nossa Senhora do Desterro, 28 de abril de 1804. Acervo APESC.

DEAN, Warren. A ferro e fogo: a história e a devastação da Mata Atlântica brasileira. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

LIMA, José Caetano de, Engenheiro Intendente da Marinha. Carta ao Senhor Dom Rodrigo de Souza Coutinho, Ministro e Secretário de Estado dos Negócios da Marinha e Domínios Ultramarinos. Rio de Janeiro, 12 de agosto de 1800. Acervo: APESC.

MACHIAVELLI, Nicolò. O Príncipe. 31 ed. Rio de Janeiro: Ediouro, 1999.

McNEILL, John R. Something New Under the Sun. An Environmental History of the Twentieth-Century World. New York: Norton, 2000.

PARDAL, João Carlos. Relatório do Presidente da Província de Santa Catarina em 1838, p. 16. Pesquisado em http://brazil.crl.edu/bsd/bsd. 08/03/07.

RIBEIRO DE ALMEIDA, João. Ensaio sobre a salubridade, estatística e pathologia da Ilha de Santa Catarina e em particular da cidade de Desterro. Desterro: Typ. de JJ. Lopes, 1864. Acervo IHGB.

RIBEIRO João Alberto de Miranda. Ofício ao Conde de Rezende, apresentando relatório sobre a Ilha de Santa Catharina e demais distritos de sua jurisdição, com dados estatísticos. Desterro, 17 de novembro 1797. Acervo Biblioteca Nacional: Original, 2 doc. 130p. (códice 3,3,17).

RIBEIRO, João Alberto de Miranda, Governador da Ilha e dos demais Distritos de sua Jurisdição. Ofício ao Conde de Conde de Rezende Vice Rey e Capitão General de Mar e Terra do Estado do Brasil. Villa do Desterro 11 de abril de 1798. Acervo: APESC.

RIBEIRO, João Alberto de Miranda. Ofício ao Conde de Rezende Vice Rey e Capitão General de Mar e Terra do Estado do Brasil. Villa do Desterro 22 de março de 1798. Acervo: APESC.

RIBEIRO, João Alberto de Miranda. Ofício ao Conde de Rezende, datado de nº 17 de 11 de abril de 1798. Acervo BN.

SOFFIATI NETTO, A. Manguezais e conflitos sociais no Brasil Colônia. In: II Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ambiente e Sociedade, 2004, Indaiatuba. Anais do II Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ambiente e Sociedade. Indaiatuba: ANPPAS, 2004.

VICENZI, Jacomo. Uma viagem ao Estado de Santa Catharina em 1902. Nictheroy: Tip. Amerino, 1904, p. 14. Acervo IHGB.

VIEIRA DA ROSA. Chorografia de Santa Catharina. Florianópolis,: Typ. Da livraria Moderna. Paschoal Simone, 1905, p. 182. Acervo IHGB.

VILELA, Valentim Antônio. Ofício do Capitão da Fragata Cisne ao Governador João Alberto de Miranda Ribeiro com Relação de consumo em 26/02/1798. Acervo: APESC.




DOI: https://doi.org/10.22456/1983-201X.18353

Anos 90 - Revista do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul