A construção da identidade social na literatura regionalista: o caso sul-rio-grandense

Luciana Murari

Resumo


Este artigo busca analisar, a partir de um estudo da literatura regionalista produzida no Rio Grande do Sul no período entre os últimos anos do século XIX e 1930, os mecanismos empregados para a criação e a difusão da identidade social gaúcha. Estudam-se obras de diversos autores, à procura da definição de um projeto literário voltado para dotar o estado de uma particularidade no contexto nacional. Para tal, empregamos o conceito de “check-list identitário”, referente à definição e divulgação de elementos tidos como “típicos” da região, e que incluem símbolos tomados de empréstimo à natureza, à história, à etnicidade, às práticas sociais, à variação linguística, à cultura popular. Em seguida, estuda-se a relação entre estas manifestações regionalistas e o pressuposto nacionalista desta literatura, buscando definir a especificidade do Rio Grande do Sul e observar a criação de mecanismos retóricos de inclusão do estado no contexto político-cultural brasileiro.


Palavras-chave


Identidade social; Rio Grande do Sul; Literatura regionalista; Primeira República; Nacionalismo

Texto completo:

PDF

Referências


ALENCAR, José de. O gaúcho. Porto Alegre: L&PM, 2002, 1ª ed. 1870.

ARAÚJO FILHO, Luiz. Recordações gaúchas. Porto Alegre: Aplub; PUCRS; IEL, 1987. 2ª. ed. 1905.

AZAMBUJA. No galpão. 7ª ed. Porto Alegre: Globo, 1955. 1ª ed. 1925.

BARNASQUE, Clemenciano. No pago. Manchas pampeanas. 2ª ed. aumentada. Porto Alegre: Globo, 1926.

CALLAGE, Roque. Terra gaúcha. Scenas da vida riograndense. Porto Alegre, 1914.

________. Terra natal. Aspectos e impressões do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Barcellos, Bertaso & C. 1920.

________. Rincão. Scenas da vida gaúcha. 2ª ed. Porto Alegre: Globo, 1924.

________. Vocabulário gaúcho. 2ª. ed. cor. aum. Porto Alegre: Globo, 1928.

________. Quéro-quéro. Scenas crioulas. Porto Alegre: Globo, 1927.

________. No fogão do gaúcho. Porto Alegre: Globo, 1929.

CHAVES, Flávio Loureiro. Simões Lopes Neto. Porto Alegre: Instituto Estadual do Livro: Ed. da Universidade, 2001.

COELHO NETTO. Duas Cartas de Coelho Neto. Província de São Pedro. Porto Alegre, v. 2, n. 4, p. 168, mar. 1946.

FONTOURA, João. Nas coxilhas. Contos gaúchos. Rio de Janeiro: Gomes Pereira, 1912.

________. Umbú. Contos gaúchos. Segunda série. Rio de Janeiro: Jornal do Comércio, 1929.

LEITE, Lígia Chiappini Moraes. Regionalismo e Modernismo. O “caso” gaúcho. São Paulo: Ática, 1978.

LOPES NETO, João Simões. Lendas do sul. Porto Alegre: Martins, 1997. 1ª ed. 1913.

________. Contos gauchescos. Porto Alegre: Martins, 1999. 1ª ed. 1912.

MAYA, Alcides. Pelo futuro. Porto Alegre: Franco & Irmão, 1897.

________. Affonso Arinos. Pelo sertão. Porto Alegre, Correio do Povo, 01 out. 1898. p. 1.

________. Ruínas vivas. 2ª. ed. Porto Alegre: Movimento, 2002. 1ª ed. 1910.

________. Através da imprensa (1898-1900). Porto Alegre: Octaviano Borba & C., 1900.

________. Tapera. 3ª ed. Porto Alegre: Movimento; Santa Maria: UFSM, 2003. 1ª ed. 1911.

________. Actualidade política. O novo governo. Porto Alegre, O Diário, 24 jan. 1913.

________. Alma sertaneja. Rio de Janeiro, A Noite, 04 fev. 1919. p. 1.

________. Alma bárbara. 2ª ed. Porto Alegre: Movimento; Universitário, 1991. 1ª ed. 1922.

MORAES, Carlos Dante de Moraes. Figuras e ciclos da história rio-grandense. Porto Alegre: Globo, 1959.

MURARI, Luciana. Água parada. O olhar da modernidade na ficção de Alcides Maya. Estudos Ibero-Americanos, PUCRS, v. XXXIV, n. 2, p. 150-167, dezembro 2008.

PAES, José Paulo. “O art-nouveau na literatura brasileira”. In: _____. Gregos e baianos. São Paulo: Brasiliense, 1985. p. 64-80.

PIRES, Vieira. Querencia. Contos regionaes. Porto Alegre: Globo, 1925.

SCHAMA, Simon. Paisagem e memória. Tradução Hildegard Feist. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

SCHLANGER, Judith. Les métaphores de l’organisme. Paris: L’Harmattan, 1995.

THIESSE, Anne-Marie. Écrire la France. Le mouvement littéraire régionaliste de langue française entre la Belle Epoque et la Libération. Paris: Presses Universitaires de France, 1991.

________. La création des identités nationales. Europe XVIIIe- XXe siècle. Paris: Seuil, 1999.




DOI: https://doi.org/10.22456/1983-201X.11494

Anos 90 - Revista do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul